PUBLICIDADE

Topo

Jairo Bouer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que revelam a cistite de Anitta e a infecção urinária do peão Rico?

Reprodução Instagram / @anitta / @ricoof
Imagem: Reprodução Instagram / @anitta / @ricoof
Conteúdo exclusivo para assinantes
Jairo Bouer

Jairo Bouer é médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e pelo Instituto de Psiquiatria do HC-USP. Bacharel em biologia pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e mestre em evolução humana e comportamento pela University College London (UCL). Nos últimos 30 anos, trabalha com comunicação em saúde e sexualidade nos principais veículos de mídia do país.

Colunista do UOL

26/11/2021 04h00

Nessa semana as vias urinárias —e suas infecções— se tornaram a pauta do dia de algumas celebridades, como a cantora Anitta e o peão Rico Melquiades, de A Fazenda 13. Anitta revelou em uma entrevista a Sabrina Sato ter "cistite de lua de mel", e disse que sente dores ao caminhar depois de transar com homens avantajados. Já Rico Melquiades afirmou estar com infecção urinaria e disse que existe risco de transmissão pelo vaso sanitário.

Os comentários dos dois trazem informações incorretas e imprecisas e revelam o quanto mitos e tabus seguem presentes no imaginário das pessoas, ainda mais quando o assunto é saúde e vida sexual.

Vamos por partes! "Cistite de lua de mel" é o nome dado a uma infecção na bexiga da mulher, em geral, após uma relação sexual. O contato e o atrito do pênis com a vagina podem favorecer a entrada de microrganismos (como bactérias) na uretra e a migração desses agentes para a bexiga, onde podem causar um quadro infeccioso. Na mulher vagina e uretra estão bem perto, a uretra é mais curta e o ânus também está na proximidade, o que torna as infecções urinárias muito mais comuns entre elas.

Pênis grande não causa cistite de lua de mel

O tamanho do pênis não é causa da cistite de lua de mel e, sim, a colonização e a subida de microrganismos pela uretra. Tamanho grande do pênis e intensidade mais forte da penetração até podem provocar dor e desconforto na mulher no dia seguinte à transa, mas isso tem mais a ver com um eventual impacto do órgão masculino em estruturas mais sensíveis como fundo da vagina, colo do útero e até na própria bexiga (já que eles todos estão muito próximos).

"Cistite de lua de mel" tem esse nome porque, no século passado, era comum os casais começarem sua vida sexual apenas na lua de mel e, no retorno das núpcias, muitas mulheres desenvolviam o quadro. Hoje, o nome fica até um pouco deslocado. Sintomas como ardor ao urinar, dor na parte inferior da barriga, vontade frequente de ir ao banheiro, urina mais escura e com cheiro peculiar e febre são os mais comuns. O diagnóstico é feito com exame de urina e urocultura, e o tratamento passa pelo uso de antibióticos.

Infecção urinária na privada?

E dá mesmo para pegar uma infecção urinária no vaso sanitário, como disse o peão Rico? Não, né pessoal? A não ser que a pessoa tenha entrado acompanhada no banheiro, e aproveitado a ocasião para fazer sexo. Aí sim, valeria a mesma explicação da cistite da lua de mel!

É sempre bom contar com um pouco de higiene ao usar o vaso, e limpar o tampo com um lenço umedecido ou mesmo com papel higiênico é de bom tom, ainda mais em banheiros públicos. Mas isso não faz, de forma alguma, que alguém pegue uma infecção urinária ao sentar na privada.

Na esmagadora maioria dos casos, a infecção urinária acontece por microrganismos que já habitam nosso corpo e que, em determinadas situações (atrito na hora da relação sexual, mudanças do PH da vagina, queda da imunidade, baixa frequência de micções, deslocamento de agentes infecciosos da região do ânus para a região da vagina, entre outros), ganham força e se multiplicam.

Bom lembrar que infecções urinárias não são ISTs (infecções sexualmente transmissíveis) já que, como vimos, na maior parte dos casos as bactérias e outros microrganismos responsáveis pela infecção são da própria pessoa. Mas alguns agentes causadores de ISTs podem, sim, provocar sintomas urinários.

De um lado, as afirmações imprecisas das celebridades sobre sua saúde podem levar a uma certa confusão e a perpetuação de alguns mitos e tabus. De outro, elas oferecem uma janela de oportunidade para que os temas sejam melhor discutidos e mais gente possa se informar corretamente.

Para saber mais sobre sexualidade e saúde, cheque meu site clicando aqui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL