Topo

Viagem

Roteiros de praia


Guia de Porto de Galinhas: descubra as atrações além das piscinas naturais

Vinícius Lubambo/Divulgação
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Eduardo Vessoni

Colaboração para o UOL

16/11/2019 04h00

A antiga vila de pescadores ficou no passado. Nas águas calmas de Porto de Galinhas, os navios lotados de galinhas d'angola (e escravos ilegais) do século 18 deram lugar a jangadinhas coloridas que levam turistas às piscinas naturais. E não são poucos: anualmente, mais de 1,3 milhão de pessoas colocam os pés nas areias dessa praia no litoral sul de Pernambuco, a 50 quilômetros do aeroporto do Recife.

Vida marinha em profusão: atração nos mergulhos em Porto de Galinhas - Vinícius Lubambo/Divulgação
Vida marinha em profusão: atração nos mergulhos em Porto de Galinhas
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Por três anos consecutivos, Porto de Galinhas foi eleita o melhor destino de praia do Nordeste, segundo pesquisa Datafolha. Não é à toa. Está no ideário dos turistas aquele marzão esverdeado de fácil acesso, lotado de jangadas de madeira com velas coloridas que navegam sem pressa (e sem ondas) até as piscinas que se se formam na maré baixa, favorecidas pela barreira de recifes que as isolam do mar aberto.

Mas isso não é tudo. As piscinas naturais que brotam na porta de casa são só o começo da aventura. Porto de Galinhas tem roteiros de praia em praia a bordo de bugue, com direito a paradas estratégicas sobre mirantes naturais que se debruçam sobre o mar. Tem navegação em mangues de águas cristalinas. E tem até mergulhos mais profundos para quem nunca teve a experiência de desbravar os aquários naturais com cilindro.

Passeio de bugue no Coqueiral de Maracaípe, próximo a Porto de Galinhas   - Vinícius Lubambo/Divulgação
Passeio de bugue no Coqueiral de Maracaípe, próximo a Porto de Galinhas
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Tão perto, tão diferente

Distante apenas três quilômetros do burburinho da "irmã" mais famosa, Maracaípe é a antítese de Porto de Galinhas. Maraca, como é conhecida pelos mais chegados, parece ter parado no tempo (no melhor sentido que a expressão possa assumir). Aqui, o turismo é de raiz, literalmente, em passeios pelos impressionantes mangues de águas claras e vegetação típica desse bioma que se eleva nas margens. Na praia, as ondas fortes são um convite para o surfe.

"Tem galinha nova no porto"

O nome da região tem origem na época em que a então praia de Porto Rico recebia navios com negros imigrantes da África. Com a proibição do comércio de mão de obra no Brasil, naquela segunda metade do século 19, a saída era escondê-los sob engradados de galinhas d'angola nos porões das embarcações. A senha para avisar os compradores interessados era "tem galinha nova no porto".

O QUE FAZER

PISCINAS NATURAIS

As jangadas colorem as piscinas naturais de Porto de Galinhas - Gustavo Frazão/iStock
As jangadas colorem as piscinas naturais de Porto de Galinhas
Imagem: Gustavo Frazão/iStock

Os passeios de jangada (R$ 30 por pessoa) podem ser contratados no guichê oficial da Praia de Porto de Galinhas, no centro, e levam menos de cinco minutos até as primeiras piscinas. O roteiro completo leva em torno de uma hora, com paradas em aquários naturais formados por recifes de corais e grande variedade de peixes, como a curiosa formação que se parece com o mapa do Brasil.


PASSEIOS DE BUGUE

O Coqueiral de Maracaípe é uma das paradas no passeio de bugue - Eduardo Vessoni
O Coqueiral de Maracaípe é uma das paradas no passeio de bugue
Imagem: Eduardo Vessoni

O roteiro "ponta a ponta" vai da Praia de Muro Alto, no litoral norte de Porto de Galinhas, até o cenográfico corredor de coqueiros da vizinha Maracaípe, na ponta sul. Ao longo de quatro horas de passeio (R$ 250 para quatro pessoas), o turista percorre 22 quilômetros por estradas paralelas ao mar, com paradas em faixas de areia como a rústica Praia da Camboa, de águas mornas e calmas. A experiência é uma boa opção para quem acaba de chegar e quer ter uma visão geral do destino antes de seguir com uma programação mais personalizada.

PRAIA DE MURO ALTO

Praia de Muro Alto, no litoral norte de Ipojuca  - Eduardo Vessoni
Praia de Muro Alto, no litoral norte de Ipojuca
Imagem: Eduardo Vessoni

Um paredão natural de recifes represa as águas do mar ao longo de três quilômetros de costa. O resultado? Uma praia de águas calmas, perfeitas para famílias com crianças. Ao norte de Porto de Galinhas, é uma das mais procuradas da região. Na areia, tem boa estrutura de barracas de praia e aluguel de caiaques e de pranchas para a prática do stand up paddle.

