Topo

Viagem


Dubrovnik, na Croácia, reúne no mesmo cenário construções históricas e novas atrações

Charly Wilder

New York Times Syndicate

09/02/2013 08h03

Primeiro, a má notícia: Dubrovnik já não é mais segredo. Praticamente 17 anos depois do fim da guerra de independência da Croácia, a Cidade Velha e as muralhas medievais da cidade ficam repletas de turistas durante o verão. Visite a cidade no outono e saberá a razão disso tudo. Em uma pequena área peninsular da costa da Dalmácia, encontra-se a antiga República da Ragusa, uma maravilha gótica veneziana.

Pórticos com colunas e alpendres emolduram praças renascentistas cobertas de mármores brilhantes após séculos de tráfego de pedestres. É verdade que muitas lojas tentam angariar passageiros para os passeios de barco e outras atrações comuns, mas ainda há muitos lugares criativos para conhecer.

Sexta-feira

15h - Vista do alto
Um ótimo lugar para ver a cidade é o cume do monte Srdj, com vista para a Cidade Velha, para o mar e para as montanhas da Herzegovina, uma situação que o tornava um ponto estratégico na defesa contra turcos, venezianos e outros povos invasores. Chegue bem rápido ao topo com o teleférico laranja (Petra Kresimira 4; 385-20-325-393; dubrovnikcablecar.com), reaberto em 2010, depois de ser destruído quando o cume se tornou um intenso campo de batalha contra a invasão de sérvios e montenegrinos, em 1991. A história é contada por meio de artefatos e documentos no Museu da Guerra, situado em um forte napoleônico, na base da estação do teleférico. (A entrada custa 87 kunas, ou cerca de 16 dólares.)

20h - Jantar dálmata
Desde que o restaurante mais querido de Dubrovnik reabriu as portas em maio com o nome de 360° (Svetog Dominika; 385-20-322-222; 360dubrovnik.com), a comida passou de "fusion francesa" para "croata com uma pitada de sal", nas palavras do chef Jeffrey Vella. Ou seja, uma mistura de pratos regionais e criativos, como o Garden: lagostim cru do Adriático, trufas de verão da Ístria, biscoito de manteiga com capim limão e uma saborosa erva sul-americana conhecida como jambu, que contém um analgésico que adormece a boca e altera os receptores gustativos. Localizado no interior das muralhas medievais, em um antigo arsenal, o restaurante oferece uma visão em 360° da Cidade Velha. O jantar para dois com entrada e vinho custa em torno de 1.700 kunas.

22h - Vinho de verdade
Área vinicultora desde o século V a.C., a Croácia começa agora a entrar no cenário do vinho internacional. Corra para o D'Vino (Palmoticeva 4A; 385-20-321-130; dvino.net), um genial bar de vinhos localizado em uma pequena viela e muito popular entre os falantes de inglês. A tranquila equipe oferece os tintos da Dalmácia, que vão do leve Matusko Postup ao robusto Dingac (ambos por 56 kunas a taça), além das degustações a partir de 50 kunas.

Sábado

10h - Vendo o movimento
O Café-Bistrô Orlando abriu as portas em abril de 2011 ao lado da Rua Stradun, a principal rua da Cidade Velha, pavimentada com pedra calcária e aberta apenas para pedestres. O lugar é perfeito para ver o movimento enquanto se toma um café (esculaprestaurants.com). Modelos italianas passam ao lado de famílias alemãs, turistas em roupa de banho e jovens musculosos dos Balcãs, enquanto os empresários locais fecham negócios em frente a croissants recheados de figo. O café é excepcional, porém o preço é um pouco salgado. Mas você vai querer voltar só pela vista.

  • Ziyah Gafic/The New York ­Times­

    Monumentos e prédios iluminados durante a noite em Dubrovnik

11h - Três histórias
Quase todos os locais históricos de Dubrovnik ficam localizados dentro dos limites da Cidade Velha. Dentro dos claustros de um monastério franciscano do século 14, o museu da Velha Farmácia (Stradun 2; 385-20-321-410), abriga potes de remédios, antigos registros médicos, uma coleção de ícones bizantinos e uma farmácia que se orgulha de ser a terceira mais antiga do mundo ainda em funcionamento. Para uma dose mais forte, a recente história de luta da cidade pode ser vista na War Photo Limited (Antuninska 6; 385-20-322-166; warphotoltd.com), uma galeria curada pelo fotojornalista neozelandês Wade Goddard, que cobriu as guerras da Iugoslávia no começo dos anos 1990. Uma história muito mais antiga pode ser vista no Visia Dubrovnik (Teatro 5D, no Convento de Sta. Clara; Poljana Paska Milicevica 4; 385-20-324-714; visiadubrovnik.com). Inaugurada em 2010, a "Viagem no Tempo em 3D" conta com um cientista holográfico do século 18 projetado em uma queda d'água. Há lasers, música e cenas de batalhas sangrentas em 3D, com máquinas de vento e assentos móveis.

14h- Refeição sem carne
O primeiro restaurante vegetariano de Dubrovnik abriu as portas em 2006, em meio a outros tantos dedicados à carne e aos frutos do mar. O Nishta (Prijeko 30; 385-20-322-088; nishtarestaurant.com) é um pequeno restaurante com ares transcendentais na Rua Prijeko, onde os turistas podem provar pratos como risoto de cevada com hijiki e algas, acompanhado de mascarpone (68 kunas) ou legumes grelhados, trigo sarraceno, quinoa e figo seco com iogurte de hortelã (65 kunas).

