BENEFÍCIOS do AZEITE à SAÚDE: Desinflama, suga açúcar do sangue e remove colesterol

Por Samantha Cerquetani

Extraído da azeitona, fruto da oliveira, o azeite é consumido há milênios e é conhecido como "ouro líquido" devido às suas propriedades benéficas.

Getty Images/iStockphoto

Existem variedades de azeite, sendo o extravirgem o mais saudável, seguido pelo virgem e o refinado. O azeite de oliva é uma mistura do refinado com o virgem ou óleo de soja.

Getty Images/iStockphoto

Composição Nutricional: Rico em gorduras monoinsaturadas, ômega 9, vitaminas E, A e K, ferro, cálcio, magnésio, potássio e aminoácidos, o azeite oferece propriedades antioxidantes essenciais.

Getty Images

Propriedades Anti-inflamatórias: O azeite extravirgem possui compostos anti-inflamatórios naturais que podem aliviar dores crônicas, semelhante ao ibuprofeno, segundo pesquisa publicada na Nature.

iStock

Prevenção de Doenças Cardíacas: O consumo regular reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o colesterol bom (HDL), além de conter polifenóis com ação antioxidante e preventiva de doenças cardiovasculares.

iStock

Redução do Risco de Diabetes: Estudo concluiu que o azeite de oliva pode diminuir a incidência de diabetes tipo 2 em pessoas com alto risco cardiovascular, melhorando a sensibilidade à insulina.

iStock

Proteção Cerebral: Antioxidantes presentes no azeite estão relacionados à preservação do cérebro, reduzindo danos causados por AVCs e contribuindo para funções cognitivas.

iStock

Alívio dos Sintomas de Artrite Reumatoide: O azeite extravirgem está associado à redução da dor crônica e rigidez nas articulações em pessoas com artrite reumatoide.

iStock

Benefícios para os Ossos: A presença de oleuropeína e vitamina K no azeite favorece a formação óssea, aumentando a quantidade de osteoblastos.

iStock

Redução do Risco de Depressão: Consumir gorduras mono e poli-insaturadas, como as presentes no azeite, está associado a um menor risco de depressão, segundo pesquisa no PLoS ONE.

iStock

Prevenção da Colite Ulcerativa: O ácido oleico presente no azeite pode ajudar a diminuir o risco dessa doença inflamatória intestinal, como indicado por pesquisa no Reino Unido.

iStock

Retardo do Envelhecimento: Antioxidantes no azeite reduzem a formação de radicais livres, prevenindo o estresse oxidativo e o envelhecimento precoce das células.

iStock

A recomendação é de no máximo duas colheres de sopa por dia, evitando aquecer o óleo para preservar suas propriedades antioxidantes.

Getty Images/iStockphoto

Para mais informações, acesse VivaBem.

Getty Images
Publicado em 29 de janeiro de 2024.