Topo

Viagem


Passeios e viagens de trem revelam lindas paisagens pelo mundo

Andrea Miramontes

Colaboração para UOL

03/10/2019 04h00

O trem pode ser não somente um meio de transporte, mas o caminho para se encantar com as paisagens mais lindas do planeta.

Roteiros passam pelas paisagens mais diversas, como o que vai da Rússia à China, pela Transiberiana. Outro serpenteia pelo Fim do Mundo, nos bosques do Ushuaia, na Argentina. Há até mesmo um belo passeio pelos trilhos que está bem pertinho, no Paraná.

Veja como é cada um deles para programar sua viagem inesquecível sobre os trilhos.

Vista para fiordes (Noruega)

Sem dúvida, esta é uma das viagens mais cênicas da Europa. O roteiro chamado "Norway in a Nutshell" corta montanhas, passa ao lado de cachoeiras gigantes e tem vista para fiordes noruegueses, lugares protegidos pela Unesco.

O turista pode incluir o trajeto de trem, barco, ônibus e pernoites em fiordes. A viagem bem completa sai de Bergen e chega a Oslo, passando por Flåm e Voss, a capital de aventura da Noruega.

Sverre Hjornevik
Imagem: Sverre Hjornevik

O trem serpenteia por montanhas e tem paradas estratégicas para fotografar cachoeiras de mais de 100 metros, passa por paisagens nevadas e ao lado de lagos azuis de degelo.

Em um dos trechos, o de ônibus, que só funciona de maio a setembro, a viagem inclui as curvas de Stalheimskleiva, uma das estradas mais íngremes do norte da Europa, construída em 1842. Passa por duas cachoeiras, a Stalheimfossen (126 m) e Sivlefossen (142 m).

No meio do passeio, há uma parada em Flåm para embarcar no trem The Flam Railway, pela Flamsbana, linha ferroviária de apenas 20 km que passa por túneis no alto das montanhas. Nesse trecho, esteja com a câmera fotográfica a postos. Depois, o caminho segue de volta a Oslo, a capital da Noruega.

Terje Rakke
Imagem: Terje Rakke

Flåm é um vilarejo que parece saído de contos de fadas, fica à beira do fiorde Aurlandsfjord. Programe-se para dormir uma noite por lá, antes de seguir pela ferrovia, e curta um passeio de bike nas montanhas.

Volta ao mundo: Rússia à China

Entre as rotas pela transiberiana, está uma viagem épica que parte de Moscou, na Rússia, e chega a Pequim, na China, passando pela Mongólia.

Após uma parada em Ulan-Ude, última cidade russa da rota, o trem desvia da transiberiana para seguir pela ferrovia transmongoliana em direção a Ulan Bator, a capital da Mongólia.

O viajante desce do trem para visitas estratégicas, como o mosteiro budista Gandantegchinlen, construído no século 19, o mais importante do país, e o Memorial Zaisan, em homenagem aos soldados soviéticos mortos na Segunda Guerra Mundial.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Na praça Sükhbaatar, há homenagens e estátuas da história da Mongólia, como a do conquistador Gengis Khan. Por fim, o trem finaliza sua jornada em Pequim.

Com mais de 9 mil quilômetros, a Transiberiana é a maior ferrovia do mundo. Seus roteiros podem passar por até 8 fusos horários. A principal rota segue de Moscou a Vladivostok. No Brasil, a Trains & Tours Lufthansa City Center, agência da TT Operadora, organiza a viagem com hotéis e passeios.

Trem do fim do mundo (Argentina)

Ushuaia, a Terra do Fogo na Argentina, também é chamada de Fim do Mundo, por estar localizada no extremo sul do continente americano.

Além de trekkings, esqui e encontro com pinguins livres, um dos passeios no destino é o Trem do Fim do Mundo, passeio sobre os trilhos que serpenteia pelo Parque Nacional.

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

O passeio tem 7 quilômetros que passam pelo rio Pipo, cachoeiras e bosques, com paisagens inacreditáveis. Dura 1h45 e conta com guias que explicam a história da região e do trem. A linha férrea foi construída no começo do século 20 para transporte de presos, que iam aos bosques para cortar lenha.

Os trens a vapor usados no percurso são de séculos passados e mantêm o design que invoca nostalgia durante o passeio. Várias operadoras da região fazem o roteiro, mas é possível realizar o passeio por conta, comprando o ingresso diretamente dentro do parque.

Brasileira secular (Paraná)

A rota brasileira que corta a Mata Atlântica pelas montanhas no Paraná foi elogiada por jornais estrangeiros, como o americano "The Wall Street Journal" e o inglês "The Guardian", que incluiu este passeio entre os dez mais lindos do mundo.

A estrada de ferro que conecta Curitiba a Morretes tem 130 anos, e a viagem de trem que corta as montanhas é operada pela Serra Verde Express.

Divulgação
Imagem: Divulgação

O trecho dura 3h30. Sai da capital paranaense e passa por pontes históricas, Ponte São João, inaugurada em 1885, pelo vão livre de vão livre de 110 metros de altura, atravessa o conjunto montanhoso do Marumbi e revela a Cascata Véu da Noiva.

O passeio completo inclui almoço e city tour em Morretes e Antonina, cidade do século 18, com arquitetura preservada.

Divulgação
Imagem: Divulgação

A rota tem ainda datas com passeios especiais, como o trem para degustação de cervejas, de vinhos, além de passeios para motoqueiros, em que o visitante embarca com a moto no trem.

Mais Viagem