Praia da Camboa: parte do roteiro do passeio de bugue - Eduardo Vessoni
Praia da Camboa: parte do roteiro do passeio de bugue
Imagem: Eduardo Vessoni
Para garantir sossego extra, uma alternativa é a vizinha Praia da Camboa. Menos explorada e mais distante, tem praia de águas calmas, no encontro do mar com o rio Camboa.

O acesso, porém, não é tão fácil. Pela falta de sinalização e estrada de terreno arenoso, é altamente recomendado ir apenas em bugues ou carros 4x4.

PRAIA DO CUPE

De ondas fortes e sem estrutura para turistas, a última praia do litoral norte, na zona hoteleira de Porto de Galinhas, é daqueles atrativos apenas para contemplar ou para praticantes de surfe. Em uma de suas extremidades fica o Pontal do Cupe, procurado por famílias com crianças, que se divertem nas piscinas naturais de águas calmas represadas por recifes.

Destaque também para a pequena Igreja de São Sebastião, uma discreta construção verde e amarela. Erguida em 1935, ela é o ponto de partida das procissões em homenagem ao santo que dá nome ao local, todo dia 20 de janeiro.

VILA DE TODOS OS SANTOS

Em frente ao mar agitado de Maracaípe, é uma espécie de versão reduzida do Quadrado de Trancoso, a praça rodeada por estabelecimentos descoladinhos, no litoral sul da Bahia. Com redário e pequena área para shows, o local é conhecido por estabelecimentos como o João Restaurante, famoso pelos bolinhos de feijoada e pelas caipirinhas. As versões de caju com mel de engenho e limão siciliano e de cajá com manjericão fazem sucesso entre os turistas.

GALINHAS POR TODOS OS LADOS

A praia tem sua versão galinácia da "cow parade" - iStock
A praia tem sua versão galinácia da "cow parade"
Imagem: iStock
Do tempo colonial ficaram não só o nome, mas também uma certa mania por galinhas, símbolo do destino. Entre 2011 e 2012, a praia ganhou uma versão galinácea da internacional Cow Parade, com esculturas de galinhas de até dois metros de altura, feitas por artistas locais e espalhadas pelas ruas. Atualmente, versões coloridas das aves e placas com frases inspiradoras, assinadas por artistas plásticos como Carcará e Valéria Amorim, decoram ruas de Porto de Galinhas e ganham versões em forma de suvenires para turistas.

ECO ASSOCIADOS

A soltura de tartarugas pode ser acompanhada pelos turistas em Ipojuca  - Vinícius Lubambo/Divulgação
A soltura de tartarugas pode ser acompanhada pelos turistas em Ipojuca
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Essa ONG se dedica ao monitoramento e preservação tartarugas-de-pente, a espécie mais comum encontrada na região. Na temporada 2018/19, foram registrados no litoral do município de Ipojuca (ao qual pertence Porto de Galinhas) 129 ninhos e cerca de 10 mil filhotes, segundo a bióloga Vivian Chimendes.

A sede da ONG abriga um pequeno museu com exemplares anatômicos de tartarugas. E para acompanhar a soltura dos filhotes durante o período de desova (de outubro a maio, com pico entre janeiro e março), vale acompanhar nas redes sociais da instituição a divulgação das datas previstas.

Vai lá: Rua Caraúnas, s/n (Praça Quatro - Porto de Galinhas); Diariamente, das 9h às 12h e das 14h às 17h; Tel: (81) 99944-1465; entrada paga. www.ongecoassociados.weebly.com

MERGULHO COM CILINDRO

Muita gente não sabe, mas Porto de Galinhas é também ponto de mergulho. Iniciantes podem fazer o batismo em águas confinadas de piscinas naturais com profundidade de até seis metros. A experiência é precedida de breve aula teórica para procedimentos embaixo d'água e tem acompanhamento de um profissional.

Mergulhadores credenciados (básico e avançado) podem aventurar-se na Boca da Barra, cuja profundidade varia de 12 a 14 metros, de acordo com o nível da maré. A melhor época para mergulho no destino vai de outubro a março, quando a visibilidade chega a oito metros e a temperatura varia de 24 a 28 graus.

