PUBLICIDADE

Topo

Edmo Atique Gabriel

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sua saúde depende de seus hábitos e de suas manias; veja 10 exemplos

Istock
Imagem: Istock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Edmo Atique Gabriel

Professor livre-docente na Unilago (União das Faculdades dos Grandes Lagos), palestrante, especialista em cirurgia cardiovascular com aprimoramento em centros como Harvard Medical School e Cleveland Clinic e pós-graduado em nutrologia médica pela Abran (Associação Brasileira de Nutrologia).

Colunista do VivaBem

25/09/2021 04h00

Muitas vezes ouvimos que algumas pessoas têm hábitos e outras pessoas têm manias. Será que os hábitos e as manias, do ponto de vista da rotina diária, representariam as mesmas situações ou eventualmente seriam cenários completamente distintos? Mais do que isso: qual seria a influência de hábitos e manias em nossa saúde, principalmente no tocante à qualidade e longevidade de nossa saúde?

Primeiramente, quero destacar que os hábitos e as manias de um ser humano nem sempre irão ocasionar graves problemas de saúde. Logo, conservar ou não certos hábitos e manias, desde que esses não estejam impactando negativamente nossa saúde, seria uma decisão pessoal.

Mas a questão que pode nos afligir é o fato de alguns hábitos e algumas manias serem capazes de gerar, rápida ou gradativamente, efeitos colaterais em nosso corpo, produzindo diferentes doenças e comprometendo nossa qualidade de vida. Os hábitos poderiam ser interpretados como atitudes rotineiras, independentemente se essas atitudes agregam ou desagregam para nosso bem-estar. Já as manias poderiam ser consideradas como aquelas atitudes mais pontuais e que nem nós mesmos conseguimos justificar de forma clara como surgiram. Vamos aos exemplos.

Muitas pessoas, ao longo de suas vidas, acostumaram-se com a rotina de acordar cedo, fazer uma refeição leve e na sequência praticar alguma atividade física. Este é um hábito concreto e que contribui para a autoestima e bem-estar. Por outro lado, uma pessoa pode ter esse hábito saudável e desenvolver uma atitude "nova" ou uma mania de sair de casa e não se preocupar com horário de sua chegada ao trabalho.

Ela tem um hábito muito saudável de praticar exercícios físicos pela manhã, mas acaba chegando sempre atrasado ao trabalho, o que pode gerar constrangimento e estresse em suas relações profissionais. Veja que o efeito positivo de uma atitude pode ser anulado parcial ou totalmente por uma outra atitude. Um hábito saudável sendo prejudicado por uma mania.

Dessa forma e, a partir desse exemplo, fica mais claro que os hábitos geralmente poderiam e deveriam ser melhores direcionados para a preservação de nossa saúde. Teríamos de exercer maior autocontrole sobre nossos hábitos. As manias, por sua vez, tendem a retratar circunstâncias de nosso comportamento, mais difíceis de um autocontrole e com maior risco de promover agravos e doenças ao longo de nossa vida.

Quero apresentar a vocês uma lista de hábitos e manias que costumam estar presentes em nossas vidas. Procurem avaliar, quantitativa e qualitativamente, o quanto cada de um vocês está agindo a favor ou contra sua própria saúde. Depois desta análise, reflita se a sua saúde já está dando indícios de enfraquecimento e, como medida urgente, estabeleça uma mudança de rota em sua vida, por meio de sua força de vontade e também com auxílio de profissionais experientes.

1) Você é portador de hipertensão arterial e tem o hábito de comer alimentos com baixo teor de sal e tomar medicamentos nos horários corretos. No entanto, vai viajar e, por ser "mais fácil e prático", decide que irá tomar os medicamentos de controle da pressão arterial de uma única vez, num único horário. Sua pressão arterial, que antes estava bem controlada, agora simplesmente desabou, você está sentindo tonturas, visão embaçada e muita fraqueza.

2) Você é portador de diabetes e usa regularmente insulina. Tem o hábito de se alimentar de forma regrada, priorizando as três principais refeições. Mas você decide que precisa emagrecer e, para isso, passa a ter a mania de não tomar café da manhã ou eventualmente não almoçar. A partir dessa decisão, você começa a se queixar de muita fraqueza, prostração e episódios de sudorese fria. Todos estes sinais e sintomas demonstram que você está apresentando episódios de hipoglicemia.

