PUBLICIDADE
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Novos (e bons) restaurantes para explorar próximo do Minhocão

Ceviche clássico, do Amazo - Divulgação
Ceviche clássico, do Amazo Imagem: Divulgação

Patrícia Figueiredo

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

20/01/2019 04h00

Se nos últimos anos a região da Santa Cecília virou o epicentro das novidades gastronômicas da capital, agora é a vez dos vizinhos Campos Elíseos e Barra Funda tomarem a dianteira. Menos valorizados e, portanto, com aluguéis mais baratos, os dois bairros que margeiam o Minhocão ganharam novos cafés, restaurantes e bares nos últimos meses.

Esses lançamentos se juntam a velhos conhecidos da região para formar um polo gastronômico que deve atrair os olhares paulistanos em 2019. E ainda há novidades por vir: nos próximos meses será inaugurada na Rua dos Pirineus a Tasca dos Coelhos, um bar de vinhos focado em rótulos portugueses. Enquanto isso não acontece, veja aqui os 11 melhores endereços para beber, comer ou tomar um café quando estiver por lá: 

Bakeri Nord 

Kanelbolle, da Bakeri Nord - Divulgação - Divulgação
Kanelbolle, da Bakeri Nord
Imagem: Divulgação
Uma improvável confeitaria norueguesa funciona desde novembro de 2018 em uma rua pouco movimentada nos arredores da estação de metrô Marechal Deodoro. Criado pela norueguesa Guro Nygaard, o lugar é simples e pacato: há geralmente apenas algumas opções de pães e doces, assados no mesmo dia, além de cafés feitos na hora. As receitas, originárias do país nórdico, são pouco conhecidas do público brasileiro. Nygaard começou a cozinhar aos 12 anos na companhia de sua avó, que lhe ensinou receitas como o tradicional kanelbolle (R$ 5), uma espécie de rolinho doce de açúcar com canela. Loucos por açúcar devem torcer para encontrar uma fatia do bolo Snickers (R$ 10), que leva amendoim e bolacha, cobertura de chocolate belga derretido, chantilly e pedaços de chocolate Snickers. No Instagram @bakerinord dá para ver quais são os produtos disponíveis a cada dia. 

Vai lá: 
Rua Doutor Carvalho de Mendonça, 200, Campos Elíseos, São Paulo. 
Terça a sexta, das 11h30 às 19h30. 
Sábado 9h às 18h. 
Mais informações no site.

Yerba + Por Uns Dólares A Mais

Um dos pioneiros na transformação da região da Praça Roosevelt, o café Por Um Punhado De Dólares ganhou em julho de 2018 um irmão mais novo nos arredores do Minhocão. Criado em parceria com a Yerba, uma marca que traz do Rio Grande do Sul diversos blends de erva-mate, o lugar de decoração simples exalta os cafés e chás especiais ali servidos. Com espuma muito cremosa e preço amigo, o bem tirado cappuccino (R$ 6) é um dos carros-chefe, junto com o tereré (R$ 10), versão gelada do chimarrão que se toma no Sul do país. Há poucas comidinhas: as que se destacam são os sanduíches feitos na hora e o mini bolo de chocolate embebido em uma dose de café, coberto com ganache (R$ 10). 

Vai lá: 
Rua Pirineus, 86, Santa Cecília, São Paulo. 
Segunda a sábado, das 10h às 22h. 
Telefone: (11) 2308-3064

Bio Barista Cafés Especiais

Com apenas duas mesas e um balcão na janela, o diminuto espaço desta cafeteria fica tomado de funcionários das empresas vizinhas depois do horário de almoço. Com bom custo benefício, as bebidas à base de café são a especialidade do barista Alex Pereira que, antes de se fixar nos Campos Elíseos, rodava a cidade em um food truck. As doses de expresso saem de uma lustrosa máquina La Marzocco, marca italiana cultuada pela qualidade de seus equipamentos. O café mocha (R$ 8) vem com pedacinhos de chocolate belga que derretem no leite. Para quem frequenta o lugar, vale a pena pedir o cartão fidelidade para colecionar carimbos que podem ser trocados por uma bebida gratuita.

