Topo

Viagem


Aventura sobre rodas: conheça 10 das estradas mais assustadoras do mundo

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

15/08/2019 04h00

Ao redor do mundo, há estradas capazes de gerar mais frio na barriga do que montanhas-russas.

São vias com trajetos desafiadores para os motoristas e que, em alguns casos, passam ao lado de precipícios ou através de cenários extremamente ermos.

Outras delas exibem ilusões de ótica intrigantes ou se tornam mais perigosas durante o inverno.

A seguir, conheça 10 das estradas mais assustadoras do planeta.

Atlanterhavsveien (Noruega)

Nikolay Tsuguliev/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Nikolay Tsuguliev/Getty Images/iStockphoto

A estrada Atlanterhavsveien, na Noruega, promete dar um baita de um susto no motorista desavisado.

Isso porque um de seus trechos é marcado pela ponte Storseisundet (na foto), que, vista de longe, exibe uma subida em curva que, subitamente, parece desaparecer no céu.

O condutor pode ter a impressão de que, se continuar acelerando, irá cair em um abismo, como se estivesse em um filme da franquia "Velozes e Furiosos".

Mas é lógico que se trata apenas de uma ilusão de ótica: com cerca de 260 metros de comprimento, a Storseisundet continua como uma descida do outro lado, que atravessa um lindo cenário montanhoso e marítimo.

Através da Atlanterhavsveien, o turista pode chegar à ilha de Averoia, rodeada por lindos fiordes como o Kornstadfjord e o Kvernesfjord.

Estrada da Morte (Bolívia)

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

A Bolívia tem uma via terrestre capaz de assustar os turistas apenas com seu nome.

Trata-se da Estrada da Morte, que liga a área conhecida como La Cumbre, a cerca de 4.700 metros acima do nível do mar (e acessível desde a cidade de La Paz) à região do vale dos Yungas, a menos de 1.200 metros de altitude.

É um trajeto que, atualmente, é percorrido por turistas de bicicleta (e que apresenta um cenário de dar frio na barriga).

Durante a descida da Estrada da Morte, os viajantes passam por trechos estreitos, solos pedregosos e ao lado de precipícios que chegam a ter 600 metros de profundidade. E quase não há proteções para separar os ciclistas dos abismos.

Os passeios por lá costumam ser guiados e seguros, mas, em diversos momentos, é possível ver cruzes marcando locais de acidentes fatais que já ocorreram nesta via.

Rodovia Karakoram (China e Paquistão)

PatrickPoendl/Getty Images/iStockphoto
Imagem: PatrickPoendl/Getty Images/iStockphoto

A rodovia Karakoram tem aproximadamente 1.300 quilômetros de extensão e conecta os territórios da China e do Paquistão, na Ásia.

Apesar de estar cercada por paisagens incríveis, onde é possível admirar montanhas nevadas e um rio caudaloso, esta via pode ser bem perigosa: alguns de seus trechos são estreitos, sinuosos, esburacados e correm ao lado de profundos desfiladeiros.

Avalanches e deslizamentos de terra também ocorrem com frequência na região, assim como acidentes fatais: em 2018, por exemplo, 17 pessoas morreram após um ônibus cair em uma ribanceira da rodovia Karakoram.

Túnel de Guoliang (China)

lnzyx/Getty Images/iStockphoto
Imagem: lnzyx/Getty Images/iStockphoto

O túnel rodoviário de Guoliang passa por dentro da cordilheira de Taihang, na província chinesa de Henan.

A via é um tanto assustadora pois serpenteia junto a uma íngreme encosta da montanha e tem uma estrutura rústica que pode dar a impressão, em muita gente, de um iminente colapso.

Mesmo assim, muitos turistas vão até lá para tirar fotos de sua surpreendente paisagem (que pode lembrar o cenário do desenho "Os Flintstones").

Rodovia Dalton (EUA)

ovidiuhrubaru/Getty Images/iStockphoto
Imagem: ovidiuhrubaru/Getty Images/iStockphoto

A Dalton Highway, no Alasca, é uma estrada que costuma exigir muito cuidado dos motoristas.

