PUBLICIDADE

Topo

Elânia Francisca

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Refletindo sobre as letras da sigla LGBTQIA+: 'A' é de assexualidade

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Elânia Francisca

Elânia Francisca é psicóloga, especialista em gênero e sexualidade e mestra em educação sexual. Realiza atividades educativas, consultoria e supervisão nas temáticas de gênero, sexualidade e direitos sexuais e reprodutivos.

Colunista do UOL

17/06/2022 11h04

Você já ouviu falar em assexulidade? Sabe o que significa?

Muita gente tenta explicar a assexualidade como a ausência de atração sexual por outras pessoas, e ela pode ser isso também, mas não se restringe apenas a essa definição. Existem várias formas de ser assexual e é justamente por isso dizemos que a assexualidade é um espectro, um conceito guarda-chuva que abrange variadas formas de existir enquanto assexual.

De acordo com o Coletivo Abrace, "a assexualidade pode ser entendida como a ausência total, parcial, circunstancial ou condicional da atração sexual".

Calma! Não entendi.

Vamos com calma:

Ausência total de atração sexual: nada de atração sexual, seriam as pessoas assexuais estritas.
Ausência parcial da atração sexual: são poucos os momentos em que se sente atração sexual.
Ausência circunstancial da atração sexual: a atração sexual aparecerá dependendo de alguma circunstância.
Ausência condicional da atração sexual: a atração sexual está condicionada a algo, como pessoas demissexuais, que sentem atração sexual depois de estabelecida uma conexão emocional e afetiva com alguém.

A assexualidade é um oceano profundo e cheio de vida, então que tal mergulhar para respeitar e valorizar a existência das pessoas assexuais?

Sugiro que acesse o site www.assexualidade.com.br e também assistam ao vídeo do canal das Bee para saber mais.

Então a educação em sexualidade não trabalha com pessoas assexuais?

Isso é um grande mito. Muitas pessoas, por desconhecimento do trabalho de educação em sexualidade, a reduzem ao diálogo sobre ato sexual. Mas ela trabalha abordando temáticas que envolvem autocuidado, diversidade, respeito, afeto, escolhas e corpo.

Por essa razão, pessoas assexuais também podem vivenciar processos de educação em sexualidade sim!

Além disso, todo mundo tem direito à informação sobre sexualidade, então negar educação em sexualidade para qualquer pessoa é violar direitos.

Tá, mas é assexual ou assexuado?

De vez em quando a gente escuta alguém usar o termo assexuado para se referir às pessoas assexuais, mas você sabia que esse termo não é adequado? Assexuado é todo corpo que tem apenas uma célula e se reproduz por bipartição, ou seja, se partindo em dois. Então assexuado é um termo inadequado. O termo correto a se usar é assexual.

"Nunca senti atração sexual, nem pelas pessoas com quem eu já fiquei. E me sinto um pouco culpada, poderia me ajudar?" (adolescente anônima de 17 anos)

Primeiro, é importante dizer que está tudo bem você não sentir atração sexual por ninguém. Muitas pessoas na adolescência podem se sentir culpadas por não ter desejo sexual, afinal nossa sociedade ainda acredita que a adolescência é uma fase em que o desejo sexual está a todo vapor, mas isso não é, necessariamente, verdade.

Existem adolescentes que são assexuais —isso quer dizer que sentem pouca ou nenhuma atração sexual. Como dito antes, a assexualidade é como um enorme guarda-chuva, com muitas formas de ser assexual dentro dele. Para adolescentes que não sentem atração sexual, gosto de sugerir que façam um exercício de respeitar o tempo de sentir as coisas e, se a tração sexual não for algo que você sente ou queira, está tudo bem!

Ser assexual não é algo que ocorre em decorrência de algum trauma sexual. Na verdade, a assexualidade é uma forma totalmente saudável de viver a própria sexualidade.