Topo

Viagem


Recorde de turistas brasileiros em Israel: veja atrativos da Terra Santa

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

03/02/2019 04h00

Israel está na moda - e não apenas entre membros do novo governo brasileiro, que tem estreitado relações diplomáticas com o gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. O país do Oriente Médio recebeu em 2018, pelo terceiro ano seguido, um número recorde de viajantes vindos do Brasil: foram 62,5 mil turistas provenientes do território verde e amarelo, um crescimento de 14% em relação a 2017.

E, ao que tudo indica, este fluxo deve aumentar, visto que, recentemente, a Latam inaugurou um voo direto entre São Paulo e Tel Aviv. Mas o que o Israel tem a oferecer aos forasteiros?

Trata-se de uma nação dona de alguns dos principais destinos religiosos do planeta, mas que também abriga atrativos naturais, baladeiros e culturais de primeira grandeza.

A seguir, veja passeios incríveis para fazer por lá.

Jerusalém

Divulgação/Visit Israel
Imagem: Divulgação/Visit Israel

Qualquer viagem a Israel deve ter como prioridade uma longa visita a Jerusalém.

A cidade sagrada para as três principais religiões monoteístas do mundo, afinal, abriga monumentos com centenas e milhares de anos que são fundamentais na história da humanidade.

Lá estão, por exemplo, a igreja do Santo Sepulcro (que marca o local onde Jesus teria sido crucificado e sepultado), o Muro das Lamentações (lugar para orações fervorosas de judeus) e a mesquita de Al-Aqsa, um dos mais importantes templos do islamismo no planeta.

E, entre estes cartões-postais, há outras atrações, como o Monte das Oliveiras, de onde se tem uma visão panorâmica fantástica do centro histórico de Jerusalém e de um pôr do sol simplesmente inesquecível.

E Jerusalém não é apenas religião: faça um passeio pelos arredores da via conhecida como Jaffa Road e você se deparará com restaurantes e barzinhos descolados. 

Eilat

Divulgação/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Divulgação/Ministério do Turismo de Israel

Mas não pense que Israel é apenas um destino de turismo religioso. No sul do país, por exemplo, fica a cidade de Eilat, que é banhada pelo Mar Vermelho e constitui um popular destino de férias entre a população israelense.

Além de contar com uma costa com mais de 7 quilômetros de extensão (oferecendo pontos perfeitos para um mergulho), Eilat é um lugar que abriga uma vida noturna agitada (com diversas discotecas e bares), uma ampla infraestrutura hoteleira, ótimos spas, shopping centers e um local onde é possível nadar com golfinhos (na área conhecida como Dolphin Reef).

Lá também fica o Observatory Underwater Marine Park, um parque onde se observa espécies da fauna marinha.

Deserto de Negev

Dafna Tal/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Dafna Tal/Ministério do Turismo de Israel

O Deserto de Negev ocupa mais de 50% do território israelense - e é um destino que costuma fascinar os turistas.

Um de seus principais atrativos é o Timna Park, localizado a cerca de 25 quilômetros ao norte de Eilat e que fica em um vale em formato de ferradura, recheado de penhascos íngremes, como o Monte Timna. É um local para quem gosta de realizar longas caminhadas ao ar livre.

No Negev é também possível fazer passeios de camelo, a cavalo, expedições de bicicleta e observação de estrelas, além de praticar sandboard.

Há tours de um dia para o deserto organizados por agências em Jerusalém e Tel Aviv.

Haifa

Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel

Haifa é a terceira maior cidade de Israel e reserva diversas surpresas para o visitante.

Além de abrigar o maior porto do país, Haifa exibe cartões-postais como um lindíssimo complexo de jardins do Centro Mundial da Fé Bahá'í que se espalha pelo Monte Carmelo (à direita na foto acima).

Aos pés do Monte Carmelo, por sua vez, existem belos edifícios construídos por alemães que estabeleceram uma comunidade cristã na Terra Santa. Entre eles, há pitorescas edificações de pedra que rendem grandes fotos para o turista.

E há importantes instituições culturais em Haifa, como o Museu Marítimo Nacional, o Museu Nacional de Ciência e Tecnologia e o Museu Tikotin de Arte Japonesa.

Safed

Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel

Safed está situada em uma linda área montanhosa da região da Galileia e é famosa por ser um centro importantíssimo da Cabala.

Com uma história que remonta a milhares de anos, Safed também abriga monumentos fascinantes, como a Cidadela (uma fortificação da época das Cruzadas).

A cidade ainda exibe ruas estreitas cheias de atmosfera (como é possível ver na foto acima), por onde se espalham sinagogas, galerias de arte, cafés e restaurantes aconchegantes.

Acre

Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Itamar Grinberg/Ministério do Turismo de Israel

Localizada à margem do mar Mediterrâneo, Acre é uma das mais importantes cidades históricas de Israel.

O local abriga diversos testemunhos da época das Cruzadas, como a Fortaleza dos Hospitalários, construída a mando do lendário Ricardo Coração de Leão, e com parte de sua imponente estrutura aberta a visitação de turistas.

O Mercado de Acre, por sua vez, é um dos melhores lugares de Israel para comprar especiarias do Oriente, doces árabes e peixes frescos.

E, ao redor da área portuária de Acre, há deliciosos restaurantes, perfeitos para um jantar com muito clima.

