PUBLICIDADE

Topo

Edmo Atique Gabriel

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Dor nas costas pode ser alerta de um problema cardiovascular; saiba quando

iStock
Imagem: iStock
Edmo Atique Gabriel

Professor livre-docente na Unilago (União das Faculdades dos Grandes Lagos), palestrante, especialista em cirurgia cardiovascular com aprimoramento em centros como Harvard Medical School e Cleveland Clinic e pós-graduado em nutrologia médica pela Abran (Associação Brasileira de Nutrologia).

Colunista do UOL

29/05/2021 04h00

Existem algumas áreas em nosso corpo que são alvo de muita tensão física e mental. Desta forma, comumente nos deparamos com sintomas que, de tão corriqueiros e recorrentes, acabam sendo pouco valorizados por nós mesmos e perdem sua importância em meio às atividades do cotidiano.

Aí que reside o cerne do problema e do perigo —achar que aquilo que parece ser recorrente não tem tanto valor e deixar escapar a chance de diagnosticar um problema de saúde sério, que está em curso há certo tempo.

Claramente isto significa deixar de tratar algo mais grave e que pode inclusive matar.

Dentre tantas situações e sensações em nosso cotidiano, destaca-se a dor nas costas, que pode estar localizada mais na região do pescoço ou também na porção média das costas. Num primeiro momento, quase que de forma instintiva, a dor nas costas adquire um significado muito simples: dor muscular, postura errada ao sentar ou deitar ou mesmo um esforço físico exagerado na academia.

Pronto: o diagnóstico já está feito e o tratamento será compatível, portanto usando medicamentos analgésicos, relaxantes musculares e anti-inflamatórios. Nada mais do que isso na maioridade das vezes.

O ponto crítico é quando esta dor nas costas não segue a linha das coisas mais comuns, mais típicas. E pior de tudo, quando não segue a linha das coisas típicas e representa um grave problema cardiovascular que está em curso e precisa urgentemente ser reconhecido e tratado.

Vamos aos fatos para que fique mais claro. Vou destacar três condições patológicas nas quais a dor nas costas está presente de forma atípica, mas podendo ser um indício de que precisamos literalmente correr para o hospital.

Condição 1: infarto do coração

Quando uma pessoa agudamente começa a se queixar de uma dor forte, localizada no lado esquerdo do tórax, irradiando para o braço esquerdo e estando associada com sudorese fria e sintomas digestivos, pensamos em infarto do coração de imediato. Como falei anteriormente, é algo quase que instintivo.

Como o infarto do coração consiste numa alteração do fluxo sanguíneo em um segmento do coração, e o coração por sua vez pode ser dividido em segmentos anteriores, laterais e posteriores, podemos nos deparar com um infarto mais posterior, que poderia gerar sintomas como uma aparente dor nas costas.

Infarto do coração é um infarto em qualquer segmento do músculo cardíaco, a condição patológica é a mesma, sendo necessário o diagnóstico precoce e automaticamente a implementação de um tratamento imediato.

A dica é: se você sentir dor nas costas que não passa com nada, que está associada com sudorese fria, palidez e sintomas digestivos, você pode estar tendo um infarto e precisa, portanto, de uma assistência médica imediata.

Condição 2: tromboembolismo pulmonar

Há cerca de 2 meses, um colega médico postou em suas redes sociais as fotos da comemoração de seu aniversário de casamento. Ele e esposa estavam curtindo as praias do Nordeste, muito felizes por mais um ano juntos e uma família constituída com muito amor e dedicação.

Por volta de meio-dia daquele dia, ele posta uma foto de sua esposa brincando na piscina do hotel junto com os dois filhos. Às 18h daquele dia, ele posta uma mensagem dizendo que estava em São Paulo, acabara de pousar em Congonhas e estava indo levar a mulher para um hospital.

Sua esposa começou a sentir forte dor nas costas, com muita falta de ar associada. Por volta das 21h daquele mesmo dia, uma mensagem bombástica e muito triste: sua esposa estava morta, apresentou parada cardíaca devido à formação de grande quantidade de trombos (coágulos) nas artérias do pulmão. O sofrimento para o marido e os filhos vocês já podem imaginar.

Fica a dica: uma dor nas costas muito forte, com falta de ar importante, pode ser algo muito sério chamado tromboembolismo pulmonar. Tem de levar logo para o hospital pois, ainda assim, a chance de salvamento poderá ser relativa.

Condição 3: aneurisma e dissecção da aorta

A maior artéria de nosso corpo chama-se aorta. Ela consiste em uma longa tubulação, que nasce dentro do coração, estendendo-se por todo nosso corpo por meio de ramificações diversas para vários órgãos. Nossa vida depende plenamente desta grande artéria.

Por questões genéticas ou em decorrência de fatores como obesidade, tabagismo, hipertensão arterial e diabetes, esta artéria pode dilatar bastante, com um risco de rotura iminente, configurando um aneurisma de aorta.

Em outros casos, esta grande artéria composta por camadas de tecido pode, ao invés de dilatar, simplesmente se fragmentar, ou seja, uma camada começa a se soltar da outra camada —isto se chama dissecção da aorta.

Em geral, a pessoa está bem e, ao praticar alguma atividade física como corrida ou futebol, começa a sentir subitamente uma dor nas costas dilacerante, associada a perda da força ou da sensibilidade nos braços ou pernas.

Como se o braço ou perna ficassem "bobas" durante alguns minutos. Dependendo do local de rotura do aneurisma ou do local de dissecção da aorta, nosso coração poderá não suportar a grande perda de sangue ou os efeitos compressivos do sangue extravasado, levando a morte em pouco tempo.

Fique atento ao seu corpo

Não podemos subestimar em momento algum quando sentirmos dor nas costas em associação com sintomas muito representativos de patologias cardiovasculares de alto risco de morte.

Devemos evitar automedicação nestes casos, buscar ajuda médica imediatamente, pois o salvamento, quando possível, depende de um diagnóstico precoce e a implementação de terapias agressivas.

Não tenham vergonha de manifestar seus sintomas para quem está ao seu lado e principalmente para seu médico. Não esperem que nosso corpo sinalize tudo de mais comum e típico no tocante a uma dor nas costas.

Cada um de nós tem de estar atento aos seus sintomas, se a dor é de forte intensidade, se tem algo que melhore ou piore e quais são as manifestações que acompanham o quadro.

Dor nas costas, na maioria das vezes, não é de natureza cardiovascular, mas quando for, precisamos colocá-la como nossa prioridade.

Para saber mais sobre a saúde do coração, me acompanhe no Instagram: @edmoagabriel.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL