Topo

Viagem

Roteiros internacionais


Egina, a ilha grega pertinho de Atenas que poucos conhecem

Porto e casinhas coloridas na cidade de Egina - Getty Images
Porto e casinhas coloridas na cidade de Egina
Imagem: Getty Images

Cintia Cruz

Colaboração para o UOL

05/11/2019 04h00

Filha de Asopo, o Deus-rio, Egina é um dos muitos nomes de mitos gregos e da ilha para onde teria sido levada por Zeus, que a raptou por sua beleza.

Fora da rota turística de muitos visitantes estrangeiros, Egina, Aigina, Egina, Egine ou Ägina foi a primeira capital da Grécia moderna e é o destino de férias de muitos gregos, que encontram lá praias desertas e paisagens deslumbrantes.

O que explorar

Praia de Egina, na Grécia  - Bruno Aguirre/Unsplash
Praia de Egina, na Grécia
Imagem: Bruno Aguirre/Unsplash

Praias

Por serem pouco exploradas pelo turismo internacional, as praias da ilha proporcionam, além de sua beleza estonteante, lugares calmos, para ouvir o som do mar, ler um bom livro e apreciar o movimento das ondas.

História e religião

No topo de uma colina onde, no século 13 a.C., se realizava o culto a uma entidade feminina, encontra-se o Templo de Afaia, um dos três locais do triângulo sagrado da Grécia - ao lado do Partenon e do Sunião. Com muitas figuras evocativas às mães com os seus filhos, ele é conhecido por muitos como um lugar de culto materno. Por estar no alto da colina, o caminho até o templo é belíssimo e, chegando lá, você terá uma vista deslumbrante de um dos lados da ilha.

Templo de Alfaia - Getty Images
Templo de Alfaia
Imagem: Getty Images

Para quem não dispensa um momento de oração e contemplação nas suas viagens, a ilha tem a igreja do Santo Agios Nektarios, canonizado pela Igreja Ortodoxa do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla em 1961. Muitas pessoas visitam seu túmulo em busca de cura.

Igreja de Agios Nektarios - Getty Images
Igreja de Agios Nektarios
Imagem: Getty Images

Dizem que aqueles que tem fé, se encostarem a orelha na tumba do santo, escutarão sua bendição. A entrada é gratuita, porém só é possível com os braços e as pernas cobertas. A belíssima e monumental igreja segue ainda em construção. Subindo as escadas, chega-se ao Monastério da Divina Trindade, localizado acima da igreja, no morro Xantos.

Gastronomia

Em Egina, não é possível encontrar um restaurante de fast-food. A opção é deliciar-se com produtos típicos da culinária mediterrânea, como o Ouzo, um destilado de anis, com boas mezedes, que vai de buracas (as empanadas locais) a saladas de beterraba, berinjela e repolho.

O item gastronômico mais famoso da ilha, porém, é o pistache, que possui Identificação de Origem Controlada. As plantações de Fistiki (o nome grego) ficam por toda a ilha e alguns ficam à beira da estrada, enfeitando o caminho dos turistas.

Pistaches de Egina, na Grécia - Getty Images
Pistaches de Egina, na Grécia
Imagem: Getty Images

Além do famoso sorvete, é possível comer pistache de muitas outras maneiras, acompanhando doces, como um tipo de creme feito com o fruto e chocolate, e salgados, com queijo feta grelhado com bastante vinagre balsâmico, mel e azeite, ou ainda um pesto.

O azeite de oliva, ícone da culinária grega em geral, também protagoniza roteiros na ilha. Lá é possível visitar o vale de Eleonas e apreciar oliveiras com mais de dois mil anos - a maior delas tem 13 metros de circunferência.

Vegetais em uma tenda do mercado em um barco no porto de Egina - Getty Images
Vegetais em uma tenda do mercado em um barco no porto de Egina
Imagem: Getty Images

Outro destaque na alimentação da ilha é o mel, graças a Adonis Tzitzis, um dos últimos apicultores nômades da Grécia que utiliza uma técnica desenvolvida no Egito Faraônico em 3 mil a.C. Lá, as colmeias eram colocadas em barcas que viajavam pelo Nilo em busca das melhores flores.

Hoje, com a mesma técnica de movimento, as abelhas bebem do néctar das flores de tomilho e produzem um mel delicado e claro que pode ser encontrado em lojas pela ilha e os preços variam de 10 a 20 euros por quilo.

Como chegar

A ilha fica no Golfo Sarônico, a 27 km de Atenas, é facilmente acessada do aeroporto da capital. Basta pegar um ônibus ou um trem que leve ao Porto de Pireu, de onde partem as balsas que levam para a ilha. O tempo varia de 40 a 75 minutos, de acordo com o tipo de balsa que você escolher, e os preços variam de 8 a 14 euros.

Chegando a Egina, a maneira mais fácil de se locomover é alugando um carro ou uma motorbike.

Roteiros internacionais