Cesarea

Divulgação/Ministério do Turismo de Israel
Imagem: Divulgação/Ministério do Turismo de Israel

Localizada no litoral de Israel, entre as cidades de Tel Aviv e Haifa, Cesarea abriga um dos mais importantes sítios arqueológicos deste país do Oriente Médio.

Trata-se de um lugar que exibe, ao lado do mar Mediterrâneo, edificações que vão do período helênico (século 3 a.C.) até a era das Cruzadas (que datam do século 12 d.C.).

Uma das grandes atrações do local são as ruínas de um antigo Palácio do rei Herodes, o Grande, que devem ser observadas por quem está na área.

E, nesta região, não deixe de visitar uma praia que é marcada por um antigo aqueduto. 

Tel Aviv

Dance60/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Dance60/Getty Images/iStockphoto

Tel Aviv é a principal porta de entrada de Israel para quem chega ao país de avião. E se trata de uma metrópole que poderia muito bem estar no litoral da Europa.

Banhada pelo mar Mediterrâneo, Tel Aviv exala uma atmosfera festiva, liberal (este centro urbano é um dos locais mais "gay friendly" do mundo) e cosmopolita: aqui, espere encontrar alguns dos melhores restaurantes de Israel, servindo receitas de diversas partes do mundo.

A orla da cidade é extremamente bem cuidada e fotogênica: reserve um dia para pegar um bronze sobre a areia da praia, passear de bicicleta ao longo da avenida à beira-mar e, ao cair do sol, tomar drinques em algum dos excelentes bares que existem em Tel Aviv. Aqui, você tem grandes chances de esquecer que está no turbulento Oriente Médio.

E, bem pertinho, fica Jaffa, centro urbano com um belíssimo centro histórico pontuado por galerias de arte e ótimos restaurantes.

Galileia

Cezary Wojtkowski/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Cezary Wojtkowski/Getty Images/iStockphoto

A região da Galileia, em Israel, é um dos principais destinos cristãos no mundo.

Isso porque foi aqui onde ocorreram episódios importantíssimos do Novo Testamento.

Nazaré, por exemplo, é o local onde Jesus teria passado a primeira parte de sua vida. Lá está, também, a Basílica da Anunciação (na foto), que marca o local no qual Maria teria recebido a visita do arcanjo Gabriel e sido informada de que ela seria mãe do filho de Deus.

Jesus, por sua vez, teria caminhado sobre as águas do Mar da Galileia (que, na verdade, é um lago e tem suas margens acessíveis a visitas turísticas). E Cafarnaum, que hoje é um interessante sítio arqueológico com ruínas antigas, teria sido o lar de Jesus durante parte de seu ministério.

E, na Galileia, ainda há locais como o monte Tabor, onde, segundo a Bíblia, ocorreu o episódio da Transfiguração de Jesus.

Mar Morto

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Israel divide o Mar Morto com a Jordânia e, no território israelense, ao redor deste lendário corpo de água, há diversos hotéis que oferecem grande infraestrutura para o turista com excelentes spas e bons restaurantes.

O Mar Morto é, na verdade, um lago, e a alta salinidade de sua água ajuda o turista a boiar facilmente: uma das grandes diversões dos visitantes é ler jornais ou livros enquanto flutuam nesta paisagem bíblica. 

É um dos lugares mais únicos de todo o Oriente Médio e vale a pena passar pelo menos uma noite por lá. E prepare a câmera na hora em que for pegar um veículo para ir embora: da estrada que corre sobre as montanhas da região, é possível ter visões panorâmicas fantásticas do Mar Morto. 

É seguro para brasileiros?
O presidente Jair Bolsonaro já anunciou ter intenção de mudar a embaixada do país de Tel Aviv para Jerusalém.

Entretanto, existe um consenso entre boa parte da comunidade internacional de que Jerusalém só deve ser confirmada como a capital israelense no mesmo momento em que o setor oriental da cidade for reconhecido como a capital de um futuro (porém incerto) Estado palestino. 

E aí surge a pergunta: a atitude do governo brasileiro pode gerar hostilidades dos árabes que vivem em Israel (e que almejam ter uma capital palestina em Jerusalém) contra turistas vindos do Brasil?

Para Arlene Clemesha, professora de História Árabe na Universidade de São Paulo, a possível mudança da embaixada brasileira para Jerusalém dificilmente vai gerar atitudes violentas dos palestinos contra os brasileiros. Para ela, porém, a receptividade que os árabes sempre ofereceram aos brasileiros pode ser afetada.

"Para os árabes, o Brasil é sinônimo de futebol, música e atitudes amigáveis, o que ajuda o brasileiro a ser bem visto no Oriente Médio".

Clemesha, entretanto, afirma existir a possibilidade de que, a partir de agora, o tema da mudança da embaixada possa deixar as conversas entre brasileiros e árabes menos amistosas. 

Para Renata Cohen, diretora-geral do Ministério do Turismo israelense no Brasil, turistas encontram um ambiente seguro em Israel. 

"Nossa infraestrutura turística é exemplar, as atrações estão localizadas em ambientes 100% seguros, pois o país coloca o item segurança em primeiro lugar, tanto para visitantes de qualquer lugar do mundo quanto para a população", diz ela. 

Mais Viagem