PUBLICIDADE

Topo

Viagem

Roteiros nacionais


Ponte Hercílio Luz é reaberta e promete aquecer turismo de Florianópolis

Ponte Hercílio Luz será reaberta após 28 anos - Divulgação
Ponte Hercílio Luz será reaberta após 28 anos
Imagem: Divulgação

Marciano Diogo

Colaboração para o UOL

30/12/2019 04h01

Quase trinta anos após sua interdição, a maior ponte pênsil do Brasil reabre novamente sua travessia para tráfego de veículos e passagem de pedestres em janeiro de 2020. Inaugurada oficialmente em 1926, a Ponte Hercílio Luz, o maior cartão-postal de Florianópolis, cidade mais turística do Sul do país, está com seus arcos abertos de volta para o público desde o dia 30 de dezembro.

Nas primeiras duas semanas a ponte fica aberta apenas para pedestres, já que uma série de festividades com mais de 70 apresentações culturais acontecem na programação da reabertura. Inicialmente, a partir do dia 13 de janeiro, o monumento seria aberto para tráfego de veículos, inicialmente apenas transportes coletivos. Porém, na segunda (6) foi anunciado o adiamento da ação.

Ponte Hercílio Luz foi inaugurada em 1926 e é o maior cartão-postal de Florianópolis - Divulgação
Ponte Hercílio Luz foi inaugurada em 1926 e é o maior cartão-postal de Florianópolis
Imagem: Divulgação

Tombada como Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico desde 1997, a Ponte Hercílio Luz, que leva o nome do engenheiro governador idealizador do monumento, foi interditada em 1991 por razões de segurança. As obras de recuperação iniciaram em 2006 e tiveram atribulações em sua trajetória, como suspeitas de desvios de recursos financeiros públicos, rompimento de contratos com empresas contratadas para as reformas e diversos atrasos nos prazos de entrega.

De acordo com o Portal da Transparência, foram gastos R$ 474 milhões em investimentos nas obras de reforma desde 2006 - o que resulta em cerca R$ 1,2 bilhão em valores corrigidos pela inflação.

Memória afetiva de diferentes gerações

Thales, Catarina, Nicolas e Lucas Brasil - Marciano Diogo
Thales, Catarina, Nicolas e Lucas Brasil
Imagem: Marciano Diogo

"Poder caminhar por ela vai ser sensacional", conta o servidor público Thales Brasil, que reside em Lages e acompanhado da esposa peruana Catarina, passa a temporada de fim de ano na capital catarinense. "Inclusive nós fizemos no ano retrasado as nossas fotos de casamento aqui na cabeceira da ponte, o que torna essa relação ainda mais emocionante", afirma a arquiteta.

"Lembro que na minha infância atravessá-la era como uma passagem para os sonhos. Como o piso era todo feito de madeira e havia um trilho, tínhamos medo das rodas saírem dos trilhos fazendo o carro encalhar e cair da ponte. O mesmo acontecia quando batia vento Sul forte", conta a florianopolitana Otília Di Bernardi, que visita com frequência o principal mirante que dá visão para Velha Senhora ao lado da filha Antônia.

Otília e Antonia Di Bernardi - Marciano Diogo
Otília e Antonia Di Bernardi
Imagem: Marciano Diogo

"Acho que a expectativa para as pessoas que, assim como eu, nunca a atravessaram, é ainda maior. É como se um imaginário da memória se tornasse realidade", conclui a turismóloga Antonia ao lado da mãe.

"Vai fazer Santa Catarina e seus visitantes mais felizes", afirma o servidor público Claudio Alberto Winter, que reside na região continental de Florianópolis e participa do desfile de carros antigos com seu Ford Y 1936. "Lembro de atravessar sobre ela de bicicleta quando era jovem. As curvas sempre me remeteram a uma rede de pesca, ao balanço do mar e parece um grande sorriso para quem a vê de longe", diz.

Cláudio Alberto Winter e seu Ford Y 1936 - Marciano Diogo
Cláudio Alberto Winter e seu Ford Y 1936
Imagem: Marciano Diogo

Atrativos no entorno e mais mobilidade urbana

Mesmo tendo ficado interditada por décadas, a Ponte Hercílio Luz nunca deixou de ser símbolo de Florianópolis. E o entorno da estrutura apresenta também outros atrativos turísticos culturais e históricos além da badalada Avenida Beira Mar: há fortificações, parques e espaços de lazer.

Logo ao lado da ponte no lado insular, por exemplo, tem o Forte Santana, o estaleiro Arataca, casarios antigos, a Fábrica de Pontas, a Fábrica de Rendas e Bordados. Outra novidade é o Museu da Ponte, que deve ser aberto no primeiro semestre de 2020 e conta a história do equipamento cultural urbanístico.

A reabertura da Ponte Hercílio Luz anima moradores e turistas - Divulgação
A reabertura da Ponte Hercílio Luz anima moradores e turistas
Imagem: Divulgação

Além disso, há estabelecimentos comerciais próximos a cabeceira como bares e restaurantes.

"Para nós pescadores, não vai fazer muita diferença, porque já estamos acostumados com a beleza dela diariamente", conta Lubia Lisboa, que há mais de vinte anos trabalha com as redes às margens da Hercílio Luz na companhia do marido Sandro Garsias. "A gente fica mesmo é preocupado e inseguro de acontecer alguma relocação errada do nosso rancho de pesca se o movimento dos turistas aumentar muito", conclui Sandro.

