Suga açúcar do sangue, aumenta metabolismo e reduz colesterol: os benefícios da abobrinha à saúde

Por Samantha Cerquetani

A abobrinha pertence à família das cucurbitáceas, originária do continente americano, com variedades comuns no Brasil, como a paulista e italiana.

iStock

Rica em carotenoides, vitaminas E, A, C, minerais (selênio, zinco, cobre, manganês), fibras e potássio, a abobrinha apresenta uma baixa contagem calórica.

iStock

Digestão Aprimorada: A abobrinha, devido à sua alta quantidade de água e fibras, promove uma digestão eficaz, suaviza as fezes, previne a constipação e reduz inflamações intestinais.

iStock

Benefícios para a Visão: O betacaroteno na abobrinha transforma-se em vitamina A, atuando como antioxidante para a pele e mucosas, protegendo contra a degeneração macular e melhorando a visão.

iStock

Apoio a Diabéticos: As fibras auxiliam na estabilização do açúcar no sangue, reduzindo os níveis após as refeições. As vitaminas do complexo B contribuem para o metabolismo da glicose, prevenindo complicações relacionadas ao diabetes.

iStock

Saúde Cardíaca: As fibras solúveis, como a pectina na abobrinha, ajudam a reduzir o colesterol ruim (LDL), promovendo a saúde cardíaca. O potássio na abobrinha contribui para a redução da pressão arterial.

iStock

Auxílio na Perda de Peso: O alto teor de água e fibras na abobrinha proporciona saciedade, reduzindo a fome. Sua baixa caloria a torna uma escolha eficaz em dietas para perda de peso.

iStock

Fortalecimento dos Ossos: Com uma quantidade moderada de cálcio, a abobrinha apoia a saúde do sistema nervoso, contribuindo para a vitalidade da pele, cabelos e unhas.

iStock

Estudos sobre Combate ao Câncer: Pesquisas indicam que extratos de abobrinha podem inibir o crescimento de células cancerígenas, especialmente in vitro e em animais.

iStock

Benefícios para a Próstata: Estudos em animais mostram que o extrato de sementes de abobrinha pode diminuir o risco de hiperplasia prostática, beneficiando a saúde da próstata.

Peakstock / Shutterstock.com

Não há evidências científicas de riscos à saúde, mas pessoas com distúrbios renais devem monitorar o consumo devido ao potássio.

iStock

A abobrinha pode ser consumida crua ou preparada de diversas maneiras, como cozida, refogada, frita, assada, recheada ou gratinada, oferecendo opções saudáveis e saborosas.

Sabrina Pintus/Getty Images

O cozimento a vapor ou grelhada preserva melhor os nutrientes, e opções de preparo mais saudáveis são preferíveis, evitando frituras e empanadas.

iStock

Além de ser um acompanhamento versátil para carnes e peixes, a abobrinha pode ser transformada em macarrão de baixo teor de carboidratos ao ser cortada em tiras e servida com molho.

iStock

Para mais informações, acesse VivaBem.

iStock
Publicado em 27 de dezembro de 2023.