PUBLICIDADE

Topo

Katleen da Cruz Conceição

Seu cabelo está caindo demais? Saiba o que pode causar o problema

iStock
Imagem: iStock
Katleen da Cruz Conceição

Médica dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Rio de Janeiro e especialista pela UFF (Universidade Federal Fluminense), é chefe do Ambulatório de Dermatologia Para Pele Negra da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e do 1º Setor de Dermatologia Para Pele Negra do Grupo Paula Bellotti. Membro da Skin of Color Society e da Sociedade Brasileira de Laser, Katleen esteve à frente do Ambulatório de Dermatologia na Pele Negra e do Ambulatório de Acne e Peeling do Hospital Federal de Bonsucesso (RJ), onde adquiriu muita experiência com peeling e uso de lasers, principalmente na pele negra.

Colunista do UOL

16/11/2020 04h00

O assunto de hoje é queda de cabelo. Se você também tem alguma dúvida, pode me enviar pelo Instagram (@vivabem_uol) ou pelo email vivabemuol@uol.com.br.

Estima-se que todos os dias perdemos de 50 a 100 fios de cabelo —o que é absolutamente normal, mas alguns fatores podem estimular a queda acentuada, conheça alguns:

  • Estresse;
  • Cigarro;
  • Uso frequente de chapéus e bonés (que superaquecem o couro cabeludo);
  • Químicas frequentes;
  • Pós-parto;
  • Pós-cirúrgico;
  • Dietas restritivas;
  • Alterações hormonais;
  • Parar o uso de anticoncepcional depois de bastante tempo tomando-o;
  • Alguns medicamentos;
  • Excesso de oleosidade no couro cabeludo;
  • Fatores psicológicos;
  • Deficiência de minerais e vitaminas como ferro e zinco;
  • Problemas relacionados à tireoide;
  • Hemorragias.

Em geral, a queda de cabelos acontece quando os hormônios estão em desequilíbrio no organismo, como na puberdade e nas mulheres na menopausa. Quando notar uma maior quantidade de fios de cabelo no piso do banheiro, escova de pentear ou após o uso de secador, e o surgimento de fios de cabelo em locais inusitados, como na mesa de trabalho e em locais públicos, é recomendável procurar um dermatologista.

Outras situações também podem fazer com o que o cabelo caia mais do que o normal, por exemplo:

Cuidados capilares inadequados: práticas incorretas de coloração, alisamentos e alongamentos levam à quebra do fio, seguida de queda. O mesmo vale para uma frequência inadequada de lavagens e uso de produtos que contribuem para a produção excessiva de sebo.

Problemas no couro cabeludo: por diferentes motivos, doenças como dermatites, psoríase, micose e outras do couro cabeludo enfraquecem os fios e podem resultar em queda.

Alopecia androgenética feminina: também chamada de calvície feminina é uma condição hereditária caracterizada pela perda e não somente pela queda de cabelo. É tida como a principal causa de queda de cabelos em homens e mulheres.

E o eflúvio telógeno também causa queda de cabelo excessiva. Este problema acelera a chegada de mais fios à fase telógena, responsável por desprender as madeixas do couro cabeludo. Seu início pode se dar a partir de algum gatilho acionado três meses antes do momento da queda —período necessário para o cabelo chegar à sua fase final.

Se você tiver cabelo oleoso, recomendo o uso de xampu com ação antisséptica, adstringente e purificante,
que auxilia no controle da oleosidade e não agride o couro cabeludo.

Após um exame de sangue, se alterações de tireoide ou baixa de vitamina D forem observadas, pode-se suplementar junto ao seu dermatologista, mas somente sob orientação médica.

O que pode ajudar a combater a queda de cabelo excessiva é reduzir o estresse; manter o couro cabeludo sempre limpo e higienizado; diminuir ou evitar o consumo de álcool e cigarros; corrigir problemas hormonais; não prender os fios molhados; não passar chapinha no cabelo molhado e cuidar da alimentação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.