Os pescadores Lubia Lisboa e Sandro Garsias se preocupam com o futuro de seu trabalho - Marciano Diogo
Os pescadores Lubia Lisboa e Sandro Garsias se preocupam com o futuro de seu trabalho
Imagem: Marciano Diogo

Conforme a administração municipal, a previsão é de que até março a ponte seja usada por 72 mil passageiros diariamente e a estimativa é que até o final de 2020 cerca de 100 mil passageiros de transporte coletivo sejam transportados pela estrutura.

Alta temporada aquecida

A Ponte Hercílio Luz, além de atrair mais turistas, deve ajudar a aliviar o complicado trânsito da cidade - Divulgação
A Ponte Hercílio Luz, além de atrair mais turistas, deve ajudar a aliviar o complicado trânsito da cidade
Imagem: Divulgação

A capital de Santa Catarina conta com diversos atrativos que a tornam a segunda cidade brasileira mais procurada por turistas, de acordo com pesquisa realizada em 2018 pelo Ministério do Turismo - o estudo, que entrevistou 39 mil turistas, apontou que a cidade do Rio de Janeiro foi o destino mais procurado por estrangeiros a lazer (29,7%), seguida por Florianópolis (17,1%) e Foz do Iguaçu (12,9%), no Paraná.

Além das mais de cem praias, casas noturnas, gastronomia saborosa, cultura açoriana, casarões centenários, dezenas de trilhas e opções de esportes ao ar livre, a expectativa é que reabertura da ponte aqueça ainda mais o turismo e economia de Santa Catarina.

Na virada do ano para 2019, mais de 140 mil pessoas passaram o réveillon na Avenida Beira Mar Norte e a expectativa é que o número aumente com a reabertura da ponte, que fica às margens da avenida. Maria Conceição Junckes, presidente da ABVA SC (Associação Brasileira de Agências de Viagem de Santa Catarina) observa que, com a alta das moedas estrangeiras, o turismo interno deve ser potencializado e ainda mais no litoral Sul do país, devido ao desastre ecológico de derramamento de óleo que atingiu as praias do Nordeste recentemente.

A ponte em curiosidades e números

A Ponte Hercílio Luz tem 820 metros de extensão, pesa cerca de 5.000 toneladas.

Na fase final da reforma, 460 funcionários trabalharam nas obras, 180 apenas na pintura.

Tanto do lado esquerdo quanto direito da ponte há pistas para pedestres e ciclovias - 2,50 metros de largura em cada lado, com 1,25 metros para pedestres e 1,25 metros para as ciclovias,

A ponte também terá 4 pontos espalhados com por sua extensão cada um com cerca de 1 m² cada um para serem realizados registros fotográficos.

São ao todo 42 postes de luz espalhados pela estrutura, que só terá iluminação cênica permanente feita de cabos de luz a partir de março com licitação aberta prevista para janeiro.

Reabertura da Ponte Hercílio Luz terá programação intensa de festa - Divulgação
Reabertura da Ponte Hercílio Luz terá programação intensa de festa
Imagem: Divulgação

Linha do tempo

1922 - Inicia as obras da então chamada Ponte Independência, primeira ligação entre Florianópolis e o Continente sem ser através do mar ou do céu. Todo o material para construí-la veio importado dos EUA.

1924 - Morre o engenheiro e governador de Santa Catarina idealizador da ponte, Hercílio Luz, devido a complicações de um câncer de estômago. Em homenagem póstuma a ponte ganha seu nome.

1926 - Acontece a inauguração oficial da Ponte Hercílio Luz. Na época, Florianópolis tinha apenas 40 mil habitantes, atualmente são mais de 500 mil.

1935 - Fim do pedágio até então cobrado para aqueles que atravessavam a ponte, fosse a pé ou de charrete. O imposto derrubado era feito em razão do ressarcimento de custos de investimentos.

1975 - É aberta a Ponte Colombo Salles e a Hercílio Luz deixa de ser a única conexão entre a Ilha e a região continental.

1982 - A Ponte Hercílio Luz é interditada devido a condições precárias na estrutura por causa da pouca manutenção e da corrosão ocasionada pelo salitre. Na época ainda absorvia quase metade do tráfego da capital catarinense, com cerca de 27,3 mil veículos por dia.

1988 - Abertura parcial da ponte apenas para pedestres, motos e bicicletas.

1991 - Após análise e estudos de sustentação, acontece a interdição total da Ponte Hercílio Luz. No mesmo ano ocorre a inauguração da Ponte Pedro Ivo Campos, que surge como outra alternativa de escoamento de trânsito em Florianópolis.

1997 - O então Ministério da Cultura reconhece a ponte como Patrimônio Artístico e Arquitetônico do Brasil. No ano seguinte a estrutura é oficialmente tombada como monumento pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

2006 - Iniciam as obras de reforma no equipamento cultural.

2014 - Contrato com a então empresa licitada para segunda fase das obras é rompido devido atrasos em prazos de entrega.

2015 - Empresa portuguesa é contratada para realização das novas etapas obras e então finalização da restauração da Ponte Hercílio Luz.

2019 - Finalmente a ponte é reaberta para tráfego de pedestres, com início do trânsito de veículos garantido para 2020, primeiramente exclusivo para transportes coletivos.

Roteiros nacionais