Topo

Balada


Restaurantes históricos: um roteiro no Centro de SP para conhecer o passado

Otavio Valle/NBQ
Imagem: Otavio Valle/NBQ

Daiana Dalfito

Colaboração para Urban Taste, em São Paulo

29/08/2019 18h00

O destino inevitável de São Paulo era se tornar um celeiro gastronômico, por reunir imigrantes e migrantes de diversos países e regiões do Brasil. Na metrópole, há cozinhas com sotaques asiáticos, nordestinos, africanos e europeus, que proliferam em pratos preparados como comidas caseiras ou experiências inovadoras. Mas a cidade guarda mais: além das casas da moda, endereços perduram há muitas décadas e preservam a qualidade que os fizeram longevos.

Veja também:

10 restaurantes de culinária afetiva em SP para se sentir em casa
De cheddar a abacate: um roteiro por 'dogões' diferentes em São Paulo
Botecos antigos no centro de São Paulo contam a história da região
As padarias mais antigas de São Paulo

O Urban Taste escolheu cinco restaurantes com 50 anos ou mais para serem apreciados no Centro. Simples ou refinados, servem boa comida e um punhado de histórias. Para nos ajudar a compreender como essa vida longa é possível, conversamos com o Rodrigo Alves, quarta geração à frente do (quase) centenário Ponto Chic, e a terceira de sua família, que assumiu o empreendimento na década de 1970.

Rodrigo conta que o segredo é incorporar as novidades sem perder as características e a qualidade do serviço. "O Ponto Chic deve seu maior sucesso ao cliente e é nisso que nos alicerçamos, sempre ouvimos o que o consumidor tem a nos dizer", afirma.

A máxima popular "o olho do dono é que engorda o gado" parece também fazer sentido nesses exemplos. Todos têm constante dedicação e cuidado familiar. Venha, puxe a cadeira e peça o cardápio; tem muita vida nesses sabores.

Leiteria Ita

Otavio Valle/NBQ
Imagem: Otavio Valle/NBQ

Com mais de seis décadas, a Leiteria Ita está instalada na Rua do Boticário, uma travessa pouco movimentada do Centro, que desemboca no Largo do Paissandu. Ali os balcões são soberanos e a decoração é simples, com um mix de azulejos brancos com desenhos delicados e outros que estampam cruzes de malta vermelhas. Na mão da mesma família desde os anos 70, o Ita conserva, além da boa comida com preços módicos (os PFs giram em torno dos R$ 20), particularidades como as contas feitas a lápis, diretamente no balcão. Às sextas, peça o bacalhau à portuguesa (R$ 65), uma vedete da casa.

Vai lá:
Rua do Boticário, 31, Centro, São Paulo.
Terça a sábado, das 11h30 às 18h.
Telefone: (11) 3223-3845

Raful

Jefferson Coppola/Folhapress
Imagem: Jefferson Coppola/Folhapress

Comida boa no coração do comércio popular? Claro que sim! O Raful é especializado na cozinha sírio-libanesa e tem sua matriz está há quase 60 anos em uma paralela da 25 de Março. O restaurante é dividido em suas alas: na frente, é possível pedir salgados como a esfiha folhada de ricota (R$ 7,20), com massa de bordinhas crocantes e recheio bem temperado, ou uma variedade de doces saborosíssimos, que vão do malabie (manjar libanês, R$ 9,50) à coalhada fresca com doce de damasco (R$ 13,50). Para um almoço mais tranquilo, siga para o salão, nos fundos, e escolha entre especialidades frias e quentes no cardápio enxuto e certeiro. Boa pedida são os charutos, inclusive com versão vegetariana, por R$ 33,50.

Vai lá:
Rua Comendador Abdo Schahin, 118, Centro, São Paulo.
Segunda a sexta, das 7h às 18h.
Sábado, das 7h às 16h.
Telefone: (11) 3229-8406

PASV

Karime Xavier/Folhapress
Imagem: Karime Xavier/Folhapress

Com fachada e salão simples, o PASV pode passar despercebido por aqueles que andam apressados pela avenida São João. Ali desde a década de 1960, o restaurante e churrascaria se destaca pelas receitas de origem espanhola. Como sugestão fica a paella (R$ 250), que serve de três a quatro pessoas, e o cozido à espanhola (R$75), com grão de bico, frango e outras carnes para até três convivas. O primeiro pode ser saboreado todos os dias, enquanto o cozido se reserva ao menu de domingo. Para os que se apaixonam pelas camadas de história impregnadas no ambiente, lambris rústicos, um extenso balcão com cadeiras fixas e azulejos do tempo da vovó são só o aperitivo.

Vai lá:
Avenida São João, 1145, República, São Paulo.
Todos os dias, das 11h30 às 23h30.
Telefone: (11) 3221-2715
Mais informações no site do PASV.

Ponto Chic

Divulgação
Imagem: Divulgação

O mais antigo restaurante da nossa seleção está há 97 anos em atividade. O carro chefe é o famoso bauru (R$ 26,90), sanduíche feito com pão francês fresco e sem miolo, 100g de queijo derretido em banho maria (mistura de estepe, gouda, prato e suíço), 70g de rosbife, três rodelas de pepino em conserva e três de tomate. Mas também há pratos e petiscos, além de hambúrgueres, beirutes e sopas. Com três endereços na cidade, o ponto tradicional fica no Largo do Paissandu e guarda ares de antigamente, com fachada preservada e garçons alinhados com a clássica gravata borboleta.

Vai lá:
Largo do Paissandu, 27, Centro, São Paulo.
Segunda a sábado, das 12h às 20h.
Telefone: (11) 3222-6528
Mais informações no site do Ponto Chic.

La Casserole

No Largo do Arouche, um restaurante francês faz história há 65 anos. La Casserole está nas mãos da família Henry há três gerações, enfrentou a decadência do Centro e agora vive seu renascimento. Próximo ao Mercado de Flores, segue, como seu vizinho, charmoso e com qualidade. A decoração é em madeira, alguns espelhos, luz amarelada e janelas envidraçadas, que levam claridade ao salão. No cardápio, receitas sofisticadas como o magret de pato ao molho de tamarindo com mini legumes em manteiga de especiarias (R$ 84) e o hiper clássico coq au vin (galinha marinada ao vinho tinto), por R$ 71. Entre as sobremesas, fique com os delicados profiteroles, carolinas recheadas com sorvete de creme e calda quente de chocolate (R$ 22 ou R$ 31). Também há menu executivo servido no almoço, de terça a sexta - exceto feriados e emendas - por R$ 52 com entrada, prato principal e sobremesa.

Vai lá:
Largo do Arouche, 346, República, São Paulo.
Terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 0h.
Sábado, das 12h30 às 16h e das 19h às 0h30.
Domingo, das 12h30 às 16h30.
Telefone: (11) 3331-6283
Mais informações pelo site do Le Casserole.

Balada