Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Saia do óbvio: 8 lugares perto do Rio de Janeiro para fazer um bate-volta

Parque Nacional da Serra dos Órgãos é opção de passeio perto do Rio para se conectar com a natureza - Divulgação
Parque Nacional da Serra dos Órgãos é opção de passeio perto do Rio para se conectar com a natureza Imagem: Divulgação

Isabela Marinho

Colaboração para o Urban Taste, no Rio de Janeiro

07/03/2019 04h00

Imerso na Mata Atlântica e espremido entre montanhas e mar, o Rio de Janeiro possui uma geografia privilegiada. Ir de férias para lá ou passar um feriado prolongado é uma delícia para quem quer curtir um pouco de natureza em meio ao caos. Mas estas características geográficas não estão somente na capital fluminense. Algumas cidades no entorno também têm beleza exuberante e são ótimas para passar o dia e depois voltar. 

Para quem está acostumado com a cidade e deseja conhecer novas atrações, ou para quem mora no Rio e quer fazer programas diferentes, separamos dicas de lugares incríveis para um bate-volta com trilhas, cachoeiras e atrações turísticas (ou nem tanto).

Mercado de Peixe São Pedro (Niterói)

No Mercado São Pedro, do outro lado da Baía de Guanabara, você pode pegar o peixe fresquinho na peixaria (no andar debaixo) e comer em um dos restaurantes no andar de cima. Vários pratos com frutos do mar, entradas gostosas como a sardinha frita com alho, pastel de camarão, mix de iscas e pratos desde os simples, como uma posta de peixe frito, até uma caldeirada com mexilhões. Tudo acompanhado de uma cerveja gelada.

Vai lá:
Avenida Visconde do Rio Branco, 55, Centro, Niterói.
Terça a sábado, das 6h às 18h.
Domingo, das 6h às 16h.
Telefone: (21) 2620-3446

Parque da Cidade (Niterói)

Vista do Parque da Cidade, em Niterói, ao anoitecer - Prefeitura de Niterói / Divulgação
Vista do Parque da Cidade, em Niterói, ao anoitecer
Imagem: Prefeitura de Niterói / Divulgação
A ida ao Parque da Cidade vale muito a pena. Primeiro porque tem uma vista maravilhosa, tanto de Niterói, como do Rio (vê-se a Baía de Guanabara do alto e o Rio de ponta a ponta -- do Pão de Açúcar ao Corcovado). Segundo porque dentro do parque há atrações como três trilhas diferentes e ruínas (o que sobrou de um posto Atalaia português do século XVI). Mas, atenção, devido à sinuosidade da estrada de acesso, não há circulação de ônibus, somente carros de passeio e vans.

Vai lá:
Estrada da Viração, s/n°, São Francisco, Niterói.
Segunda a domingo, das 6h às 18h e das 7h às 19h no horário de verão. 
Entrada gratuita.
Telefone: (21) 2610-3157 / 0800 282 7755

Um dia em Paquetá

Riotur / Divulgação
Imagem: Riotur / Divulgação
Um dia na Ilha de Paquetá pode ser um passeio muito gostoso. A própria ida já é um programa: a travessia é feita de barcas ou catamarãs que saem da Praça XV, no Centro do Rio, em que se vê a Ilha Fiscal, a ponte Rio-Niterói e a Baía de Guanabara. Cada trecho leva 70 e 50 minutos, respectivamente. Ao chegar em Paquetá, a sensação é de que se está numa cidadezinha do interior, com chão de terra e casas de muro baixo, mas com alguma modernidade. Para aproveitar a ilha, uma boa ideia é alugar bicicletas, triciclos e quadriciclos em uma das diversas lojas, passar pela Maria Gorda (um baobá de mais de 7 metros de circunferência, com centenas de anos e tombado desde 1967), fazer um piquenique no Parque Darke de Mattos -- com árvores centenárias imensas, uma trilha e mirante com vista para praias lindas --, além, é claro, de passar pela pedra A Moreninha, que ficou famosa depois da novela homônima gravada nesse bairro carioca.

Vai lá:
As barcas saem da Praça XV de Novembro, Centro, Rio de Janeiro.
Segunda a sexta, das 5h30 à 0h.
Sábado, domingo e feriados, das 4h30 à 0h.
R$ 6,10 por trecho (R$ 5,15 com bilhete único).
Consulte aqui os horários de saída e chegada.

Trilha do Costão em Itacoatiara (Niterói)

Prefeitura de Niterói / Divulgação
Imagem: Prefeitura de Niterói / Divulgação
A Trilha do Costão fica dentro do Parque Estadual da Serra da Tiririca, o segundo mais visitado do estado fluminense, atrás apenas da Ilha Grande. O passeio proporciona uma das melhores vistas da região oceânica de Niterói. É para quem gosta de exercícios: a subida é ótima para as pernas e exige bastante do corpo. Durante a trilha, você pode ver a Pedra do Elefante. São apenas 2 quilômetros de extensão e 217 metros de altitude. Porém, o percurso é bastante íngreme e pode levar cerca de uma hora. Mas nada que o visual não compense: as praias de Camboinhas, Itacoatiara, Itaipu e Piratininga, além da vista para cartões postais do Rio, como a Pedra da Gávea e o Pão de Açúcar.

