Topo

Viagem


Refugiados anfitriões: você pode provar comida e arte de imigrantes em SP

Yamam Saad veio da Síria há 3 anos e oferece "Uma viagem a Damasco", que consiste em guiar seus hóspedes pelas ruas da parte antiga e histórica da cidade - Murilo Medina/Airbnb Maquina
Yamam Saad veio da Síria há 3 anos e oferece "Uma viagem a Damasco", que consiste em guiar seus hóspedes pelas ruas da parte antiga e histórica da cidade Imagem: Murilo Medina/Airbnb Maquina

Pedro Fonseca

do UOL

03/07/2019 04h00

Já pensou em fazer um passeio por Damasco e experimentar as comidas dos restaurantes locais? E aprender a teatroterapia do tambor venezuelano, uma dança afro-venezuelana que representa a dor dos escravos? Agora essas oportunidades são possíveis na cidade de São Paulo.

Vinte refugiados e imigrantes se tornaram anfitriões do projeto "Experiências no Airbnb" na capital paulistana. A iniciativa chamada "Raízes na Cidade", criada em parceria com a ONG Migraflix, visa conectar essas pessoas com a sociedade brasileira por meio de ideias empreendedoras. As atividades vão de um tradicional jantar Sírio a uma apresentação de músicas de trabalhadores venezuelanos.

Todas as experiências disponíveis têm renda 100% revertida aos empreendedores - Erick de Vasconcelos/ Airbnb Maquina
Todas as experiências disponíveis têm renda 100% revertida aos empreendedores
Imagem: Erick de Vasconcelos/ Airbnb Maquina

Yamam Saad, por exemplo, veio da Síria há 3 anos sem companhia. Formada em Arqueologia, ela trabalhava no Museu Nacional de Damasco. A experiencia que oferece se chama "Uma viagem a Damasco", que consiste em guiar seus hóspedes pelas ruas da parte antiga e histórica de Damasco, passando por restaurantes típicos em que ela recria os pratos principais.

Outro personagem é Duchelier Mahonza, que ensina um pouco da história e a expressão dos tecidos africanos. O jovem congolês ensina as técnicas de artes para fazer uma estampa em um papel sulfite formato A3 usando guache e pincel. Duchelier se inspirou nas mães que carregam seus filhos com panos amarrados no torço.

Localizadas em diferentes regiões da capital paulista, é possível reservar uma degustação de doces venezuelanos no bairro da Pompeia, colocar a mão na massa e fazer o pão folha típico da Síria na Vila Gumercindo ou ouvir música haitiana de uma banda na Liberdade, por exemplo.

Duchelier Mahonza veio do Congo e ensina um pouco da história e a expressão dos tecidos africanos - Murilo Medina/Airbnb Maquina
Duchelier Mahonza veio do Congo e ensina um pouco da história e a expressão dos tecidos africanos
Imagem: Murilo Medina/Airbnb Maquina

Inseridas como experiências de impacto social na plataforma, todas elas têm renda 100% revertida aos empreendedores.

O participante mais jovem no projeto tem 28 anos, enquanto o mais velho tem 73 anos. Além disso, 30% das experiências são realizadas na casa da própria pessoa, e 60% dos anfitriões são mulheres.

As vivências estão disponíveis para reserva tanto no app quanto pelo site, com valores que variam de R$ 40 a R$ 130.

Mais Viagem