Isso porque diversos dos seus trechos são irregulares e, durante o inverno, ficam cobertos de gelo.

Grande parte desta via atravessa áreas ermas do Alasca: um acidente pode deixar o viajante sem ajuda por um longo tempo.

A estrada também oferece poucos postos de gasolina e outras áreas de serviço: ficar preso no meio de uma nevasca por lá deve ser uma situação assustadora e, com certeza, perigosa.

Rodovia Kolyma (Rússia)

LightFieldStudios/Getty Images/iStockphoto
Imagem: LightFieldStudios/Getty Images/iStockphoto

A Rodovia Kolyma, na Rússia, é outro local onde o motorista pode encontrar pistas congeladas que são extremamente traiçoeiras.

Localizado no extremo leste do país de Vladimir Putin, cruzando uma área pra lá de remota, a via é um local onde o viajante pode ficar em maus lençóis (e sem assistência) caso ele sofra um acidente.

E há um fato macabro que marca esta estrada: ela é chamada de "Rodovia dos Ossos", porque, durante a época da União Soviética, foi construída por homens condenados ao trabalho forçado.

Muitos destas pessoas morreram durante as obras e tiveram seus corpos enterrados nos arredores da estrada.

Passage du Gois (França)

Gwengoat/Getty Images
Imagem: Gwengoat/Getty Images

A Passage du Gois é uma via automobilística que conecta Île de Noirmoutier (uma ilha de maré) e Beauvoir-sur-Mer, no departamento de Vendée, no litoral da França.

O local chama a atenção por um fato curioso, mas que pode assustar os desavisados: com pouco mais de 4 quilômetros de extensão, a Passage du Gois é frequentemente inundada pela água do mar.

Se impede a passagem dos carros, o fenômeno atrai turistas, que vão até o local para fotografar a via coberta pelo oceano Atlântico (foto).

Estrada da Costa Amalfitana (Itália)

MaRabelo/Getty Images/iStockphoto
Imagem: MaRabelo/Getty Images/iStockphoto

A estrada que conecta as vilas da Costa Amalfitana, no litoral da Itália, oferece vistas espetaculares para o Mar Mediterrâneo.

Ao mesmo tempo, pode deixar muitos turistas com medo. É uma via estreita, sinuosa e de mão dupla.

Ao pegar um dos ônibus que circulam pela área, o turista pode ter a impressão de que haverá um choque de veículos a qualquer momento (e alguns motoristas destes veículos coletivos dirigem de maneira um tanto imprudente).

O segredo é se concentrar no mar paradisíaco lá embaixo e tirar a tensão da mente.

Estrada Lalibela (Etiópia)

vlad_karavaev/Getty Images/iStockphoto
Imagem: vlad_karavaev/Getty Images/iStockphoto

É sempre uma pequena aventura viajar pelas rodovias da Etiópia.

A viagem estradeira que conecta a capital do país, Addis Abeba, à cidade de Lalibela (famosa por suas igrejas talhadas a partir das montanhas locais) é uma sequência sem fim de trechos estreitos e repletos de curvas, que faz com que muitos passageiros sintam vontade de vomitar durante o trajeto.

Cerca de 800 quilômetros separam os dois locais, mas a viagem costuma durar dois dias. Isso porque, pela precariedade das estradas etíopes, muitos ônibus não viajam à noite, obrigando os passageiros a dormir em uma cidade no meio do caminho antes de fazer a parte final da jornada rumo a Lalibela.

E é comum que os veículos fiquem subitamente frente a frente, no meio da rodovia, com enormes rebanhos bovinos, aumentado a chance de acidentes.

Trollstigen (Noruega)

laraslk/Getty Images/iStockphoto
Imagem: laraslk/Getty Images/iStockphoto

Situada no sudoeste da Noruega, perto da cidade de Andalsnes, a Trollstigen é uma estrada cercada por um cenário exuberante.

Mas, vista de cima, ela pode causar apreensão em motoristas com pouca experiência.

A rodovia serpenteia montanha abaixo, apresentando curvas fechadíssimas para quem se dispõe a percorrê-la.

E, durante o inverno, por causa da neve, a Trollstigen é fechada para o trânsito de veículos.

Mais Viagem