PUBLICIDADE

Topo

Ageless

Conheça dieta e cuidados de Solange Frazão para lidar com o corpo aos 57

Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL
Silvia Ruiz

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Colunista do UOL

18/12/2020 04h00

Quando pensei nos convidados para o evento AgelessTalks que aconteceu há duas semanas (confira tudo que rolou aqui), um dos primeiros nomes que surgiu para o painel sobre menopausa foi o dela. Queria muito que uma mulher linda, considerada a primeira "musa fitness" do Brasil, falasse abertamente sobre um tema que ainda é tão tabu. Fiz uma enquete no meu Instagram (me siga lá também: @silviaruizmanga) e ela foi uma das mulheres mais citadas como exemplo da nossa geração que está vivendo os 50 em outros termos. Prestes a completar 58 anos, mãe de três filhos e já avó, Solange Frazão segue sendo uma mulher bonita, sexy, com o corpo em forma, muita disposição e realizada profissionalmente, tendo se tornado uma empresária de sucesso. E, sim, que também enfrenta os desafios da menopausa como qualquer outra mulher nessa fase.

Bati um papo com ela para entender como ela tem encarado o processo da maturidade e para mim foi surpreendente ver como ela vê tudo com muita serenidade. "Eu gosto de dizer que não é o fim do túnel, é o início de uma nova fase que é muito boa. Estou estabilizada, livre e feliz", diz ela. Afinal, a gente tende a achar que uma mulher como ela deve ter sido abençoada por Deus para chegar aos 58 tão plena ou passar o dia cuidando do corpo, porque a gente costuma olhar só para a aparência física. Mas Solange deixa logo claro que não é bem assim. "Eu estou até escrevendo um livro chamado Além do Corpo, porque as pessoas só conseguem me ver assim. Mas o meu bem-estar de hoje tem também tudo a ver com a maneira que eu encaro a vida, com a cabeça, com me aceitar."

Menopausa

"Comecei a ter ciclos irregulares aos 50 anos. Ficava meses sem menstruar e depois menstruava várias vezes. Também comecei a sentir calores de uma jeito estranho, como em uma viagem com minhas filhas em que fazia 3 graus e eu querendo tirar a roupa", diz ela entre risos. "Mas achei que era normal. Depois comecei a acordar de madrugada e perder o sono. Foi aí que fui buscar informações e fazer exames. Meu médico prescreveu uma reposição que eu faço até hoje, assistida de perto por ele. Essa reposição me ajudou muito a aliviar os sintomas. Hoje existem recursos para a gente lidar melhor com ela."

Atividade física

"Eu mudei muito a maneira que me exercito. Eu era muito mais solta antes, fazia de tudo, luta, esportes etc. Mas entendi que musculação a partir dessa fase passa a ser fundamental, então passei a me dedicar principalmente a ela. A gente perde muita massa magra, não podemos deixar isso acontecer. Então reduzi as outras atividades, até mesmo mesmo o cardio, e passei a fazer musculação de maneira rigorosa e pesada. Durante a pandemia, mesmo treinando em casa, acabei perdendo um pouco de massa magra e por isso voltei para a academia há um mês, com todos os cuidados para me proteger de Covid até porque eu tenho asma. Mas basicamente é isso, mudei para musculação forte porque quero chegar à velhice com força física."

Dieta e Suplementação

"Eu mudei muita coisa na minha alimentação nos últimos anos, a começar pelos doces e açucar, que eu não consumo há 11 anos. É um alimento infamatório, foi a melhor coisa que eu fiz. Mais recentemente também parei de consumir glúten e lactose e percebi que me sinto bem melhor, tenho muito menos inchaço do que tinha no passado. De novo, são alimentos inflamatórios. Eu passei a ir ao nutricionista porque a gente começa a ter uma absorção menor dos alimentos com o envelhecimento. Faço exames a cada seis meses para saber como esta a absorção e suplemento o que for necessário. Então começamos a suplementar vitaminas C e D , por exemplo, e eu consumo whey protein para complementar minha ingestão necessária de proteínas para construir músculos, até porque eu faço bastante musculação. Também venho tomando colágeno há um bom tempo. Eu reduzi também ingestão de frutas que aumentavam minha glicemia, e aumentei a de vegetais. Mas não deixo de consumir carboidratos, como batata e arroz integral. A minha perdição mesmo é pão, eu amo. Preciso me controlar para não exagerar. Jamais tomei anabolizantes e coisas do gênero, eu sou adepta de alimentação correta e suplementação somente do que é necessário"

Beleza e pele

"Sempre fui muito vaidosa, gosto de me cuidar, sempre usei cremes. A flacidez é o que mais incomoda nessa fase, mas a gente tem que lidar com ela, não tem muito jeito. Eu não gosto muito de exagerar nos procedimentos, jamais faria preenchimento no rosto, por exemplo. Mas faço Botox de leve (se bem que este ano não fiz nada, fiquei isolada em casa), já fiz aplicação do biostimulador de colágeno Sculptra e aplicação do aparelho Ulthera (ultrassom microfocado). Acho que isso tudo ajuda, mas não faz milagre. A gente tem que aprender a conviver com o envelhecimento se não quiser viver sofrendo.

Vida caseira e liberdade

"Eu sempre digo que a melhor coisa que a maturidade me trouxe foi a liberdade. Estou na metade da vida, faço o que eu quero, sou dona do meu nariz. Terminei um namoro de seis anos no começo de 2020 e estou passando a quarentena em casa. Mas eu tenho meus filhos, meus netos, não tem coisa melhor do que isso. Claro que é gostoso ter a companhia de um parceiro, mas hoje acho que minha liberdade vem primeiro. Adoro ficar sozinha, arrumar minha casa, ter meu canto do meu jeito. Eu gosto da minha própria companhia."

Eu volto em 2021 e recomendo que todos se inspirem na Solange neste momento de final de ano em que a gente reflete sobre o que quer mudar ou incluir na nossa rotina na virada. Cuidar do corpo e da mente e abraçar a idade com certeza seguem sendo meu propósito aqui no Ageless, no ano que vem. Vem comigo!