Topo

Alimentos são aliados naturais para controle da pressão arterial

iStock
Imagem: iStock
Edmo Atique Gabriel

Professor livre-docente na Unilago (União das Faculdades dos Grandes Lagos), conselheiro de Comissão Nacional de Residência Médica do MEC (Ministério da Educação), especialista em cirurgia cardiovascular, com aprimoramento em centros como Harvard Medical School e Cleveland Clinic, e pós graduado em nutrologia médica pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia)

Colunista do UOL

17/11/2019 04h00

A hipertensão arterial representa um fator de risco cardiovascular silencioso, com sintomas muito inespecíficos e complicações muito graves, como infarto do miocárdio e AVC (acidente vascular cerebral). Essa dificuldade na identificação dos sintomas faz com que a pressão alta só seja adequadamente tratada de forma muito tardia, quase na iminência de um evento cardiovascular fatal.

No contexto do tratamento da hipertensão, antes mesmo de se pensar em medicamentos complexos e associações entre medicamentos e terapias mais modernas, deve-se avaliar, com muita propriedade, o padrão alimentar das pessoas. Muitas vezes, um ajuste da rotina alimentar pode ser suficiente para melhorar e até normalizar os níveis diários da pressão arterial —mas se não forem, é importante aceitar e investir na medicação.

Do ponto de vista nutrológico, uma primeira medida preventiva na contenção de níveis de pressão elevados e incentivar que as pessoas mantenham a rotina de três refeições principais diárias —além dos lanches intermediários que devem ser compostos principalmente por frutas. Essa prática é mais salutar para o ritmo intestinal, para o funcionamento dos rins e para o metabolismo energético. Com isso, o organismo pode por si só manter auto-equilíbrio da pressão, sem grandes variações.

O conhecimento das propriedades e efeitos colaterais do consumo dos alimentos também é um forte aliado no controle da pressão arterial. Vale ressaltar que os alimentos possuem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antimicrobianas. Logo, o segredo é saber escolher os melhores alimentos.

Algumas recomendações quantitativas e qualitativas acerca dos alimentos devem ser seguidas rotineiramente, permitindo dessa forma um melhor controle da pressão arterial:

  • Alimentos ricos em água facilitam a diurese e a eliminação de toxinas. Exemplos: vegetais como pepino e algumas frutas como melão e melancia;
  • Priorize alimentos com baixo teor de sódio e evite os refrigerantes, carnes e frios processados e defumados, alimentos contendo aditivos ou temperos artificiais;
  • Evite alimentos ou líquidos ricos em cafeina e xantinas. Para isso é importante reduzir consumo diário de café, alguns tipos de chá (chá verde , cha mate), chocolates com baixo teor de cacau, bebidas energéticas e refrigerantes ricos em estimulantes (como os do tipo cola);
  • Evitar alguns alimentos como pipoca muito salgada ou doce, amendoim, batata em pacotes, biscoitos e salgados;
  • Muita atenção para alimentos ricos em ácido úrico, uma vez que seu excesso contribui para elevação da pressão arterial . Alguns alimentos ricos em ácido úrico são feijão, algumas frutas como a uva, carnes vermelhas, vísceras, molhos gordurosos, queijos gordurosos e frutos do mar.

Um acompanhando periódico com um cardiologista e até mesmo com um nutrólogo permite alinhar algumas orientações dietéticas com alguma recomendação medicamentosa.

Nos dias atuais é possível adotar hábitos de vida saudáveis por meio da escolha dos melhores alimentos, prevenindo desta forma complicações como a hipertensão arterial.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Edmo Atique Gabriel