Vai lá:
Rua Helvetia, 640, Campos Elíseos, São Paulo.
Segunda a sexta, das 11h às 19h. 
Telefone: (11) 3224-8829

Brioche Brasil

Comandada pelo simpático francês Christophe Guillard esta pequena padaria quase embaixo do Minhocão fornece pães e doces folheados para restaurantes e eventos. Na loja própria é possível encontrar, a pronta entrega, delícias clássicas como o croissant simples (R$ 6), o pain au chocolat (R$ 8) e o brioche tête (R$ 5). Para finalizar, experimente sobremesas como a delicada tarte tatin (R$ 10), uma torta de maçã caramelada, e o opéra (R$ 14), um doce que intercala camadas de creme de chocolate e de café. O forte do lugar é o serviço para viagem: lá tem apenas uma mesa, improvisada, onde os funcionários servem café coado para quem quer comer os quitutes ali mesmo. Sempre rolam novidades para ocasiões especiais, como cestas de café da manhã (a partir de R$ 60), e produtos sazonais. Vale a pena ficar de olho.

Vai lá:
Rua das Perdizes, 25, Barra Funda, São Paulo. 
Terça a sexta, das 9h às 16h. 
Sábado, das 8h30 às 14h. 
Telefone: (11) 98115-0834

Casa Mônica Dajcz

Pescada empanada com risoto de limão siciliano, da Casa Mônica Dajcz - Reprodução / Instagram - Reprodução / Instagram
Pescada empanada com risoto de limão siciliano, da Casa Mônica Dajcz
Imagem: Reprodução / Instagram
Conhecida por fazer catering para casamentos em alguns dos melhores buffets da cidade, a banqueteira Mônica Dajcz também atende de segunda à sexta em um pequeno bistrô na Barra Funda. A cada dia há um prato diferente, além de pedidas fixas como o varenique (massa judaica recheada de batata e cebola) com frango grelhado (R$ 32). No menu rotativo podem aparecer clássicos como o filé de pescada empanada com risoto de limão siciliano ou o hambúrguer de salmão com arroz de cogumelos e chips de mandioquinha. O combo que inclui entrada, prato do dia, sobremesa e café sai por R$ 55. O cardápio de cada semana é divulgado às segundas-feiras no Instagram @casamdajcz. 

Vai lá: 
Rua Capistrano de Abreu, 71, Barra Funda, São Paulo
Segunda a sexta, das 12h às 15h.
Telefone: (11) 3873-6581

Amazo

Se o que não falta na cidade, especialmente na região central, são restaurantes de cozinha peruana, ainda são poucos os representantes deste gênero que aliam boa comida a um ambiente agradável. Este é o trunfo do novo Amazo, que ocupa uma parte do casarão e do jardim cheio de jabuticabeiras da Casa De Don'Anna. Projetada por Ramos de Azevedo, a antiga residência agora abriga espaço para eventos, coworking e café, além do restaurante. O cardápio do chef peruano Enrique Paredes busca aliar sabores andinos às receitas e ingredientes da Amazônia -- daí o nome do local. Na seção de entradas se destaca o ceviche tradicional (R$ 42), feito com peixe do dia e acompanhado de batata-doce. E mais inovador é o ceviche Amazo (R$ 48), servido quente com mousse de banana defumada. 

Vai lá:
Rua Guaianases, 1149, Campos Elíseos, São Paulo.
Segunda a sexta, das 11h às 15h30. 
Sábado, das 11h às 17h.
Telefone: (11) 99560- 4321

A Dama e os Vagabundos Bar

O rock que sai da vitrola embala o clima de boteco desse bar despretensioso aberto em setembro de 2017. Nas mesas espalhadas pelo salão e pela calçada repousam drinques clássicos como o Tom Collins (R$ 25), que leva gin, limão e água com gás, além de porções de carnes grelhadas na churrasqueira com carvão e lenha. O espírito carnívoro faz sucesso no happy hour, quando o ambiente retrô fica lotado de funcionários das empresas dos arredores. Boa notícia: a água filtrada é cortesia da casa em qualquer horário. 

Vai lá: 
Rua Souza Lima, 43, Barra Funda, São Paulo. 
Terça a quinta, das 18h às 22h30.
Sexta, das 18h às 23h.
Sábado, das 15h às 22h30. 
Mais informações no Facebook.

