PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mais força e menos lesões: os benefícios do pilates para corredores

Conteúdo exclusivo para assinantes
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do VivaBem

15/11/2021 04h00

Semana passada, eu falei o quanto é importante o trabalho de força para melhorar a performance e evitar lesões na corrida. E quando falamos em trabalho de força, vem imediatamente em nossa mente os exercícios de musculação ou funcionais —que realmente promovem o ganho de força, mas não são só eles. O pilates, por exemplo, também é uma ótima opção para o corredor preparar seu corpo fora das pistas.

Conversei sobre o assunto com o instrutor de pilates Marcos Ayran, e logo no início do papo ele já me disse que se engana quem pensa que a modalidade é apenas para uma população específica e restrita, ou quem pensa que o método é baseado apenas em exercícios de alongamento.

O pilates tem como um dos principais focos o fortalecimento da "Power House" —o núcleo de força do corpo, também conhecido como região do core, que é formada pelos músculos do abdome, lombar, quadril e pelve. Toda essa musculatura é altamente recrutada durante a corrida e seu fortalecimento, por meio dos exercícios do pilates, proporciona melhor estabilidade da região do quadril, tronco e assoalho pélvico.

Tudo isso, consequentemente, gera uma economia de energia e melhora do desempenho na prática da corrida, além de proporcionar a integridade da coluna vertebral e reduzir o risco de lesões no corredor. O pilates, quando dirigido ao atleta corredor, é uma excelente forma de fortalecer os músculos, melhorar a flexibilidade e estabilizar as articulações.

Outro ponto que o método trabalha e é fundamental para o corredor é a respiração. Inspirar e expirar ocorre naturalmente em nossa vida diária, sem que tenhamos que pensar sobre isso. No entanto, durante a corrida, os músculos envolvidos no movimento respiratório podem se cansar rapidamente quando excessivamente demandados por um período de tempo, recrutando músculos acessórios para realizar a respiração e exigindo mais energia do atleta.

Com o pilates, a respiração está ligada ao movimento dos exercícios, trazendo um ganho de capacidade funcional respiratória, controle, frequência e ritmo. Melhorando assim, substancialmente, a marcha da corrida.

Benefício para iniciantes

O método pilates pode atuar principalmente em lesões prévias e em novos corredores. Com base nisso, pode-se dizer que se um aluno já sente dores no joelho e quer começar a correr, provavelmente terá mais dores naquela articulação que já está sensibilizada. Portanto, lesões prévias devem ser consideradas antes de começar a correr. Mas, nesses casos, o pilates pode ajudar inicialmente na reabilitação e depois no condicionamento físico, trazendo todos os seus benefícios, para possibilitar o início da prática de corrida.

Benefícios como fortalecimento muscular, consciência corporal, melhora na amplitude de movimento e postura das articulações ajudarão este estudante corredor. Mas por que é mais provável que o novo corredor se machuque? Citando o livro "Tread Lightly", os autores citam os motivos como: novos corredores estão menos adaptados aos estresses e desconfortos associados à corrida. Até que haja fortalecimento físico e adaptação, o risco de lesões é alto.

A falta de experiência em corrida limita a capacidade de distinguir entre dores menores e dores mais fortes. Corredores mais experientes tendem a ter uma noção melhor de quando a dor é anormal e deve ser "ouvida". "Ouça seu corpo" é um mantra que se repete continuamente entre os atletas quando se trata de saber quando "tirar o pé" e os iniciantes são menos fluentes na linguagem corporal desse corredor.

A determinação de atingir um alvo estipulado (por exemplo, correr uma primeira maratona) pode fazer com que corredores novos e inexperientes ultrapassem os sinais de cautela. Todas essas coisas determinam o estágio para a ocorrência de uma lesão e, para quem está começando, é aconselhável ir de forma lenta e gradual, sempre conciliando os treinos de corrida com o trabalho de fortalecimento muscular, que pode ser realizado no pilates.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL