PUBLICIDADE

Topo

Katleen da Cruz Conceição

Micose não perdoa a falta de cuidados com a higiene; aprenda a prevenir-se

Katleen da Cruz Conceição

Médica dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Rio de Janeiro e especialista pela UFF (Universidade Federal Fluminense), é chefe do Ambulatório de Dermatologia Para Pele Negra da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e do 1º Setor de Dermatologia Para Pele Negra do Grupo Paula Bellotti. Membro da Skin of Color Society e da Sociedade Brasileira de Laser, Katleen esteve à frente do Ambulatório de Dermatologia na Pele Negra e do Ambulatório de Acne e Peeling do Hospital Federal de Bonsucesso (RJ), onde adquiriu muita experiência com peeling e uso de lasers, principalmente na pele negra.

Colunista do UOL

23/11/2020 04h00

O assunto de hoje é micose. Se você também tem alguma dúvida, pode me enviar pelo Instagram (@vivabem_uol) ou pelo email vivabemuol@uol.com.br.

As micoses são infecções provocadas pelo crescimento excessivo de fungos e que podem afetar a pele, o couro cabeludo, as unhas e áreas mais úmidas do corpo.

Ela são mais frequentes na pele sem pelo, como pés, e nas virilhas. Elas também podem ocorrer no pescoço, na face, nos braços, nas mãos, no tórax e nas pernas.

A micose não perdoa a falta de cuidados com a higiene, como não secar bem nas dobras e no meio dos dedos, o que deve ser feito com toalha ou secador frio.

Conheça os tipos de micose:

Pitiríase versicolor: apresenta-se clinicamente como manchas brancas, descamativas, que podem estar agrupadas ou isoladas. Normalmente surgem na parte superior dos braços, tronco, pescoço e rosto. Ocasionalmente, podem se apresentar como manchas escuras ou avermelhadas, daí o nome versicolor.

Tineas (tinhas): manifestam-se como manchas vermelhas de superfície escamosa, crescem de dentro para fora, com bordas bem delimitadas, apresentando pequenas bolhas e crostas. O principal sintoma é coceira.

Candidíase: pode se manifestar de diversas formas, como placas esbranquiçadas na mucosa oral, comum em recém-nascidos ("sapinho"); lesões fissuradas no canto da boca (queilite angular) mais comum no idoso; placas vermelhas e fissuras localizadas nas dobras naturais (inframamária, axilar e inguinal), ou envolver a região genital feminina (vaginite) ou masculina (balanite), provocando coceira, manchas vermelhas e secreção vaginal esbranquiçada.

Onicomicoses: geralmente a unha se descola do leito e se torna mais espessa. Pode também haver mudança na coloração e na forma.

Hábitos higiênicos são importantes na prevenção das micoses; veja outras medidas preventivas:

  • Usar somente o próprio material ao ir à manicure
  • Secar-se sempre muito bem após o banho, principalmente nas dobras, como as axilas, as virilhas e os dedos dos pés
  • Evitar o contato prolongado com água e sabão
  • Evitar andar descalço em locais que sempre estão úmidos, como vestiários, saunas e lava-pés de piscinas
  • Não ficar com roupas molhadas por muito tempo
  • Não compartilhar toalhas, roupas, escovas de cabelo e bonés, pois esses objetos podem transmitir doenças
  • Não usar calçados fechados por longos períodos e optar pelos mais largos e ventilados
  • Evitar roupas muito quentes e justas e aquelas feitas em tecidos sintéticos, pois não absorvem o suor, prejudicando a transpiração da pele.

(Com informações da Sociedade Brasileira de Dermatologia)