Desinflama, extrai açúcar do sangue e aumenta energia: os benefícios da macaxeira à saúde

Por Samantha Cerquetani

A mandioca, nativa da América do Sul, também chamada de macaxeira ou aipim, é cultivada desde a antiguidade, sendo um importante alimento energético para mais de 700 milhões de pessoas, especialmente em países em desenvolvimento.

Fernando Moraes/UOL

Com grande valor nutricional, a mandioca cozida contém cálcio, magnésio, fósforo, potássio e vitamina C, sendo uma rica fonte de calorias (125 calorias) e carboidratos (30 g) por 100 g.

Ribeiro Rocha/Getty Images/iStockphoto

A mandioca cozida, por conter amido resistente, promove o bom funcionamento intestinal, reduz inflamações e fortalece o sistema imunológico quando incluída regularmente na alimentação.

iStock

Rica em potássio e fibras, a mandioca auxilia na regulação dos fluidos, aliviando a tensão nos vasos sanguíneos. Elementos como zinco, magnésio, cobre, ferro e manganês contribuem para um sistema cardiovascular saudável.

iStock

Com polifenóis e saponinas, a mandioca possui propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, ajudando a combater a artrite e aliviar seus sintomas.

iStock

O alto teor de amido resistente contribui para a saciedade, controlando o apetite e a glicose. As fibras na mandioca também auxiliam na liberação gradual de energia, mantendo os níveis de glicose sob controle.

iStock

Com 125 calorias em 100 g, a mandioca é uma excelente fonte de energia, sendo rica em carboidratos, fósforo e cálcio, contribuindo para atividades físicas intensas e combatendo a fadiga.

iStock

A mandioca é uma boa fonte de vitamina C e folato, fortalecendo o sistema imunológico ao aumentar a produção de glóbulos brancos.

iStock

O consumo de mandioca eleva os níveis de serotonina, neurotransmissor associado ao prazer, bem-estar e controle do estresse, graças às fibras e às vitaminas do complexo B.

iStock

Rico em polifenóis, especialmente resveratrol, a mandioca combate radicais livres, retardando os efeitos do envelhecimento e protegendo contra danos celulares.

iStock

Consumida moderadamente, a mandioca fornece folatos essenciais para a formação do tubo neural do feto, além de energia sem causar picos de glicemia, prevenindo o diabetes gestacional.

iStock

A mandioca, rica em carboidratos, não causa ganho de peso sozinha. Sua inclusão moderada na dieta, substituindo outras fontes de carboidratos, é benéfica. A quantidade ideal é cerca de 150 gramas por dia.

iStock

Evitar o consumo cru é fundamental para prevenir intoxicação por cianeto. Versátil, pode ser cozida, transformada em farinha, tapioca, ou utilizada em diversas receitas tradicionais como a "vaca atolada".

Churrasqueadas

Recomenda-se adicionar um fio de óleo ao cozinhar mandioca para preservar vitaminas e minerais. O consumo adequado e diversificado garante os benefícios à saúde sem riscos.

Divulgação

Para mais informações, acesse VivaBem.

Daniel Dan/Pexels
Publicado em 17 de janeiro de 2024.