PUBLICIDADE

Topo

Taise Spolti

'Eu me canso mais na escada': entenda diferença entre aparelhos aeróbicos

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Taise Spolti

Formada em educação e em nutrição, Taise Spolti é ex-fisiculturista e participou do programa Masterchef, da Band. Em sua coluna, traz receitas que aliam ingredientes saudáveis à gastronomia, além de mostrar como a alimentação equilibrada, a prática de exercícios e outros bons hábitos são essenciais para trilhar o caminho da saúde e do bem-estar físico e mental.

Colunista do UOL

16/01/2022 04h00

Em um dia, seu treinador manda você terminar o treino com 40 minutos de esteira. No outro, pede para fazer 10 minutos de escada e, em outro, 30 minutos de transport, e também, uns 20 de bike. Talvez você não tenha percebido, mas seu treinador quer testar todos seus limites.

Mas cada um desses aparelhos aeróbicos desempenha um tipo específico de movimento, e cada conjunto de movimentos vai exercer uma sobrecarga diferente no seu corpo. Por isso, você pode achar que fazer escada é muito mais difícil que fazer corrida, ou então achar o transport (elíptico) mais fácil do que uma bike.

O seu treinador sabe a diferença, e também como está sua rotina de treinos e objetivos, e é por isso que ele monta um plano de treinos especifico para que você acabe realizando tanto tempo em um aparelho em determinado dia.

Para facilitar o seu entendimento sobre as diferenças, separei algumas dicas e pontos importantes sobre cada um dos principais aparelhos encontrados em academias. Isso também vai facilitar na hora de escolher qual se encaixa melhor na sua rotina caso não tenha ainda o auxilio de um profissional. Confira:

Esteira

A esteira é a mais tradicional, usada para todo e qualquer tipo de objetivo, público ou situação. Ela faz com que a marcha da caminhada ou da corrida tenha o impacto absorvido, sendo então mais segura que o exercício na rua.

Exercício para emagrecer, caminhada na esteira - iStock - iStock
Imagem: iStock

Sua biomecânica promove liberdade de movimento de todas as suas articulações e membros, é a marcha natural da sua caminhada e da corrida que está acontecendo ali, mas de forma que você pode controlar a velocidade e a inclinação. Sendo assim, a atividade só se torna intensa quando você ajusta essas variáveis.

Como nosso corpo já está apto a fazer essa marcha desde que aprendemos a caminhar, a esteira acaba sendo o tipo de exercício com mais facilidade de realização, e se torna a opção também mais prática quando queremos que o indivíduo desenvolva capacidade cardiorrespiratória, resistência, velocidade.

Ela tem um tipo único de especificidade no atleta, que é a corrida, assim como a bike e o remo, pois os atletas dessa modalidade treinam suas habilidades e intensificam suas capacidades através destes aparelhos.

Remo

Assim como na esteira, o aparelho remo também possui uma especificidade para o atleta de remo, que consegue treinar a habilidade e força para provas. Fora isso, o aparelho vem ganhando cada vez mais espaço nas academias pela sua alta complexidade e exigência muscular em vários membros, sendo então um exercício aeróbico de alta intensidade.

remo ergométrico, remar - iStock - iStock
Imagem: iStock

Ganhou muita visibilidade com a chegada do Crossfit no Brasil há muitos anos atrás, mas vem sendo usada inclusive em planos de recuperação muscular após lesão.

O aparelho promove alta exigência cardiorrespiratória, força de membros (especificamente braços, ombros, dorsal e lombar) e também força de abdômen, o que faz com que muitas pessoas encontrem bastante dificuldade na execução, que também exige sincronismo entre braços e pernas.

O remo acaba sendo, então, um exercício de alta intensidade, praticado por menos tempo, e é geralmente indicado ao final do treino funcional ou de musculação, e também pode ser usado como estratégia para programas de emagrecimento e perda de peso intra-treino, em circuitos e bi-set com outros exercícios.

Escada

Eleito como o 'pior' entre meus alunos, a escada promove um alto gasto energético pela mecânica do movimento, que é 'empurrar para cima'. Mesmo que a escada seja ergométrica (simulador), seus membros inferiores estão sempre realizando força de empurrar seu corpo para cima, e isso acontece com todas as musculaturas envolvidas na marcha, desde seu abdome e lombar, até a fáscia plantar.

Mulher subindo escada na academia - andresr/Istock - andresr/Istock
Imagem: andresr/Istock

Outra característica é que, como os membros inferiores são exigidos de forma intensa, em um exercício predominantemente aeróbico, o seu coração e o seus pulmões precisam fazer com que o fluxo sanguíneo se mantenha mais intensificado na parte inferior do seu corpo.

Essa demanda sobrecarrega seu metabolismo e faz com que o tempo que você permanece em exercício seja menor, ou então mesmo que seja os mesmos 40 minutos de caminhada na esteira, acabe sendo muito mais intenso e difícil que outros.

Para indivíduos cardiopatas, é bom lembrar que essa carga no coração ocorre, então não realize sem o acompanhamento, e treine sua aptidão e resistência em outros aparelhos antes de iniciar sua rotina na escada.

Transport (elíptico)

Esse aparelho tem muitas vantagens, não apenas pela ergonomia dele, mas pela possibilidade de variações de movimento, que pode vir desde o movimento auxiliar entre braços e pernas como num esqui, ou isoladamente em membros inferiores.

elíptico, academia, treino, exercício - iStock - iStock
Imagem: iStock

Outra possibilidade está na amplitude de movimento, que pode ser mais leve como um deslizar de pernas, ou então de maior amplitude imitando uma escalada de montanhas, e fazendo com que suas musculaturas de pernas e glúteos tenham que fazer força para empurrar seu corpo para cima.

Esse aparelho é excelente para programas de emagrecimento, e também para quem está em hipertrofia e deseja realizar exercício aeróbico com alta demanda de força de membros.

Você pode ajustar a intensidade colocando mais velocidade e menos carga, ou mais carga e amplitude e menos velocidade. Também é vantajoso para quem pratica esportes como a escalada, mountain bike e esqui.

Bike (spinning ou ergométrica)

Também entra na lista dos aparelhos que são vantajosos para atletas, afinal, quem pratica ciclismo ou mountain bike precisará treinar suas habilidades em bikes ergométricas em algum momento do seu plano de treinos.

Spinning - iStock - iStock
Imagem: iStock

Não é porque estamos sentados que ela é mais fácil. Sim, ela é muito segura e geralmente é a mais indicada para treinamento em idosos, reabilitação, pós-operatório, mas também tem alta exigência cardiorrespiratória a depender do treino que você executará em cima dela.

Com a bike, você consegue realizar plano de treino de força, sprint (que pode ser uma estratégia de emagrecimento dentro do HIIT), resistência (trabalhando com a quilometragem e tempo) e maior gasto energético.

Para que ela seja eficiente, o ideal é que você peça auxilio ao treinador para ajustar adequadamente a sua postura com o pedal e o banco da bike.

Recado importante

Procure orientação do treinador. O profissional de educação física é o único apto a prescrever exercícios e planos de treinos —seja qual for o seu objetivo final, emagrecer, hipertrofiar, definir, reabilitar.

Os exercícios aeróbicos e cardiorrespiratórios são importantíssimos pois desempenham papel fundamental na saúde do seu coração, pulmões e metabolismo como um todo. Não esqueça de sempre se alongar e aquecer seu corpo antes das atividades.