PUBLICIDADE

Topo

Elânia Francisca

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Saúde sexual de adolescentes: você já ouviu falar em hebiatra?

iStock
Imagem: iStock
Elânia Francisca

Elânia Francisca é psicóloga, especialista em gênero e sexualidade e mestra em educação sexual. Realiza atividades educativas, consultoria e supervisão nas temáticas de gênero, sexualidade e direitos sexuais e reprodutivos.

Colunista do UOL

26/03/2021 04h00

Nas últimas semanas, conversamos sobre a primeira consulta ginecológica de adolescentes, também falamos sobre urologista e a saúde de adolescentes que têm pênis. Hoje nós vamos refletir sobre uma especialidade médica da hebiatra.

Já ouviu falar dessa profissional?

Você tem um(a) filho(a) com mais de 10 anos de idade e nunca o(a) levou para uma consulta com hebiatra? Também nunca passou com um médico dessa especialidade na vida?

Caso você tenha respondido "não" a essas perguntas, não se preocupe. Isso não significa que você foi negligente com sua saúde ou com a saúde das pessoas por quem é responsável.

O caso é que a hebiatria é pouco falada em nosso cotidiano, diferentemente da pediatria, uma especialidade que a maioria das pessoas já ouviu falar. Desde o nascimento, as pessoas devem ser acompanhadas por um médico pediatra —especialista responsável pelo cuidado e atenção à saúde das crianças.

Mas qual especialidade procurar quando a pessoa se torna adolescente?

Muita gente acha que a profissional responsável pela saúde de adolescentes é a ginecologista ou a urologista, já que a puberdade acontece junto com a adolescência e traz algumas mudanças como a menstruação, polução noturna (ejaculação involuntária que ocorre durante o sono) e outras questões que envolvem os "hormônios sexuais" (testosterona, estrogênio e progesterona).

Porém, a adolescência e juventude não se resumem ao cuidado da vulva, vagina ou pênis. Há também questões importantes como as sensações geradas pelo estirão (que é o aumento da estatura), espinhas, dúvidas sobre apaixonar-se ou fragilidades emocionais que, embora façam parte da vida de todos, são "novidades" para quem está entrando na adolescência. E quem acolhe essas demandas na área da saúde é a(o) hebiatra, profissional da medicina de adolescentes.

A palavra hebiatra é de origem grega e faz referencia à Hebe, a deusa da juventude. Essa especialidade atua no atendimento às pessoas com idade entre 10 e 20 anos que, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), é a faixa etária referente à adolescência.

Lembrando que para o Estatuto da Criança e do Adolescente, a adolescência é a faixa etária compreendida entre os 12 e 18 anos e a juventude envolve todas as pessoas com idade de 15 a 29 anos. Sendo assim, hebiatras são profissionais dedicados à saúde da adolescência até o início da juventude.

É muito importante refletirmos sobre a hebiatria como parte importante no cuidado e atenção ao desenvolvimento humano e questionarmos sobre os motivos de não termos acesso a informações sobre essa especialidade médica.

Saliento que ginecologistas, urologistas e psicólogas também são parte importante de uma rede que acolhe e cuida de questões relacionadas à adolescência e juventude. Contudo, precisamos trazer para nosso cotidiano a reflexão sobre hebiatras, pois ao divulgarmos essa especialidade estamos trazendo para o debate a necessidade de sua presença em todos os equipamentos de cuidado básico à saúde.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL