PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Tênis com placa de carbono: tecnologia ajuda a quebrar recordes na corrida

Eliud Kipchoge contou com a ajuda de um "super tênis" para completar distância da maratona em menos de 2 horas, em Viena -
Eliud Kipchoge contou com a ajuda de um "super tênis" para completar distância da maratona em menos de 2 horas, em Viena
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do VivaBem

13/09/2021 04h00

Há quase dois anos, o queniano Eliud Kipchoge entrou para a história do esporte ao se tornar o primeiro homem a correr a distância da maratona (42,195 km) abaixo de 2 horas, em um evento não oficial realizado em Viena, na Áustria.

Diversas estratégias ajudaram o maratonista bicampeão olímpico a alcançar a marca em 2018, entre elas um detalhe tecnológico que na época ainda podia ser chamado de novidade: tênis com placas de carbono.

Na época, o modelo foi muito criticado por não estar acessível a todos os atletas em competições oficiais —somente a alguns patrocinados pela Nike. Por isso, o calçado que promete melhorar a perfomance na corrida em quase 4% chegou a ser chamado de "doping tecnológico" e quase foi proibido no esporte.

Desde então, vários recordes da corrida, em diferentes distâncias, começaram a cair e outras marcas passaram a investir no desenvolvimento de produtos com a mesma tecnologia. Hoje, os tênis com placa de carbono podem ser usados por quase todos os atletas profissionais, além de serem o sonho de consumo de muitos atletas amadores —é importante frisar que esses modelos são caros, grande parte custa mais de R$ 1.500, e não trazem benefícios para corredores mais lentos (ou seja, a maioria que pratica o esporte por saúde e recreação).

O grande diferencial desses calçados, obviamente, são as placas de carbono inseridas na entressola, que absorvem o impacto da passada e o devolvem como forma de energia, impulsionando o movimento da corrida. Assim, o corredor gasta menos energia, a fadiga muscular demora mais para chegar e, consequentemente, o atleta consegue correr mais rápido.

Esses modelos contam com uma entressola grossa e com um alto drop (diferença de altura entre a parte da frente do tênis e o calcanhar). Ainda assim são leves (o que também é importante para a performance).

Como já falei, os tênis com placa de carbono até podem ser usados por qualquer corredor, mas não trazem um bom "custo-benefício" para pessoas mais lentas. O calçado atende melhor a atletas velozes, que conhecem bem sua passada e seu ritmo. Para eles, os maiores benefícios desse modelo são:

  • Amortecimento responsivo;
  • Conforto;
  • Leveza;
  • Estabilidade;
  • Eficiência na passada;

Se você é um atleta veloz, treina sério, faz exercícios de força, tem uma boa alimentação, está no peso ideal, dorme adequadamente e não consegue mais ter melhora na corrida, pode ser que o calçado dê uma mãozinha para aumentar a performance. Agora, se na sua rotina você "peca" em um desses pontos, antes de investir no calçado, pode valer muito mais a pena melhorar esses quesitos, já que isso é grátis.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL