PUBLICIDADE

Topo

Fernanda Victor

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Você sabe reconhecer os sinais de que sua tireoide pode estar desregulada?

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fernanda Victor

Fernanda Victor é médica endocrinologista e metabologista. É titulada pela SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e mestre em ciências da saúde pela UPE (Universidade de Pernambuco)

Colunista do UOL

07/04/2022 04h00

Alguns sinais e sintomas podem alertar para o mau funcionamento da sua tireoide. As disfunções tireoideanas podem desencadear manifestações clínicas capazes de te direcionar para uma avaliação especializada, bem como possibilitar o diagnóstico precoce e o tratamento correto.

Quando a tireoide não funciona adequadamente, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo, ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Nessas duas condições, a glândula pode aumentar de tamanho e desenvolver o que chamamos de bócio.

Em condições normais, a tireoide é uma glândula em formato de borboleta localizada no pescoço, logo abaixo das cordas vocais, responsável pela produção adequada dos hormônios tireoideanos: T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina).

De forma resumida e didática, hipotireoidismo e hipertireoidismo são disfunções tireoideanas opostas. O hipotireoidismo é bem mais prevalente do que o hiper, afetando cerca de 4% da população mundial, principalmente mulheres e idosos.

Contrariamente ao que ocorre no hipertireoidismo, os pacientes portadores de hipotireoidismo apresentam o metabolismo mais lento e há redução da performance física e mental pela queda na produção dos hormônios T3 e T4.

De toda forma, o desequilíbrio hormonal que ocorre nas duas situações afeta negativamente a saúde e o funcionamento de vários órgãos, como o coração, o cérebro, o fígado e os rins.

Os hormônios tireoideanos influenciam todas as fases da vida e são essenciais na regulação do organismo como um todo. Quando a produção hormonal pela tireoide não acontece de forma equilibrada, vários sintomas podem ocorrer.

Confira algumas situações clínicas em que sua tireoide pode estar desregulada:

- Alterações no peso corporal. O hipotireoidismo causa um discreto ganho de peso (cerca de 2-4 kg) sem causa aparente; já o hipertireoidismo, cursa com emagrecimento inexplicável;

- Diminuição da memória e raciocínio lento, cansaço excessivo, dores musculares e articulares, sonolência, intestino preso, queda de cabelo, ressecamento da pele, unhas quebradiças, irregularidade menstrual, aumento dos níveis de colesterol no sangue e alterações do humor são achados observados no hipotireoidismo;

- Agitação, ansiedade, irritabilidade, insônia, diarreia, tremores, suor excessivo, taquicardia (coração acelerado) e cansaço aos mínimos esforços são achados observados no hipertireoidismo;

- Dificuldade para engravidar pode ser causada tanto pelo hipo quanto pelo hipertireoidismo;

- Exoftalmia bilateral (protusão anormal dos olhos ou "olhos esbugalhados") é uma característica marcante do hipertireoidismo;

- Alterações no desenvolvimento e crescimento de crianças e adolescentes podem estar associadas a problemas na tireoide.

Os sintomas acima descritos sinalizam a necessidade de avaliação, mas vale lembrar que algumas dessas manifestações são queixas inespecíficas e comuns, mesmo em pessoas sem qualquer distúrbio na tireoide.

Para a confirmação diagnóstica, é indispensável a avaliação hormonal por um médico especializado, a fim de guiar a melhor abordagem terapêutica para cada caso.

Referências

1. Surks IM. Clinical manifestations of hypothyroidism. Uptodate. 2018.
2. SBEM. Disponível em: https://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-tireoide/https://www.endocrino.org.br/entendendo-a-tireoide-hipotireoidismo/ https://www.endocrino.org.br/hipertireoidismo-e-hipotireoidismo/