Topo

Viagem

Roteiros em família


Montanha-russa do Hagrid, em Orlando, é surpreendente até na fila

Danillo Sperandio

Do UOL, em Orlando*

10/08/2019 04h00

A saga de Harry Potter move uma grande massa de fãs até hoje, mais de vinte anos após o lançamento do primeiro livro do bruxo. Prova disso é que o Universal Studios, em Orlando, decidiu investir pesado na nova atração inspirada na temática.

Desde que o complexo de diversões inaugurou, em junho, a Hagrid's Magical Creatures Motorbike Adventure, a atração virou uma das mais populares do parque.

Popularmente chamada de montanha-russa do Hagrid (um dos personagens mais queridos da franquia), a atração está localizada no The Wizarding World of Harry Potter. O brinquedo conta com 7 lançamentos, queda livre, mais de 1,5 km de extensão (o que já conquistou o título de maior montanha-russa da Flórida) e muita aventura.

O termo que melhor define essa atração é "surpreendente", palavra essa que escutei de todos que conheceram o brinquedo junto comigo (em um evento para a imprensa de todo o mundo).

A aventura começa já na fila (vamos falar melhor sobre a fila depois), que reproduz as ruínas que ficam na Floresta Proibida, atrás da cabana do gigante -- cenário que não foi revelado nos filmes. Para quem é fã real oficial (como eu) desses bruxinhos essa parte já valeria o rolê.

A experiência

A Hagrid's Magical Creatures Motorbike Adventure, no The Wizarding World of Harry Potter - Divulgação
A Hagrid's Magical Creatures Motorbike Adventure, no The Wizarding World of Harry Potter
Imagem: Divulgação

A montanha-russa é cheia de aventuras e os seus carrinhos atingem a velocidade de 80km/h. Para mim, o que faz essa montanha-russa ser diferente das outras atrações do mundo de Harry Potter é que ela não é um simulador, tudo é real.

No início da volta, já damos de cara com um Rúbeo Hagrid de tamanho real. Mas ele não é a única criatura que encontramos ali: há também Fofo, o cão de três cabeças que aparece em Harry Potter e a Pedra Filosofal, além de centauros, unicórnios e outras criaturas -- tudo em tamanho real.

Depois de algumas curvas, lançamentos e muitos gritos, a Hagrid's surpreende novamente quando ela volta de costas e entra em uma caverna escura. Aí, quando menos se espera: "cabum"! Uma queda com 5 metros de altura -- e que, para mim, é o ponto alto da atração.

O carrinho é a famosa motocicleta do Hagrid e proporciona uma sensação diferente para cada usuário. Se você sentar no sidecar, sua experiência vai ser igual a qualquer montanha-russa, sem muita novidade além do que já foi citado. Agora se você conseguir ir na motocicleta, meu amigo, a brincadeira muda de história! Preso somente pelas pernas você tem a sensação de estar andando de moto em alta velocidade. Parece que você está solto no brinquedo.

Para mim, que amo motocicleta, o lugar fez muita diferença.

Fila

A fila é rica em detalhes, com muitas criaturas escondidas no meio das árvores e uns sons que fazem muita diferença na experiência. Em alguns momentos você vai passar por corredores apertados e escuros, o que gera uma certa claustrofobia, mas você sempre sai em uma sala grande, que ora mostra materiais das aulas ministradas por Hagrid e ora projeta uma introdução à história.

Um ponto que é preciso citar: sua experiência nunca vai ser completa com uma só ida ao brinquedo, porque tem detalhes que são vistos somente à luz do dia e outros que só são revelados à noite.

Outro detalhe a se pesar é o tempo de espera da fila. No dia da inauguração oficial para o público, a rede de televisão local WFTV relatou que os visitantes chegaram a ficar 10 horas na fila (o parque funciona das 9h às 21h) somente para andar nesse brinquedo -- que tem uma volta de 3 minutos de duração. Na época, o Universal estimou a espera em 8 horas em sua conta oficial no Twitter.

Embora o período mais caótico já tenha passado, vários visitantes têm reclamado nas redes sociais sobre o funcionamento do brinquedo, já que ele não está operando o dia inteiro -- sem maiores explicações do motivo -- nem tem permitido que se faça o agendamento pelo aplicativo do Universal Orlando.

The queue for Hagrids

A post shared by Richie Bryan (@richbryan) on

Como ainda é verão e período de férias escolares no Hemisfério Norte, a fila da nova atração continua sempre cheia.

A paulistana Flávia Caspar Coelho esteve na última semana de julho no parque e contou que precisou ficar monitorando o funcionamento e o tamanho da fila pelo app. Quando encontrou uma estimativa de 2 horas de fila, ela encarou a espera. "Acabou sendo quase 3 horas na fila. A montanha-russa tinha ficado fechada boa parte daquele dia e só diziam que era por 'problema técnico'. Mas é a montanha-russa é maravilhosa. Achei incrível, nota mil!"

* O jornalista viajou a convite do Universal Orlando Resorts

Roteiros em família