PUBLICIDADE

Topo

Taise Spolti

Comeu e bebeu no fim de ano? Não exagere nos exercícios para compensar!

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Taise Spolti

Formada em educação e em nutrição, Taise Spolti é ex-fisiculturista e participou do programa Masterchef, da Band. Em sua coluna, traz receitas que aliam ingredientes saudáveis à gastronomia, além de mostrar como a alimentação equilibrada, a prática de exercícios e outros bons hábitos são essenciais para trilhar o caminho da saúde e do bem-estar físico e mental.

Colunista do VivaBem

02/01/2022 04h00

Desde antes do Natal, vejo perfis na internet ensinando técnicas para amenizar os "estragos" provocados pelo excesso de comida e bebida nas festas de fim de ano. Mas investir em exercícios intensos ou protocolos "detox" não é algo positivo e vou explicar o porquê.

O excesso de comida, de bebida e a falta de uma noite adequada de sono (coisas comuns no final de ano) obrigam nosso organismo a sair de seu estado de performance ótima e iniciar um processo de combate a vários agentes nocivos, como o álcool, o excesso de açúcar, de sal ou de frituras e os radicais livres presentes no corpo em maior índice após algumas horas de festa e comilança.

Nesse momento de "agressão anormal", por assim dizer, o corpo para de fazer a manutenção fisiológica para combater agentes naturais, que está acostumado a enfrentar em sua rotina, e parte para um intenso processo pró-inflamatório, a fim de restabelecer o equilíbrio —aqui, podemos incluir a eliminação de toxinas provenientes do consumo de substâncias sintéticas, drogas ou alimentos ultraprocessados; restabelecer o equilíbrio hídrico; reduzir inflamações vindas de alimentos cheio de gordura, açúcar e/ou sal; metabolizar e eliminar o álcool; reparar danos celulares; combater e eliminar possíveis agentes patológicos que você nem imagina que pode ter contraído (vírus, bactérias, toxinas, fungos).

O cenário é, sim, ruim, mas nosso corpo tem capacidade para combater tudo isso de forma excelente quando está em estado saudável, ativo —e, caso não esteja, ainda assim conseguirá restabelecer o equilíbrio, de forma mais demorada, mas conseguirá.

Cuidado para não atrapalhar esse processo

Como você viu, após uma noite de exageros o nosso organismo tem um trabalho árduo. E algumas atitudes que as pessoas costumam tomar no dia seguinte, achando que vão compensar os excessos, acabam atrapalhando ainda mais o corpo.

É por isso que no dia seguinte a uma festa você não deve fazer exercícios intensos —e também não deve fazer jejum, tomar diuréticos ou consumir alimentos muito calóricos, com o intuito de "colocar energia para dentro" (frase que eu escuto muito).

O exercício físico tem um único objetivo no nosso metabolismo: instalar o desequilíbrio. Ele é capaz de causar inflamação, déficit calórico e gerar sinalização para respostas metabólicas. Isso em situações "normais" é bom: reforça nosso sistema imunológico naturalmente, faz com que nossas sinalizações e receptores fiquem mais treinados, rápidos, responsivos, de um modo geral e simplista.

Porém, ao realizar um exercício físico no dia ou manhã seguinte a uma festa, com o objetivo de "gastar a energia que consumiu em excesso" para "amenizar o estrago" ou "suar para eliminar toxinas", você vai causar um dano ainda maior no organismo, pois ele não consegue atenuar de única vez tantos processos inflamatórios (no caso, os provocados pelos excessos e os pela atividade física).

Sabe quando estamos doentes e a orientação é descansar? Aqui é o mesmo sentido. No descanso nosso corpo consegue se reequilibrar, consegue metabolizar o álcool que estará circulante, consegue eliminar o excesso de radicais livres e voltar ao estado normal de hidratação (se você consumir água, claro)

Caso você se exercite isso, será o oposto. Você vai se desidratar ainda mais e, a depender de como é seu estado físico e de saúde neste momento, é muito provável que você cause uma queda na sua resposta imune natural, ficando bem mais suscetível a infecções.

O que fazer caso você tenha ultrapassado os limites?

  • Beba água, ao menos 600 ml a mais do que você já está acostumado (e se o estrago foi grande, pode chegar a 1 litro a mais, pelo menos);
  • Aumente o consumo proteico ao longo do dia;
  • Coma alimentos folhosos e ricos em água, como frutas frescas.
  • Descanse! Não será uma caminhadinha leve pela manhã que vai minimizar os prejuízos do exagero ou cortar a ressaca. Seu organismo terá um grande trabalho para metabolizar e eliminar todas as toxinas ingeridas e o ideal é que você priorize o descanso e a hidratação, para deixar o corpo fazer a parte dele.

Foi muito bom ter vocês aqui comigo ao longo de 2021, debatendo vários assuntos sobre saúde e comportamento. Que neste 2022 tenhamos mais notícias boas e mais motivos para falar de saúde, não de doença. Contem comigo para sempre trazer informações de qualidade. Estarei por aqui com vocês e desejo que este ano que está começando seja maravilhoso para todos nós e nossos familiares.