Vai lá:
Rua das Papoulas, 222, Itacoatiara, Niterói.
Das 8h às 17h. Só entram 200 pessoas por vez, por isso, é bom chegar cedo.
Fácil acesso de ônibus, que sai do Terminal Rodoviário de Niterói (ônibus que vai para Itaipu).
Entrada gratuita.

Um dia em Petrópolis

Petrópolis é um ótimo passeio que une compras a um rolê histórico e cultural. A cidade, no topo da Serra da Estrela, é conhecida pela famosa Rua Teresa, composta por lojas de confecções de roupa, algumas vezes com preços mais em conta. Há também a parte turística da Cidade Imperial: Catedral de São Pedro de Alcântara, Centro Histórico, Museu Casa Santos Dumont, Palácio de Cristal, Palácio do Quitandinha, Casa da Ipiranga, Museu Imperial, Orquidário Serrano e o Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Dá para fazer um bate-volta do Rio até Petrópolis, com ônibus saindo da Rodoviária Novo Rio.

Vai lá:
Terminal Rodoviário Novo Rio - Avenida Francisco Bicalho, 1, Santo Cristo, Rio de Janeiro.
Ônibus saem a partir das 6h, com trajetos que levam entre 1 hora e 15 e 2 horas, dependendo do percurso, e com passagens a partir de R$ 19.
Telefone: (21) 3213-1800

Museu de Arte Contemporânea (MAC)

Prefeitura de Niterói / Divulgação
Imagem: Prefeitura de Niterói / Divulgação
O Museu de Arte Contemporânea em Niterói recebe visitantes do mundo inteiro. Uma das obras mais marcantes do famoso arquiteto Oscar Niemeyer, o MAC já se tornou símbolo da cidade vizinha ao Rio pela sua peculiar fachada futurista, que lembra, entre outras coisas, um disco voador. Conta com um bistrô bacana no subsolo e uma ampla coleção dedicada à arte moderna e arquitetura icônica de Oscar Niemeyer, além das exposições programadas. Outro ganho de quem visita o museu é a incrível vista que se tem de dentro dele para a Baía de Guanabara.

Vai lá:
Mirante da Boa Viagem, s/n, Boa Viagem, Niterói.
Terça a domingo, das 10h às 18h.
Telefone: (21) 2620-2481 e 2722-1543
Confira a programação no site.

Fortaleza de Santa Cruz da Barra (Jurujuba, Niterói)

Prefeitura de Niterói / Divulgação
Imagem: Prefeitura de Niterói / Divulgação
Para chegar até a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, você passa por uma boa parte da orla da cidade, como São Francisco, Charitas e Jurujuba. A fortaleza foi criada na época da colonização portuguesa para defender a entrada da Baía de Guanabara dos possíveis invasores. Em média, o local recebe dois mil visitantes por mês e é o segundo ponto turístico mais visitado de Niterói.

Vai lá:
Jardim Imbuí, Niterói.
Terça a domingo, das 9h às 17h.
Telefone: (21) 2710-2354
Confira preços e informações sobre o funcionamento no site.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Divulgação
Imagem: Divulgação
Com entradas por Teresópolis, Petrópolis e Guapimirim, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) é tido como um dos pontos mais indicados do país para escalada, rapel e trilhas montanhosas, além de ter diversas cachoeiras, piscinas naturais, bosques e áreas de piquenique. O roteiro de mais de 200 quilômetros de trilhas é o maior do país e possui todos os níveis de dificuldade, incluindo uma travessia de 30 quilômetros entre Petrópolis e Teresópolis pela parte mais alta das montanhas, normalmente feita em três dias, com pernoites pagos à parte em abrigos e campings locais. Para escaladas e trilhas montanhosas, recomenda-se a contratação de um guia condutor de visitantes. Os preços dos ingressos variam, dependendo dos passeios escolhidos. Para mais informações, visite o site do parque.

Vai lá:
Sede Teresópolis:
Entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos - Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do quilômetro 89,5 em direção à cidade).

Sede Petrópolis:
A portaria da Sede Petrópolis fica no Bairro do Bonfim, em Corrêas, Petrópolis. O acesso principal é feito pela BR 040, que liga o Rio de Janeiro (RJ) a Juiz de Fora (MG). É possível ir de ônibus saindo do centro de Petrópolis rumo ao Terminal de Corrêas. De lá, duas linhas atendem ao Bonfim: a linha 611 (Bonfim), que tem ponto final a cerca de 1 quilômetro da portaria, e a linha 616 (Pinheiral), que chega mais perto, até a Escola Rural do Bonfim.

Sede Guapimirim:
Está localizada no início da subida da serra - quilômetros 98,5 da BR 116, a 74 quilômetros do Rio de Janeiro. A entrada fica à direita da rodovia (sentido Teresópolis).

Diariamente, das 8h às 17h (todas as sedes). É possível entrar no parque também entre 6h e 8h ou entre 17h e 22h, mediante a compra antecipada de ingressos.
Telefone: (21) 2152-1100 (administração) / (21) 2642-0579 (bilheteria)

Mais Cultura e lazer