16h - De figos a Fendi
Dubrovnik não é exatamente o paraíso dos consumidores. Mas vale a pena conhecer algumas das novas lojas. Inaugurada em 2006, a Modni Kantun (Zlatarska 3; 385-20-321-241) é uma pequena butique que vende peças de estilistas locais, de rústicos pingentes com fotos de Karl Lagerfeld a excelentes peças de prata feitas à mão por Ivana Bacura. Entre as coisas mais chiques da cidade, a butique de alta costura Maria (Svetog Dominika; 385-20-321-330; maria-dubrovnik.com) vende roupas de grandes nomes como Alexander Wang, Givenchy e Lanvin. Mas no velho mercado da barroca Praça Gunduliceva Poljana pode-se comprar de tudo: de vinho caseiro a batedores de bronze.

20h - Fim de tarde
Em uma cidade construída para aproveitar as nuances do pôr do sol no mar Adriático, encontrar o lugar certo no começo da tarde é uma tarefa fundamental. Vá de taxi até o Sunset Lounge (Hotel Dubrovnik Palace; Masarykov put 20; 385-20-430-000; dubrovnikpalace.hr), um elegante bar de hotel com janelas panorâmicas de onde se pode ver o pôr do sol nas ilhas Elafitas. Ou então, escolha uma roupa mais simples e peça uma garrafa de Ozujsko (37 kunas) no Café Bar Buza, também conhecido como Buza I (Crijeviceva ulica 9; cafebuza.com). O nome pode ser traduzido como "o buraco" no dialeto local, e está localizado em um penhasco no extremo sul da Cidade Velha, aonde só se pode ir através de um buraco na parede sul da cidade.

23h - Sons locais
Para conhecer a vida noturna de Dubrovnik, desça a íngreme escada de pedra que leva ao antigo quarto de quarentena, ao leste do porto principal. Lá você irá encontrar o Lazareti (Frana Supila 8; 385-20-324-633; lazareti.com), um centro de cultura independente com teatro, música, workshops de arte e exposições. Seu programa de apresentações é o mais interessante da cidade, indo de shows de jazz a black metal, passando por techno minimalista, atraindo os jovens de Dubrovnik que vêm de ônibus das cidades da região para beber aguardente de ameixa, ou rakia, no antigo átrio do Lazareti.

  • Ziyah Gafic/The New York ­Times­

    Fonte Onofrio, construída no século 15, em Dubrovnik

Domingo

11h - Arte moderna
Obras de praticamente todos os artistas modernos e contemporâneos da Croácia podem ser vistas nesta elegante mansão que já foi a residência do magnata do transporte Bozo Banac. Aberto em 1945, o Museu de Arte Moderna de Dubrovnik (Frana Supila 23; 385-20-426-590; ugdubrovnik.hr) tem quase 2.500 obras, quase todas ligadas à região: dos retratos a óleo de Vlaho Bukovac, uma espécie de Manet croata, a uma instalação envolvendo uma torneira e uma tromba de elefante de plástico, feita pelo artista contemporâneo Zlatan Dumanic (entrada: 30 kunas).

14h - Almoço e água
Um dos maiores bens da costa da Dalmácia é o grande número de konobas, ou adegas, onde os clientes podem nadar e tomar sol enquanto a comida é preparada. A 12 minutos de táxi da Cidade Velha, o delicioso Gverovic-Orsan (Stilkovika 43; Zaton Mali, 385-20-891-267; gverovic-orsan.hr) está localizado em um antigo ancoradouro de uma baía tranquila da vila de pescadores Zaton Mali. Comece com uma taça de crocantes Posip brancos (35 kunas) e salada de polvo ao vinagre e azeite de oliva caseiro (95 kunas). Enquanto espera pelo prato principal – como o risoto negro de "Orsan", um rico ensopado de mexilhões, amêijoas, lagostim e lula (140 kunas) – esqueça tudo o que sua mãe disse sobre nadar depois de comer e aproveite para dar um mergulho.

Se você for

Turistas com a verba curta terão dificuldade em encontrar opções de apartamentos e pousadas próximas à Cidade Velha ou ao bairro de Lapad.

Dentro dos muros da Cidade Velha, o Karmen Apartments (Bandureva 1; 385-20-323-433; karmendu.com) oferece quatro estúdios com preços a partir de 70 euros por noite. (Com frequência os preços são dados em euro.)

Em 2006, a Adriatic Luxury Hotels alimentou o boom de hotéis cinco estrelas de Dubrovnik quando abriu o Hotel Bellevue (Pera Cingrije 7; 385-20-330-000; alh.hr), um prédio rústico-moderno de 91 quartos com vista para o mar. Com dois restaurantes, um spa, uma academia de ginástica e uma praia privativa, o Bellevue custa a partir de 280 euros por noite em um quarto duplo com vista para o mar.

Outro hotel da Adriatic Luxury, o Hotel Excelsior (Frana Supila 12; 385-20-430-830; alh.hr), localizado em uma antiga vila real, foi reaberto em 2008 após uma reforma de 28 milhões de dólares. Quartos duplos custam a partir de 198 euros.

Mais Viagem