PUBLICIDADE

Topo

Jairo Bouer

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Buscas pelo termo "ansiedade" disparam no YouTube: como lidar com ela?

iStock
Imagem: iStock
Jairo Bouer

Jairo Bouer é médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e pelo Instituto de Psiquiatria do HC-USP. Bacharel em biologia pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e mestre em evolução humana e comportamento pela University College London (UCL). Nos últimos 30 anos, trabalha com comunicação em saúde e sexualidade nos principais veículos de mídia do país.

Colunista do VivaBem

21/05/2021 04h00

Dados inéditos do YouTube do mês de maio de 2021 revelam que a procura pelo tema saúde mental bateu recorde. A busca por termos como ansiedade, depressão e relaxamento mental alcançaram o maior patamar desde 2008, início da série histórica dos dados na plataforma.

A palavra ansiedade ganhou destaque especial. As buscas tiveram nesse mês seu maior pico nos últimos doze meses, e só perdem para abril de 2020, quando a pandemia do novo coronavírus chegou com grande impacto ao Brasil.

Três das cinco perguntas mais feitas sobre saúde mental com a palavra "como" no YouTube foram sobre ansiedade. "Como vencer a ansiedade" e "como tratar a ansiedade" foram as mais buscadas.

Vida nova e saúde mental

Impossível dissociar as dificuldades em saúde mental, sobretudo ansiedade e depressão, da situação da covid-19. As mudanças na rotina de milhões de brasileiros nesse último ano puseram à prova a resistência emocional em um cenário tão desafiador.

Isolamento social, dificuldades com o home office e com o ensino à distância, incertezas, medo de adoecer ou de ver algum amigo ou familiar infectado, sobrecarga de trabalho e esgotamento pelo acúmulo de funções domésticas, familiares e profissionais, além da insegurança com questões econômicas colocaram em xeque nossa saúde mental. No Brasil, a condução caótica da resposta ao coronavírus pelo governo pode ter intensificado essa sensação de desalento e de falta de rumo.

Tudo somado tornou a saúde mental um ponto central na vida de boa parte da população. O país, mesmo antes da pandemia, já era considerado um dos líderes globais em transtornos de ansiedade e depressão. De lá para cá, a situação pode ter se agravado ainda mais.

Quem já tinha uma história de transtorno mental ficou mais vulnerável, e mesmo quem nunca teve que pensar no assunto se viu muitas vezes paralisado diante de tantas pressões, de todos os lados.

Pandemia aumenta ansiedade e depressão

O aumento de pesquisa por assuntos relacionados à saúde mental no YouTube, sobretudo pelo termo ansiedade, vai na direção dos achados da maior parte dos trabalhos publicados no Brasil sobre esse tema no último ano.

Estudo da Associação Brasileira de Psiquiatria apontava um agravamento da saúde mental no país já em maio de 2020. Outra pesquisa, da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), de junho de 2020, indicava a mesma tendência. No ano passado, um outro trabalho, da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), revelava aumento de 90% dos sintomas depressivos na população brasileira.

Embora a maior parte dos estudos publicados aponte um aumento importante de ansiedade e da depressão durante a pandemia, um trabalho mais recente, usando outra metodologia de pesquisa, mostra um tendência de estabilidade, apesar dos patamares elevados desses transtornos mentais, que atingiriam hoje entre 20% a 25% das pessoas.

Vale dizer que quase uma em cada quatro pessoas no Brasil de hoje pode estar lidando com sintomas ansiosos e depressivos, o que ajuda a entender o recorde das buscas por saúde mental nas plataformas digitais.

O que é ansiedade?

A ansiedade é uma emoção antecipatória que todos nós experimentamos ao longo da vida. De uma maneira bem dosada, ela nos prepara para o futuro e nos ajuda a lidar com ameaças e desafios que podem surgir pela frente.

Mas ansiedade demais atrapalha e interfere na administração da nossa vida cotidiana e das nossas demais emoções e sentimentos. Ter níveis elevados de ansiedade torna a vida mais árdua e pode nos levar a enfrentar transtornos como síndrome do pânico, transtorno da ansiedade generalizada, transtorno obsessivo-compulsivo, abuso de álcool e de outras drogas, quadros compulsivos, maior risco de depressão e até mesmo de comportamentos autoagressivos, como mutilações e suicídio.

Respondendo às duvidas mais comuns do YouTube: como vencer a ansiedade?

Abaixo algumas estratégias que podem ser úteis na administração dos seus níveis de ansiedade e ajudam a evitar que um transtorno maior se instale.

  1. Pratique atividade físicas de forma regular
  2. Mantenha hábitos de vida saudáveis
  3. Durma bem
  4. Reduza seu nível de estresse diário
  5. Aprenda a respirar com mais calma
  6. Seja organizado e tenha uma rotina para suas obrigações diárias
  7. Crie "áreas verdes" em sua agenda para que tenha mais tempo para você mesmo
  8. Combata pensamentos negativos e dê menos peso aos problemas
  9. Mantenha o foco e a atenção em uma única atividade de cada vez
  10. Invista e esteja próximo das pessoas que você ama
  11. Busque o bom humor, sorria mais e tente ver a vida com mais leveza
  12. Não viva correndo e acredite mais em você mesmo

E como tratar a ansiedade?

O aumento da ansiedade exige uma abordagem rápida para que ela impacte o menos possível na vida e nas relações das pessoas. Confira abaixo alguns caminhos.

  • Procure dividir com outras pessoas o que está sentindo
  • Vença tabus e preconceitos e procure ajuda, se necessário
  • Fazer terapia pode ajudar tanto a entender as causas da ansiedade, como aprender formas de lidar com comportamentos, atitudes e pensamentos que disparam as crises
  • Usar remédios, sempre sob supervisão médica e por tempo limitado, pode ajudar em alguns casos mais severos
  • Mesmo para quem toma medicamentos, atividade física regular e hábitos saudáveis podem reduzir as doses e encurtar o tratamento.

E, para terminar, um recado final: não deixe que a ansiedade se torne o pano de fundo da sua vida. Viver bem depende de um controle melhor dessa emoção, mesmo em um cenário complexo como o que ainda estamos vivendo. Cuide-se e cuide dos outros!

Se quiser saber mais sobre ansiedade e depressão, cheque meu site: doutorjairo.uol.com.br/.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL