Topo

Viagem


Dez dicas para fazer viagens tranquilas após os 60 anos de idade

Viaje sem pressa: você pode e deve curtir um dia de sol na piscina do hotel - Getty Images
Viaje sem pressa: você pode e deve curtir um dia de sol na piscina do hotel Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

21/09/2015 22h14

Os idosos brasileiros estão colocando o pé na estrada. Segundo o Ministério do Turismo, pessoas com mais de 60 anos de idade fizeram pelo menos 18 milhões de viagens no ano passado, o que representa um aumento de 11% nos últimos quatro anos.

Os gostos variam. As agências de turismo têm trabalhado com todo tipo de viagem para a terceira idade, entre roteiros culturais, ecológicos e de compras. Não existem restrições, mas é importante tomar alguns cuidados para que a viagem seja aproveitada ao máximo. Confira abaixo dez dicas para viajar sem maiores preocupações.

  • Fuja das datas tumultuadas

    Eby Piaskowy, diretora de Marketing da Queensberry Viagens, destaca uma grande vantagem de quem viaja após a aposentadoria: não ter que encarar datas como feriados e férias escolares. "Fora da alta temporada você consegue voos mais tranquilos, as cidades estão mais vazias, há menos filas em museus ou monumentos e os preços são melhores, tanto no transporte aéreo quanto no terrestre", diz ela. Então, vale a pena aproveitar!

  • Faça um bom planejamento

    Evite correrias e traslados longos e cansativos com um bom estudo do roteiro. "Nessa idade, não há mais aquela loucura de querer conhecer dez atrações no mesmo dia", diz Eby Piaskowy. O ideal é ficar em cada cidade tempo suficiente para desfrutá-la com calma. Para evitar desgastantes e cansativas trocas de hotel, uma boa alternativa é escolher um local como base e, a partir de lá, fazer pequenos passeios nas redondezas. Um agente de viagem poderá ajudar nessa tarefa.

  • Escolha hotéis bem localizados

    Reserve hotéis confortáveis não muito distantes dos principais pontos turísticos e centros comerciais. Para fazer a escolha, busque recomendações de quem já esteve lá. Comodidades como ar-condicionado, banheiro privativo e elevadores podem ser determinantes para o bom aproveitamento da viagem.

  • Respeite seu ritmo

    É natural que uma viagem torne os dias mais agitados e cansativos. Mas é preciso estar atento aos limites do corpo. O que não conseguir ver em um dia, deixe para o dia seguinte. Além disso, procure manter alguma regularidade nos horários de sono e refeições.

  • Use roupas confortáveis

    Comodidade é fundamental para garantir bem-estar na viagem. "Leve roupas e sapatos confortáveis, evite peças apertadas e dê preferência aos tênis. As mulheres devem evitar sapatos de salto", recomenda Gustavo Johanson, especialista do Ambulatório de Medicina do Viajante da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

  • Previna-se de problemas circulatórios

    Viagens com mais de seis horas de duração, sobretudo quando não há paradas (caso das viagens de avião, por exemplo) trazem maior risco para trombose venosa profunda, doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias. O geriatra Paulo Camiz, do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), recomenda movimentar as pernas ao longo da viagem. "Mesmo sentada, a pessoa pode ficar contraindo a panturrilha o máximo possível", explica. Outra medida relativamente simples, diz o médico, é usar meia elástica de média compressão. Pacientes com obesidade ou distúrbios de coagulação sanguínea poderão precisar de medicação anticoagulante para reduzir o risco da doença. Vale consultar um médico.

  • Mantenha-se hidratado

    Ande com uma garrafinha de água e vá tomando aos poucos ao longo do dia, sem esperar sentir sede. Segundo o médico Gustavo Johanson, em pessoas com mais de 60 anos de idade o mecanismo da sede não está tão ativo ou tão sensível quanto nos mais jovens. O risco é a desidratação, que pode causar queda de pressão arterial, problemas renais e até confusão mental.

  • Cuidado com temperaturas extremas

    "Pessoas com mais de 60 anos lidam mal com extremos de temperatura", alerta o geriatra Paulo Camiz. "Produzem menos calor e sentem menos frio também; então, só vão manifestar os sintomas quando a situação já estiver intensa", explica o médico. No frio, podem sofrer de hipotermia; no calor intenso, podem se desidratar. "Não espere ter o sintoma, antecipe-se a ele. Se sente que vai esfriar, proteja-se logo".

  • Leve seus remédios

    Carregue medicamentos de uso contínuo ou habitual, como remédios para hipertensão, diabetes, colesterol alto e problemas cardiológicos. Se for viajar de avião, o ideal é que os medicamentos sigam na bagagem de mão, junto com a prescrição médica. Se for alérgico - especialmente se tiver alguma alergia alimentar - é recomendável levar um antialérgico recomendado pelo médico. Aliás, antes de viajar, o ideal é fazer uma consulta médica preventiva.

  • Faça um seguro de saúde

    Se você vai viajar no Brasil e já tem convênio médico, só precisará checar se o seu plano tem abrangência nacional. Porém, se estiver indo para outro país, é importante adquirir um seguro saúde, pois as despesas médicas no exterior podem ser exorbitantes.

Mais Viagem