Topo

Viagem


Descubra 7 locais secretos na região italiana da Puglia

Puglia, região no sul da Itália - Getty Images/iStockphoto
Puglia, região no sul da Itália Imagem: Getty Images/iStockphoto

18/09/2019 14h52

Muitas vezes ofuscada pelos famosos destinos como Roma, Milão, Toscana e Veneza, a Puglia, região no sul da Itália, pode ser desconhecida para muitos, mas já tem despertado o interesse de quem busca um destino mais rústico e autêntico pelo país europeu.

Banhada pelos mares Adriático e Jônia, a área no "salto da bota" do mapa italiano conta com diversas cidades litorâneas com águas de tom azul-esverdeado. As ruas repletas de casinhas brancas ou de cores neutras voltadas para o mar ganham um charme especial com as senhoras que fazem à mão o orecchietti, a tradicional massa da região, na porta de suas casas.

O destino turístico, no entanto, guarda locais que podem ser explorados por todos os viajantes que estão dispostos a conhecer áreas "secretas", diferentes dos principais monumentos históricos que são vistos pela Itália.

Confira 7 locais secretos para descobrir na Puglia:

1. Cava Conti, em Cisternino

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Os povoados La Tufara e Via delle Cave demonstram claramente como essa área no topo das montanhas de Cisternino é um local histórico de extração da pedra compacta chamada tufo branco. Conhecida também como "pedra suave", a rocha com cor branca leitosa é uma das principais decorações das estradas de Matera. A pedreira, declarada inutilizável devido às restrições ambientais e urbanas em 2000, é sede do Festival dei Sensi, que acontece anualmente.

2. Parco del Vaglio, em Locorotondo

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Esta é a residência de verão mais elegante localizada no ponto mais alto e panorâmico da fazenda local de Locorotondo, chamada "Parco del Vaglio", com vista para todo o Valle d'Itria. Ao lado da área principal, fica a mansão do século XIX, que preserva sua estrutura original, inclusive os móveis.

3. Masseria Capece, em Cisternino

Instagram/masseriacapece
Imagem: Instagram/masseriacapece

Desde o final do século XIX, a fazenda Capece foi adquirida para ser uma extensão da propriedade da família Gianecchia, que abriga um moinho com suas características de origem. O local consiste em vários edifícios, utilizados como alojamentos para pessoas e abrigos para animais, além de um curral e uma pequena igreja datada de 1739.

4. Regia Estação Hípica, em Martina Franca

Facebook/MATERIÆ
Imagem: Facebook/MATERIÆ

De propriedade do município de Martina Franca, a hípica foi criada por decreto real na década de 1920. Na época, o local foi usado para a seleção do cavalo Murgese. Em 1970, no entanto, ficou sob a jurisdição do Instituto de Criação de Cavalos de Foggia. Atualmente, o complexo abrange mais de 2 mil metros quadrados e é a única estação para cavalos existente na região.

5. Cemitério Vecchio, em Cisternino

Getty Images
Imagem: Getty Images

A igreja de Santa Maria di Costantinopoli foi construída no início do século XVII, por ocasião do decreto de Bourbon que proibia enterros em igrejas públicas, e foi usada para enterros até 1918, ano em que o cidade adquiriu um novo cemitério. A partir disso, a igreja foi ampliada e cercada por muros altos e é uma atração por sua elegância e originalidade.

6. Masseria Ferri, em Ostuni

Instagram/anlinassifotografie
Imagem: Instagram/anlinassifotografie

As origens deste hotel, localizado na fronteira entre Ostuni e Martina Franca, remontam há cerca de três séculos, por volta de 1718. A área abriga 25 fazendas em um total de 2085 hectares. Com uma mistura perfeita de conforto e conveniência, o local oferece um ambiente romântico, com várias comodidades projetadas especialmente para viajantes.

7. Parco Archeologico Egnazia

Instagram/museoparcoarcheologicoegnazia
Imagem: Instagram/museoparcoarcheologicoegnazia

O museu arqueológico nacional de Egnazia está localizado fora do muro defensivo do século IV a.C, que envolve a área da antiga cidade de Gnathia. O local, construído de acordo com a perspectiva cronológica e geográfica, documenta a história de Egnazia, suas transformações e suas relações com outros assentamentos no contexto regional, partindo das primeiras formas de população do século XVI a.C. até o desenvolvimento da estrutura urbana do local.

Mais Viagem