Topo

Coluna

Adriana Miranda


Adriana Miranda

Vida ativa é segredo para superar sinais do tempo; mas é sempre saudável?

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Adriana Miranda

Aos 62 anos, ela é palestrante e entusiasta da vida saudável e das atividades físicas. Procuradora aposentada do estado de São Paulo, está sempre em busca de segredos para ter mais disciplina, foco e determinação, para manter a saúde física e um estilo de vida leve e positivo.

Colunista do UOL VivaBem

13/03/2019 04h00

Quem me acompanha aqui pela coluna ou nas redes sociais e conhece minha trajetória já sabe que um dos meus segredos para manter a saúde e superar os sinais do tempo é me manter sempre ativa.

Entre os treinos, os cuidados com a alimentação, a família e, claro, o tempo dedicado a sempre trazer dicas e informações interessantes para quem se interessa por vida saudável e boa forma, dá para dizer que são relativamente poucos os momentos em que não estou em movimento, seja ele físico, seja ele mental. Porém, hoje eu gostaria de propor aqui uma reflexão e também um alerta: vocês já pararam para pensar que nem sempre uma vida ativa é sinônimo de uma vida saudável?

Pois é! No mundo atual tão corrido e focado em ganhos, lucros e "likes", pode ser fácil confundir uma rotina simplesmente movimentada com tratar bem de si mesmo. Afinal, se você está gerando resultados --e recebendo aprovação, seja pessoalmente, seja na forma das famigeradas curtidas digitais --, deve estar fazendo tudo certo, não é mesmo?

Nem sempre! Estudos já mostraram que no Brasil encontramos a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo, e somos o segundo país mais estressado, atrás apenas do Japão. Além disso, cerca de 30% da população economicamente ativa entre 25 e 65 anos sofre de sintomas típicos do desgaste e pressão da vida moderna, como complicações de ordem emocional ou mesmo físicas, como a gastrite.

E muitas dessas pessoas são justamente as que se orgulham de levar uma vida "ativa", cheia de atividades, sem perceber que mal têm um tempo real para perceber os sinais do próprio corpo de que algo pode não estar bem!
Correr em excesso é prejudicial... Literalmente!

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Ao contrário do que se possa pensar, os excessos cometidos em nome da produtividade imediata não afetam apenas os workaholics, ou viciados em trabalho. Mesmo os entusiastas de atividades físicas podem ser prejudicados se perderem a mão.

Outra pesquisa, publicada pela revista científica americana Health Day, sugeriu que as pessoas que vivem por mais tempo são as que fazem uma quantidade moderada de exercícios na semana, e que mesmo uma atividade saudável como a corrida, quando praticada muito além da conta, é praticamente tão prejudicial à saúde quanto não fazer nada.

Como costumo dizer, a chave para o sucesso em qualquer atividade é a constância e a persistência, e não a afobação em conseguir fazer "tudo ao mesmo tempo agora". O que é reconhecido, atualmente, pela medicina esportiva é que a quantidade mínima de exercício físico para obtermos benefícios à saúde é de cerca de 30 minutos de atividade por dia. Mas ninguém que está começando precisa já iniciar uma atividade treinando todos os dias da semana.

Se você está saindo de uma rotina sedentária, pode ser interessante começar progressivamente, com duas vezes semanais, depois três, até chegar a pelo menos cinco dias de treino por semana.
O lazer também é importante

Exercício, boas horas de sono e uma alimentação equilibrada... Muita gente considera manter essa tríade constante com um verdadeiro luxo. E, no mundo atual, é mesmo! Mas esse "luxo" deveria ser, na verdade, uma prioridade para qualquer pessoa que pense na própria vida no longo prazo. E a receita vai além: o lazer também é fundamental!

Momentos de "ócio criativo" são essenciais para a saúde, e não é de hoje que sabemos isso, tanto que esse termo vem da Grécia Antiga! O lazer ajuda a diminuir a concentração de hormônios do estresse e aumentar a de ocitocina e do neurotransmissor serotonina, associados ao bem-estar psíquico. Isso estimula o desempenho cerebral e reduz o risco de doenças cardiovasculares e degenerativas.

O importante, nesse caso, é encontrar aquilo que te faz bem e reservar um tempo para isso, seja uma leitura cativante e estimulante, praticar ioga, passar um dia no parque ou mesmo apenas dar uma atenção extra ao seu animal de estimação! O equilíbrio entre lazer e obrigações nos traz bem-estar, alegria, bom humor e preenche nossos dias com uma maravilhosa sensação de liberdade e leveza.

Assim, não apenas a sua saúde física e mental se beneficiam, mas até as pessoas próximas e colegas de trabalho, ao conviverem com você em seu melhor! Portanto, dê esse presente a você e a quem você ama: cuide-se de verdade! Afinal, de aparências, as redes sociais já estão cheias...

*Adriana Miranda (@adrianammiranda) é palestrante e, aos 62 anos, é entusiasta da vida saudável e das atividades físicas. Está sempre em busca de segredos para ter mais disciplina, foco e determinação, para manter a saúde física e um estilo de vida leve e positivo.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL