Topo

Viagem


Roma aprova norma para banir turista que entrar em fonte e andar seminu

Pessoas reunidas em fonte da praça Navona, em Roma, na Itália - Andreas Solaro/AFP
Pessoas reunidas em fonte da praça Navona, em Roma, na Itália Imagem: Andreas Solaro/AFP

07/06/2019 10h52

A Câmara Municipal de Roma aprovou nesta quinta-feira (6) um novo regulamento de polícia urbana que prevê o banimento de turistas que violarem as regras da cidade por até 48 horas.

A medida, introduzida no ordenamento jurídico italiano pelo ex-ministro do Interior Marco Minniti, já é usada em Veneza e prevê o afastamento de pessoas que, por exemplo, sentarem ou se pendurarem em monumentos.

Também estará sujeito ao banimento quem nadar nas fontes de Roma, andar com o torso nu pela cidade ou atravancar o caminho "consumindo alimentos de maneira descomposta".

Além disso, o novo regulamento estabelece multas para comportamentos considerados menos graves, como encostar a boca nas canaletas de fontes e utilizar instrumentos musicais em lugares públicos sem permissão.

O banimento poderá ser aplicado em 14 zonas do município de Roma, incluindo o centro histórico, o distrito litorâneo de Ostia e o bairro de EUR. A medida renova o regulamento de polícia urbana da capital da Itália pela primeira vez em 73 anos, para adaptar a cidade às exigências dos dias de hoje.

"Finalmente, após 73 anos, temos um regulamento moderno e aplicável que nos permite sancionar e limitar comportamentos mal-educados que deturpam Roma", declarou a vereadora Sara Seccia, do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S).

Em maio passado, a cidade de Veneza, uma das mais afetadas pelo turismo de massa no país, já havia instituído um regulamento que prevê o banimento de quem "violar" o decoro público.

A medida mira sobretudo comportamentos recorrentes de turistas, como urinar na rua, fazer piquenique em pontes e praças e pular nos canais.

Mais Viagem