Topo

Edmo Atique Gabriel


A saúde do coração começa nos dentes

iStock
Imagem: iStock
Edmo Atique Gabriel

Professor livre-docente na Unilago (União das Faculdades dos Grandes Lagos), conselheiro de Comissão Nacional de Residência Médica do MEC (Ministério da Educação), especialista em cirurgia cardiovascular, com aprimoramento em centros como Harvard Medical School e Cleveland Clinic, e pós graduado em nutrologia médica pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia)

Colunista do UOL

25/08/2019 04h00

Sabe qual é a primeira medida preventiva para garantia de uma boa saúde cardiovascular? Alguns responderão que seria a prática regular de exercícios físicos. Outros diriam que seria evitar o consumo exagerado de doces, gorduras e frituras. Ocorre que, antes destas condutas não menos importantes, existe algo primordial : nossa saúde bucal.

Mas qual a relação entre a saúde bucal e o bem-estar de nosso coração? Pois bem, esta relação talvez seja ainda subestimada, mas posso garantir a vocês que o desfecho de uma infecção dentária com repercussão cardiovascular costuma ser fatal.

Em outras palavras, quero enfatizar que uma infecção dentária e as recorrentes manipulações que são necessárias para tratamento do processo podem acabar em uma gravíssima repercussão cardiovascular denominada endocardite.

A endocardite significa que bactérias presentes numa infecção dentária são liberadas em nossa circulação sanguínea, após manipulações terapêuticas por parte do dentista, alojando-se em algumas estruturas do coração, como membranas e válvulas cardíacas.

A endocardite das válvulas cardíacas promove corrosão e disfunção do tecido valvular. Na maioria dos casos, o indivíduo começa a apresentar febre, muito cansaço, palpitações e, no exame clínico, o cardiologista constata a presença de um " sopro" no coração.

Daí em diante, as coisas se tornam mais tenebrosas. O indivíduo vai ser internado, tomar medicamentos pelas veias, como antibióticos e medicamentos para controle da pressão arterial e dos batimentos cardíacos. Em um razoável número de casos, o tratamento deverá ser complementado com uma cirurgia cardíaca de grande porte, que visa remover o foco infeccioso presente na válvula cardíaca. Muitas vezes, esta remoção de foco infeccioso consiste na substituição das válvulas por próteses, tendo em vista a considerável degeneração do tecido valvular.

Diante de tudo que foi pontuado, quero ressaltar que existe uma forma simples e objetiva de evitar esta catástrofe causada por uma infecção dentária. Consulte seu cardiologista e seu dentista, no tocante à necessidade de tomar antibióticos de forma profilática, todas as vezes que você precisar fazer um tratamento dentário. Este uso profilático de antibióticos significa que você vai tomar apenas alguns comprimidos, geralmente na véspera do procedimento dentário, no dia do procedimento e também algumas horas após o procedimento.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.