Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Virada Sustentável: 7 atrações para repensar sua relação com a cidade

Parque do Ibirapuera - Adobe Stock
Parque do Ibirapuera
Imagem: Adobe Stock

Laise Guedes

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

21/08/2019 05h00

Você acha que a vida em São Paulo anda insustentável e fica exausto só de pensar no barulho, no congestionamento e nas ruas superlotadas da selva de pedra? Saiba que você não está sozinho. Mas, se por um lado sobram problemas nesse caldeirão urbano, por outro, não falta gente engajada e disposta a reinventar a cidade e torná-la um lugar mais inclusivo, verde e sustentável para se viver.

Veja também:

O poder do hábito em São Paulo: rotinas simples que podem melhorar a cidade
Para além do voto: conheça espaços para participar da política em São Paulo
Conheça o estilo de vida "zero waste", que busca reduzir a produção de lixo

Essa é a proposta da Virada Sustentável, o maior festival sobre o tema no Brasil, que começa nesta quinta-feira (22) em São Paulo. E durante quatro dias vai discutir temas como cidadania, consumo consciente, economia verde, bem-estar, mobilidade urbana e direito à cidade.

Em sua nona edição na capital, a programação é inteiramente gratuita, com mais de 600 atrações de música, teatro, dança, cinema, exposições, além da feira de trocas Escambagem e do Fórum Virada Sustentável, no centro cultural Unibes. A maioria das atividades estão concentradas no centro da cidade, mas o evento promete ocupar centenas de espaços espalhados por SP.

Para você não ficar perdido entre tantas opções, criamos um roteiro especial com sete destaques, que propõem outras formas de viver e se relacionar melhor com a cidade. Confira:

Desperdício zero

Os paulistanos jogam mais de 50 toneladas de alimentos no lixo todos os dias. Se o seu lema também é "melhor sobrar do que faltar", o painel "Comer Bem e Salvar o Planeta" pode ser uma boa oportunidade para repensar esse hábito. A oficina vai discutir o combate ao desperdício de alimentos e o desafio de alimentar adequadamente uma população que não para de crescer. Para participar é preciso realizar inscrição prévia no site do festival.

Vai lá:
Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2500, Pinheiros, São Paulo.
22 de agosto, quinta-feira, às 14h.

Pra ver e pra comer

Divulgação
Imagem: Divulgação

Democratizar o acesso à comida e aprender a encontrar alimentos nutritivos onde antes só se via mato. Essa é a vantagem das PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais), que mesmo comestíveis e de fácil cultivo, ainda são pouco conhecidas e consumidas nas cidades. Ficou curioso? As oficinas "A Caça ao Tesouro: onde estão as PANCs?" e "PANC's: que planta é essa que eu posso comer?" vão ensinar como colher mudas e encontrar sementes em uma simples caminhada pelo centro urbano.

Vai lá:
A Caça ao Tesouro: onde estão as PANCs?
CEU Butantã
Avenida Engenheiro Heitor Antônio Eiras Garcia, 1870, Jardim Esmeralda, São Paulo.
23 de agosto, sexta, às 15h.

PANC's: que planta é essa que eu posso comer?
CEU Aricanduva
Rua Olga Fadel Abarca, s/n - Jardim Santa Terezinha - São Paulo.
22 de agosto, quinta, às 10h.


A arte da caminhada

Se você ainda acha que as ruas e as calçadas da cidade servem apenas de passagem, então precisa conhecer o projeto CalçadaSP, que incentiva o olhar apreciativo como o primeiro passo para ocupar a cidade. Na manhã de sábado (24), o grupo organiza o passeio "Calçada é Arte?" no centro de São Paulo, com início e ponto de encontro na Praça da República. A caminhada vai passar por lugares e calçadas muito vistas, mas pouco conhecidas pela população -- entre elas, a da Biblioteca Mário de Andrade, considerada uma verdadeira obra de arte.

Vai lá:
Estação República
Praça da República, 299, República, São Paulo.
24 de agosto, sábado, das 10h às 11h.


Mais empatia, por favor

Divulgação
Imagem: Divulgação

Em uma cidade com milhões de habitantes, como lidar melhor com conflitos na rua, no trânsito, no trabalho ou em casa? Se para você isso parece uma missão impossível, a boa notícia é que existe uma ferramenta chamada Comunicação Não Violenta (CNV). Na oficina "CNV para cura de culpas e falta de empatia", a especialista Carolina Nalon vai ensinar uma abordagem para se relacionar de uma forma mais autêntica e "desarmada". E fará uma vivência sobre o uso da não-violência para fomentar transformações sociais positivas.

Vai lá:
Parque Ibirapuera
Avenida República do Líbano, 1117, Portão 7, Serraria - Lounge 2, Ibirapuera, São Paulo.
25 de agosto, domingo, às 11h30.

Monges urbanos

Monge Satyanatha, mestre em meditação. - Divulgação
Monge Satyanatha, mestre em meditação.
Imagem: Divulgação

Você sente que está sempre correndo, faz mil coisas ao mesmo tempo e não foca em mais nada? Mais que uma modinha, a atenção plena (mindfulness) é uma forma de meditação que pode ajudá-lo a viver no momento presente. Na sexta (23), o monge Satyanatha, mestre em meditação, realiza a atividade "Um Olhar de Monge para a Cidade", que ensina como utilizar essa técnica milenar para encontrar beleza no seu dia a dia e interagir melhor com a cidade. Os interessados precisam fazer inscrição prévia.

Vai lá:
Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2500, Pinheiros, São Paulo.
Salão U-Cult 360.
23 de agosto, sexta, das 9h50 às 10h40.

Luz, câmera, ação!

Divulgação
Imagem: Divulgação

Se você já ouviu falar sobre os benefícios da energia limpa e renovável para a cidade, mas teve poucas oportunidades de ver de perto como isso funciona, não deixe de conferir a atração CineSolar. É o primeiro cinema itinerante do Brasil que utiliza energia solar por meio de um furgão, equipado com um sistema de captação da luz do sol, capaz de gerar a energia necessária para alimentar toda a sua estrutura. Durante a virada, serão exibidos curta metragens da 18ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, como Menino da Gamboa (2014), Bravura (2014), Lá do Alto (2016), entre outros. Além da projeção de filmes, o projeto também promove oficinas e atividades artísticas e lúdicas.

Vai lá:
Estação República
Praça da República, 299, República, São Paulo.
24 de agosto, sábado, das 10h às 11h.

Música para ouvir e acolher

Que São Paulo está entre as cidades que mais recebem imigrantes, isso todo mundo já sabe. Mas apesar da fama de ser acolhedora, muitos ainda desconhecem a realidade dos refugiados que recomeçaram suas vidas na cidade. Assim, a Orquestra Mundana Refugi nasceu com o objetivo de unir pessoas de diferentes culturas por meio da música e de conscientizar sobre a imigração e a convivência entre os povos. Trata-se de um grupo de músicos refugiados de mais de dez nacionalidades liderados por Carlinhos Antunes. A orquestra se apresenta no palco principal do Ibirapuera neste sábado (24), com um repertório de temas tradicionais da Palestina, Irã, Guiné, Congo e Brasil.

Vai lá:
Parque do Ibirapuera
Avenida Pedro Álvares Cabral, São Paulo.
Palco Principal.
24 de agosto, sábado, das 16h às 17h.

Confira tudo o que vai rolar de 22 a 25 de agosto no site da Virada Sustentável 2019.

Mais Cultura e lazer