PUBLICIDADE

Topo

André Souza

Terminou? Veja 4 dicas para lidar com o fim do relacionamento

Priscila Barbosa/VivaBem
Imagem: Priscila Barbosa/VivaBem
André Souza

André Souza é neurocientista e pós-doutorado em psicologia cognitiva pela Universidade do Texas em Austin (EUA). Atuou como professor visitante e pesquisador de pós-doutorado no Departamento de Psicologia da Universidade Concordia em Montréal (Canadá) e no Departamento de Psicologia da Universidade do Texas em Austin

Colunista do UOL

23/10/2020 11h49

Terminar um relacionamento amoroso nunca é uma coisa agradável. Todo mundo que já passou por isso sabe. E não importa se era um relacionamento virtual ou físico, se durou um mês ou 10 anos: os sentimentos de perda, abandono, tristeza, rejeição e solidão parecem ser universais. Além disso, eles parecem que nunca vão passar.

A boa notícia é que, sim, essas sensações vão passar. A má notícia é que não existe uma fórmula eficaz que diga quando isso vai acontecer. Pode durar um mês, um ano ou até mesmo vários anos.

Mesmo não existindo um método que vai magicamente acabar com esses sentimentos ruins, algumas coisas podem ser feitas para aliviar um pouco os efeitos negativos do término.

Por que ficamos tristes?

Mesmo que inconscientemente, quando escolhemos alguém para namorar ou casar, geralmente vemos naquela pessoa algo que tem a ver com a gente: características físicas que você aprecia, ela se comporta socialmente de uma maneira que você acha "fofinha", dá o tipo de carinho e conforto que você espera de alguém. Independentemente do que seja, gostar de alguém significa se identificar com aquela pessoa de alguma forma.

Para o nosso cérebro, essa identificação é crucial na produção de substâncias como dopamina, serotonina, norepinefrina e oxitocina, que, juntas, vão criar a sensação de atração e apego que sentimos pela pessoa. Vale ressaltar que, quando há sexo envolvido, o efeito dessas substâncias pode ser ainda mais acentuado. Existe evidência, por exemplo, que após a relação sexual o corpo produz uma quantidade grande de oxitocina, hormônio responsável pelo sentimento de apego e segurança que temos pelas outras pessoas.

Quando o relacionamento acaba, esses sentimentos perdem o seu suporte. Uma área do cérebro chamada VTA (que é responsável por monitorar o que faz você se sentir bem) começa a querer de volta aquilo que o fazia se sentir bem (no caso, o(a) seu(sua) ex). Como resposta, o cérebro produz cortisol, que ajuda no controle do estresse, mas que quando produzida em altas quantidades têm efeitos colaterais desagradáveis, como falta de sono, cansaço constante, péssimo hábito alimentar, vontade de comer doces o tempo todo, ansiedade, falta de apetite sexual, dores de cabeça etc.

Perceba que esses são exatamente os sintomas que sentimos quando nosso relacionamento com a pessoa que a gente gosta acaba. Além disso, há indícios de que altos níveis de cortisol no nosso organismo faz com que as memórias mais profundas venham à tona de maneira mais rápida. Isso explica o motivo pelo qual nunca conseguimos parar de pensar nas experiências que vivemos com a pessoa com quem terminamos. Ela simplesmente não sai da nossa cabeça —às vezes até sonhamos com ela.

Mas o que podemos fazer para lidar com isso?

Como eu disse antes, não existe uma receita única que vai funcionar rápido e para todo mundo. O tempo é o seu melhor amigo, mas você pode fazer algumas coisas que vão ajudá-lo a lidar com esses sentimentos de uma maneira melhor.

Não tente esconder o que você está sentindo

No começo é sempre ruim mesmo. O maior segredo é: fique na fossa. Esse período de tristeza é necessário e inibir sentimentos gasta muita energia do nosso sistema cognitivo, portanto, deixe-os acontecer. Chore se tiver que chorar, fique sozinho(a) se tiver que ficar sozinho(a), não tente parecer forte quando você não está forte.

Você só vai conseguir pensar mais racionalmente sobre o término depois que toda essa carga emocional deixar de ocupar sua cabeça. Com o tempo, seu sistema cognitivo começará a se adaptar a essa nova situação e você vai notar que a vontade de chorar será menor e a de se isolar nem vai ser tão forte assim.

Cuide da alimentação

No fim das contas, é tudo uma questão de equilíbrio bioquímico no seu corpo. Por mais que você queira comer todos os doces, bombons e chocolates do mundo, é importante evitar o excesso. Altos níveis de glicose e açúcar no organismo contribuem para a produção de mais cortisol. Quanto mais doce você comer, menos energia terá para cuidar da sua saúde mental pós-término. Coma alimentos com bastantes fibras, coma frutas e coisas verdes. A hora de abusar da salada é agora!

Faça exercício físico

Além de servir como um ótimo passatempo para forçar você a parar de pensar no(a) ex, exercitar seu corpo vai fazer com que ele produza mais endorfina, substância que ajuda no controle do estresse. Nem que seja uma caminhada de 30 minutos ou alguns polichinelos na sala de casa. Manter o corpo em movimento é importante.

Saiba que vai passar

Terminar um relacionamento sempre é ruim (até mesmo para quem decide terminar). E por mais que essas dicas pareçam bobas (e que você não perceba os efeitos delas logo no início), com o tempo, você vai notar a diferença: estará mais disposto(a) e encarar de frente e racionalmente o término do seu relacionamento. Quando você menos esperar, vai notar que esses sentimentos ruins acabaram e fazem parte do passado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.