3) Você tem o hábito de comer exageradamente, está com sobrepeso, sua saúde já está com sinais de comprometimento importante. Num certo momento, você decide emagrecer e começa a fazer sua própria dieta, do seu jeito, sem nenhum tipo de orientação especializada. Você adquire a mania de comer apenas proteínas de origem animal e gorduras, passando a frequentar as churrascarias quase todos os dias. Com o passar do tempo, você consegue emagrecer um pouco mas suas taxas de colesterol ficam elevadíssimas no sangue e alguns sintomas sugestivos de entupimento de artérias do coração começam a aparecer.

4) Você sabe o quanto o sono noturno é essencial para a qualidade de vida, para nossas funções hormonais e para a nossa imunidade. No entanto, você adquire a mania de comer certos alimentos bem tarde da noite e consumir alguns produtos mais estimulantes, ricos em cafeína. Nos primeiros dias, não muda muito o perfil de seu sono, mas, após uma semana, seu sono fica sobressaltado, sem o descanso adequado.

5) Você tem o hábito de ler jornais e revistas todos os dias, mas não se preocupa com a luminosidade do ambiente. Insiste nesse hábito e desenvolve uma mania de ficar olhando mensagens no celular mesmo que o ambiente esteja muito escuro. Certo dia, você acorda com muita dor de cabeça e seus olhos ficam lacrimejando ao longo do dia.

6) Você é amante de esportes radicais e de algumas práticas mais arriscadas, como escalar montanhas, saltar de paraquedas etc. Sua autoconfiança aumenta de tal forma que você passa a desenvolver a mania de não usar os equipamentos de segurança adequadamente. Numa destas oportunidades, você se fere gravemente, correndo o risco de perder, em definitivo, todos os movimentos de braços e pernas.

7) Você faz parte dos grupos de maior risco para a covid-19. Mesmo assim, tem uma mania de não aceitar os fatos e não quer tomar vacinas de forma alguma. Todas as pessoas mais próximas de você estão vacinadas, mas você insiste em resistir. Infelizmente você desenvolve a virose causada pelo coronavírus, com severo comprometimento dos pulmões e necessidade de intubação imediata.

8) Você tem o hábito de fumar há muitos anos, mesmo sabendo dos riscos que o tabagismo impõe a sua saúde e a saúde das pessoas que convivem com você. Em algumas oportunidades, você conseguiu abandonar o vício por meses, mas acabou fraquejando e retomando esta prática. Sua vida segue então desta forma, com esta mania de largar o vício e logo depois sucumbir, correndo o risco de, em algum momento, surgir alguma doença como câncer ou infarto do coração.

9) Você tem o hábito de ingerir bebidas alcoólicas, geralmente com moderação. Mas você tem a mania de extrapolar na quantidade de bebida sempre que seu time de futebol preferido vai jogar. Como você é jovem, acha que seu corpo e seus órgãos suportam o impacto da excessiva quantidade de álcool circulante em seu sangue e mantém esta prática, sem nenhum tipo de preocupação. Num certo dia, após mais uma ingestão alcoólica volumosa, seu abdome distende, você começa a vomitar sangue e sua condição clinica fica extremamente deteriorada, necessitando de uma cirurgia de emergência.

10) Você aprecia muito dirigir em estradas e costuma andar em alta velocidade, sempre apostando na estrutura de seu carro. No entanto, você tem a mania de não usar o cinto de segurança e também a mania de ficar usando seu telefone celular enquanto está dirigindo. Numa certa ocasião, você perde o controle do veículo, sofre graves ferimentos e fica com muitas sequelas no corpo.

Nossa vida é pautada basicamente pelo equilíbrio ou desequilíbrio em um universo de hábitos e manias. Temos a plena consciência do que estamos fazendo e de nossas escolhas, em quase todas as situações. No entanto, o comodismo muitas vezes predomina e a qualidade de nossa saúde fica esquecida, talvez sendo lembrada apenas quando a gravidade de uma certa doença torna-se extrema.

O hábito de adotar práticas mais regradas, mais prudentes e mais repletas de bom senso pode garantir melhor qualidade de vida, longevidade e plenitude para nós e indiretamente para todos aqueles que convivem conosco ou que dependem de nós. A mania de vulgarizar a qualidade de sua saúde, achando que tudo acontece com os outros e não com você, pode encurtar sua vida, acabar com os sonhos e impedir a produtividade. Vamos refletir!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL