PUBLICIDADE
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Conheça 6 lugares em SP para tomar cervejas artesanais direto da fábrica

Alguns brewpubs de São Paulo chegam a produzir uma receita nova por semana - Divulgação
Alguns brewpubs de São Paulo chegam a produzir uma receita nova por semana Imagem: Divulgação

Bruno Dias

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

17/05/2019 16h00

A combinação água, malte, lúpulo e levedura, receita básica para se produzir uma cerveja de qualidade, tem ganhado cada vez mais elementos na atual produção nacional, e a proliferação de novos brewpubs - bares onde você pode degustar cervejas que são produzidas no próprio local -, tem influência direta nas cervejas artesanais "diferentonas" que estão aparecendo no mercado.

Inspirados em modelos de negócio de cervejarias da Europa e dos Estados Unidos, principalmente da Califórnia e Nova York, os brewpubs oferecem cervejas extremamente frescas, não filtradas, mas não é só isso, neles é possível desfrutar das experimentações dos mestres cervejeiros, utilizando diferentes tipos de insumos (frutas, lactose, chocolate, baunilha, etc) pois, devido a pequena produção, eles transformam suas salas de brassagem em verdadeiros laboratórios.

A maioria desses estabelecimentos oferece cervejas artesanais exclusivas, que só podem ser degustadas ali, o famoso "drink local" ("beba local"). Alguns brewpubs de São Paulo, por exemplo, chegam a produzir uma receita nova por semana, sendo que muitas delas não se repetem, proporcionando uma experiência única, com um controle de qualidade mais apurado e um contato direto com o consumidor.

Fizemos um roteiro de brewpubs na capital paulista onde é possível tomar os mais diferentes estilos e receitas inovadoras. Veja qual vale a pena provar:

Croma Beer Co.

Com mais de 40 rótulos no mercado, a Croma Beer Co. inaugurou seu brewpub há dois meses na Vila Madalena. Antes de tomarem essa decisão, os sócios Rodrigo Nogueira e Hector Aguilera fizeram várias viagens pelos Estados Unidos e Austrália em busca de referências para montar o local, que ocupa três andares. A fábrica, instalada no último piso, tem capacidade para produzir 5,5 mil litros por mês, que são praticamente todos consumidos ali mesmo, nas 15 torneiras com chopes da marca (a maioria deles exclusivos do brewpub). A casa possui uma cozinha com um cardápio vasto de sanduíches, porções e pratos (serve almoço aos sábados e domingos), com destaque para o sanduba de camarão (R$ 30), recheado com guacamole, marinada de ervas, salsa e coentro, que harmoniza muito bem com a Yellow Strike (R$ 20, copo de 300ml), uma Sour Ale com manga e nectarina. Para quem tem curiosidade em ver de perto uma cervejaria, é possível visitar a fábrica, basta consultar a equipe do local.

Vai lá

Rua Harmonia, 472 - Vila Madalena
Terça a sexta das 17h às 0h30, sábado das 12h às 0h30, domingo das 12h às 22h
Mais informações pelo Instagram

Casa Avós

Um simpático sobradinho octogenário na tranquila Vila Ipojuca, zona Oeste de São Paulo, abriga o brewpub da Cerveja Avós. Criada por Junior Bottura em 2016, homenageando suas duas avós e quatro bisavós (sim, ele teve a sorte de conviver com todas elas!), a marca ocupava apenas a garagem do local, que funcionava como um growler station e escritório, e aos poucos foi tomando todo o imóvel. Em novembro de 2018, ao lado do sócio Fábio Geribello, e com a venda de 20% da Avós para a Startup Brewing, foi instalada a pequena fábrica no local com capacidade para produzir 600 litros, uma receita diferente por semana. São sete torneiras com as Lagers artesanais cada vez mais ousadas, como a Pink IPL (India Pale Lager, R$ 18, 300ml ), uma colaboração com a Croma, que leva morango e pitaya na receita. A cozinha serve comidinhas simples como Vó Dinha (R$ 22), um trio de mini buraco quente, mas aos sábados rola almoço com pratos preparados pelo chef Edu Lopes. Além de ver a nanofábrica pelo janelão instalado nos fundos do piso térreo, é possível se hospedar pelo Airbnb na Casa Avós. Com diárias a partir de R$ 170, dá pra passar algumas noites por ali e ter uma torneira da Cerveja Avós no seu quarto.

Vai lá

Rua Croata, 679 - Vila Ipojuca
Quarta a sexta das 18h às 23h, sábado das 12h às 22h
Mais informações pelo Instagram

Cervejaria Tarantino

Dez anos atrás, Gilberto Tarantino foi o responsável por trazer ao Brasil com sua importadora rótulos de cervejarias americanas como Founders, Rogue, Stone e Dogfish Head, no melhor estilo beer hunter. Mas a vontade de produzir a própria cerveja era grande e, em 2013, Giba lançou seu primeiro rótulo: uma Session IPA. O caminho até montar a fàbrica foi natural e se concretizou em setembro de 2018, junto de dois investidores. Num espaço de 2400 m² nasceu a cervejaria de produção da Tarantino, com uma fábrica com capacidade para produzir cerca de 30 mil litros por mês, biergarten num enorme pátio com chão de paralelepípedo que abriga eventos cervejeiros com banda ao vivo, food trucks e um bar com dez torneiras. Como o próprio dono gosta de dizer, a Cervejaria Tarantino é um local para famílias passarem tardes, com atrações para as crianças, jogos, fliperamas e muita cerveja, obviamente. Elas são servidas no esquema de autosserviço, você coloca crédito no cartão e degusta rótulos sazonais e da linha clássica da Tarantino como a Miracle IPA (R$ 4,20, 100ml) e a Dry Stout (R$ 3,50, 100ml), carinhosamente apelidada de "Guinness da zona norte". Visitas à fábrica são sempre bem-vindas e acontecem sem horário marcado, basta mostrar interesse no caixa e esperar pelo chamado da equipe!

Vai lá

Rua Miguel Nelson Bechara, 316 - Limão
Sexta-feira das 17h às 21h, sábado das 14h às 22h, domingo das 14h às 20h
Mais informações pelo Instagram

Cervejaria Dogma

Três amigos cervejeiros foram os responsáveis pela criação da Dogma: Luciano Silva, Bruno Moreno e Leonardo Satt. A cervejaria nasceu em 2015 e sempre teve como marca registrada receitas ousadas e com muito lúpulo! Em 2017, após muitos pedidos de clientes por um local para se beber Dogma, eles deram mais uma passo e inauguraram o brewpub na hypada Vila Buarque, aproveitando uma mudança na lei do zoneamento da capital paulista. Em um espaço de 200 m², o local abriga a fábrica e um bar com um longo balcão, no melhor estilo norte-americano, e mesas compartilháveis. São 20 torneiras, 19 com chopes da casa (a maioria produzida ali mesmo) e uma com gin artesanal. A ideia é oferecer produtos exclusivos, cheios de experimentação. Recentemente eles começaram a vender 4 packs de latas de 473 ml, feitas e envasadas ali mesmo, disponíveis somente no brewpub de rótulos como a Cupcake (R$ 9, 180ml), uma Milk Stout, e a Loud (R$ 18, 180ml), uma Double New England IPA. Além dos food trucks, as comidinhas para acompanhar os muitos pints são porções (R$ 18, batata rústica, polenta ou mandioca), tábua de queijos (R$ 25) e sanduíches de pulled pork (R$ 14, três mini sanduíches) e pastrami (R$ 16, três mini sanduíches). Aos sábados e domingos, sempre no horário de abertura, acontecem as visitas à fábrica, obedecendo a ordem de chegada e com a possibilidade de mais de um grupo por dia.

Vai lá
Rua Fortunato, 236 - Vila Buarque
Quarta a sexta das 17h às 22h30, sábado das 12h às 22h30, domingo das 14h às 20h30
Mais informações pelo Instagram


Trilha Cervejaria

Aficionados por cerveja, Daniel Bekeierman e o chef Beto Tempel estavam cansados de depender de cervejas vindas da gringa para apreciar rótulos de alta qualidade. Em 2016, eles se juntam a outros investidores para dar vida a Trilha Cervejaria, que começou com uma receita que existe até hoje, a Melonrise, uma Juicy IPA bem lupulada. Menos de um ano depois, em 2017, eles criaram a pequena fábrica da marca que, como Daniel diz, também abre para as pessoas tomarem suas invenções ali mesmo, em um ambiente bem rústico e fabril. Com lançamentos praticamente semanais, o brewpub tem 12 torneiras, todas da Trilha, justamente pra não se descaracterizar, deixando claro que eles são uma cervejaria e não um bar. O local produz cerca de 3,2 mil litros por mês - é possível visitar a fábrica -, sempre dando um jeito de utilizar ingredientes brasileiros nas receitas, como cafés de pequenos produtores e frutas. As cervejas custam de R$ 15 a R$ 22, copo de 300ml, como são os casos da já citada Melonrise (R$ 22) e a Pils!, uma Pilsner com lúpulos galaxy, mosaic, amarillo, cascade e northern brewer. Delivery liberado e food trucks matam a fome da galera.

Vai lá
Rua Apinajés, 137 - Pompeia
Terça a sexta das 17h às 23h, sábado das 12h às 23h, domingo das 12h às 22h

Mais informações pelo Instagram

What's On Tap? (WOT)

Foi estudando cerveja que os sócios da What's On Tap? Roberto Benfatti (Rob), Bernardo Salgado, Thiago Kato e a chefe de cozinha Adriana Miranda. Desde 2017, eles já colocavam na ponta do lápis os custos para abrir uma cervejaria e, com a entrada de três sócios investidores, inauguraram o brewpub da WOT. A casa abriu em setembro de 2018 e produz uma média de 4 mil litros por mês. As receitas são todas boladas pelos quatro e abusam da criatividade ao utilizar insumos como lactose, biscoito, frutas e baunilha. O local conta com treze tipos de chope, um grande salão com parte do teto retrátil, mesas, balcão generoso e um deque para rua, que serve como apoio nos dias mais cheios, com outras quatro torneiras. A fábrica pode ser apreciada do salão e também conta com visitas, só combinar com a equipe. Três tipos de chopes são fixos - Everywhere (Weiss), Everyday (Hop Lager) e Everyone (American IPA) -, o restante todos sazonais, pois a proposta da cervejaria é sempre fazer coisas diferentes, engatando novidades praticamente toda semana. A cozinha comandada por Adriana é pensada para combinar com as cervejas da WOT, com opções de pratos, hambúrgueres, sanduíches, porções e sobremesas. Uma dica de harmonização é combinar as bolinhas de carne e malte cervejeiro (R$ 37) com uma Polar (R$ 18, 300ml), uma Amber Lager.

Vai lá


Rua Min. Jesuíno Cardoso, 104 - Vila Nova Conceição
Segunda das 12h às 15h, terça e quarta das 12h às 0h, quinta a sábado das 12h às 1h
Mais informações pelo Instagram

Cultura e lazer