Vai lá: Dive Center - Rua dos Navegantes, 54 (Centro); tel.: (81) 9 9927-5559. www.mergulhodivecenter.com.br


PROJETO HIPPOCAMPUS

Cavalo-marinho de um dos aquários do Projeto Hippocampus - Eduardo Vessoni
Cavalo-marinho de um dos aquários do Projeto Hippocampus
Imagem: Eduardo Vessoni
Os simpáticos cavalos-marinhos de Ipojuca podem ser vistos em exposição em mais de 30 aquários, onde ocorre a reprodução assistida para envio dos animais ao mangue do Pontal de Maracaípe. Na local, também é possível ver peixes e crustáceos da região.

Vai lá: Rua da Esperança s/n; Tel.: (81) 3552-2191; Diariamente, das 9h às 13h e das 14h30 às 17h; entrada paga. www.projetohippocampus.org

ARREDORES

Praia dos Carneiros: para prolongar o passeio - iStock
Praia dos Carneiros: para prolongar o passeio
Imagem: iStock

Quem visita Porto de Galinhas tem também a possibilidade de fazer bate-volta para outros destinos populares do litoral pernambucano. Tamandaré, cidade do litoral sul do estado, fica a 60 km dali e ficou famosa por Carneiros, a cenográfica praia com uma igrejinha pé na areia. Outra opção é Maragogi, destino a 85 km de Porto de Galinhas, também conhecida pelas piscinas naturais.

IMPERDÍVEL!

Navegação pelos mangues do Pontal de Maracaípe, no litoral sul de Ipojuca  - Vinícius Lubambo/Divulgação
Navegação pelos mangues do Pontal de Maracaípe, no litoral sul de Ipojuca
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Esqueça todas as imagens estereotipadas que você tem sobre o mangue. Em Maracaípe, o encontro do mar com o rio dá lugar a impressionantes labirintos alagados, onde se navega a bordo de jangadas de madeira por área de manguezal com águas extremamente cristalinas.

O passeio de 50 minutos de duração tem parada para observação de cavalos-marinhos e pode ser combinado com os tours de bugue, com parada final no local de acesso ao mangue.


COMO CHEGAR

Vista aérea de Porto de Galinhas, a 50 quilômetros do Recife - Vinícius Lubambo/Divulgação
Vista aérea de Porto de Galinhas, a 50 quilômetros do Recife
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Porto de Galinhas fica a menos de uma hora de carro do aeroporto do Recife (50 km, aproximadamente), onde chegam voos da Azul, Gol e Latam.

A viagem rodoviária segue pela BR-101 Sul e pela via Rota do Atlântico (PE-060), que dá acesso também a Cabo de Santo Agostinho e Praia dos Carneiros, em Tamandaré.

O Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre tem locadoras de automóveis como Alamo, Localiza Hertz, Movida e Unidas.

De ônibus, a linha 195 da Expresso Vera Cruz sai a cada uma hora (R$ 16,75), entre as 5h e as 19h, e tem paradas no setor de desembarque do Aeroporto Internacional do Recife, na capital pernambucana, e em Cabo de Santo Agostinho, destino turístico na Região Metropolitana do Recife.

Para quem já está na cidade, a viagem de 1h30, aproximadamente, começa no Terminal de Passageiros Santa Rita, a menos de 10 minutos do Marco Zero, no Centro do Recife.

Transfers

Empresas locais operam transfers entre o aeroporto do Recife e Porto de Galinhas, como a Lucky Receptivo, Martur e Pontual. A viagem é feita em cerca de uma hora e requer reserva com antecedência. As saídas são organizadas de acordo com os horários de chegada dos voos.


CIRCULANDO

Passeio de bugue no Coqueiral de Maracaípe, vizinho a Porto de Galinhas - Eduardo Vessoni
Passeio de bugue no Coqueiral de Maracaípe, vizinho a Porto de Galinhas
Imagem: Eduardo Vessoni

O centro comercial de Porto de Galinhas fica na via principal da vila, conhecida como Rua das Piscinas Naturais, e em paralelas, como a Rua dos Navegantes e a Rua Beijupirá. É ali que o turista encontra restaurantes, bares, cafés, ateliês e lojas de artesanato.


QUANDO IR

Jangadas levam às piscinas naturais de Porto de Galinhas durante todo o ano - Vinícius Lubambo/Divulgação
Jangadas levam às piscinas naturais de Porto de Galinhas durante todo o ano
Imagem: Vinícius Lubambo/Divulgação

Os melhores períodos para visitar o destino são na média estação (entre setembro e outubro), quando as atrações costumam ser menos lotadas, e na alta temporada, entre novembro e a Semana Santa. O inverno, como em todo o Nordeste brasileiro, é marcado por chuvas e praias com águas mais turvas. A temperatura média anual é de 27 graus - e não marca menos de 24 no inverno.

INFORMAÇÕES OFICIAIS

Site do turismo de Porto de Galinhas: www.portodegalinhas.org.br

Roteiros de praia