Scar São Paulo 

Bar Scar em São Paulo - Divulgação - Divulgação
Bar Scar em São Paulo
Imagem: Divulgação
Inaugurado em 2018, o novo Scar reforça o acento roqueiro dos bares da Barra Funda. Focado em drinques, o bar ocupa um sobrado antigo de pé-direito alto e decoração cinquentinha. O melhor lugar do salão é o largo balcão de onde se assiste ao preparo de drinques como negroni, feito com Campari, gin e vermute, e o whiskey sour, a base de whiskey batido com clara de ovo. Os drinques custam entre R$ 25 e R$ 30. Para petiscar há porções compartilháveis, como bolinhos de falafel ou dadinhos de tapioca, além de sanduíches como o de pastrami (R$ 28), com carne curada feita na casa. Ocasionalmente bandas de rock fazem shows lá: vale ficar de olho na programação no Instagram @scarsaopaulo.

Vai lá: 
Rua Margarida, 30, Barra Funda, São Paulo. 
Quarta a sexta, das 18h às 0h. 
Sábado, das 15h à 0h.
Mais informações no Facebook.

Jaguar 

Nasceram dois novos points gastronômicos dos Campos Elíseos no térreo de um prédio que já foi um hotel decadente e agora virou moradia estudantil descolada. O primeiro é o Jaguar, inaugurado no final de 2018, que começa a ficar movimentado já na hora do almoço. Nesse horário o menu executivo serve milanesas com dois acompanhamentos que custa entre R$ 25 a R$ 29, a depender da milanesa escolhida -- há opções veganas, inclusive. A combinação de milanesa de porco com salada de batata e legumes grelhados é ótima, e a porção é generosa. Fora do executivo, se sai bem o arroz de costelinha (R$ 28) que é coroado por um ovo frito, infelizmente nem sempre cozido com a gema mole. Conforme a noite cai, o ambiente hipster, decorado com objetos de antiquário e paredes rosa millennial, ganha ares de bar e surgem nas mesas porções para dividir, como a de fritas com zaatar (R$ 14). 

Vai lá: 
Avenida Duque de Caxias, 421, Campos Elíseos, São Paulo.
Segunda a quarta, das 12h às 15h30. 
Quinta e sexta, das 12h às 15h30 e das 19h à 0h. 
Sábado, das 13h às 17h e das 19h30 à 0h.
Telefone: (11) 93150-9302

Napolino Pizza

Filial de uma pizzaria de Pinheiros, a Napolino dos Campos Elíseos também ocupa o térreo do antigo hotel Jaguar, na Avenida Duque de Caxias. Enquanto seu vizinho foca em milanesas, aqui o forte são as pizzas de estilo napolitano, de tamanho individual. No almoço dá para saborear combos de pizzetta com salada a partir de R$ 30. Uma das coberturas mais pedidas é a napolitana (R$ 35) que leva molho de tomate fresco, muçarela, lascas de alho, parmesão e manjericão. Menos tradicional, a chamada Ricota Nada Veggie (R$ 38) é coberta por panceta artesanal, ricota caseira e erva-doce. Apesar dos sabores exóticos, o destaque ali não são as coberturas, mas a massa, de fermentação natural, que depois de descansar por 48 horas fica elástica e crocante ao mesmo tempo. 
 
Vai lá: 
Avenida Duque de Caxias, 447, Campos Elíseos, São Paulo.
Terça a quinta, das 12h às 23h. 
Sexta e sábado, das 12h às 0h. 
Domingo, das 18h às 23h.
Telefone: (11) 3362-1420

Dulca 

Confeitaria Dulca, na Barra Funda - Patrícia Figueiredo / UOL - Patrícia Figueiredo / UOL
Confeitaria Dulca, na Barra Funda
Imagem: Patrícia Figueiredo / UOL
Uma das confeitarias mais antigas da capital, a Dulca hoje tem lojas em shoppings e edifícios comerciais, mas é de um simpático sobrado na Barra Funda que saem os quitutes vendidos na rede. Na loja de fábrica, os mesmos produtos têm desconto de 10% em relação ao preço das filiais. Além do preço convidativo, há a garantia de encontrar biscoitos e doces fresquinhos, recém-saídos da cozinha envidraçada que dá para o salão. O sonho (R$ 9), cuja receita se mantém a mesma desde a inauguração da marca, em 1951, é recheado na hora. Querendo levar alguma doçura para casa, cheque a cesta sobre o balcão que reúne biscoitos e tortinhas imperfeitos, rejeitados pelos duros padrões estéticos da confeitaria e, por isso, vendidos com desconto. 

Vai lá: 
Rua Lopes Chaves, 134, Barra Funda, São Paulo. 
Segunda a sexta, das 8h30 às 17h30, sábado, das 8h30 às 11h30. 
Telefone: (11) 3666-4766 

Cultura e lazer