PUBLICIDADE

Topo

Podcast

Sexoterapia

A sexóloga Ana Canosa e a jornalista Marina Bessa conduzem o papo sobre sexo e relacionamento.


Sexoterapia

Sexoterapia #24: "Estou em busca de um novo sugar daddy"

Mais Sexoterapia
1 | 25
Siga a Universa no

de Universa

03/07/2020 04h00

A promotora de eventos Raíssa, 20, de São Paulo, descobriu o mundo das relações sugar há pouco mais de um ano, após terminar um namoro longo e conhecer no Tinder um cara mais velho, que se ofereceu para ser o seu "daddy". "Eu não sabia como isso funcionava, fiquei ofendida e fui grossa com ele. Mas depois mudei de ideia. Pesquisei o assunto e entendi que se trata de uma relação de troca de interesses para ambas as partes, baseada em transparência e honestidade", afirma.

Esse acordo, geralmente, envolve a troca de afeto pela de bens materiais. Os daddys, que costumam ser caras mais velhos e ricos, oferecem de roupas caras a viagens, moradia e financiamento de estudos para suas "babies". E essas mulheres entram com sua beleza, juventude, afeto e, muitas vezes, vigor sexual, nessa transação.

Luxúria, poder e riqueza

"A junção de sexo, poder e riqueza que existe nessa relação está muito associada à luxúria pela sociedade", afirma a sexóloga Ana Canosa, apresentadora do podcast Sexoterapia. Segundo Ana, ainda que, no imaginário coletivo, as relações do tipo sugar sejam consideradas luxuriosas, nem sempre o prazer sexual está envolvido nesse jogo, pelo menos para as babies. "O que existe é o prazer do poder e de ter as coisas. O contrato de interesse é ganhar dinheiro, é ele que traz satisfação", afirma.

A sexológa diz ainda que ter um "daddy" pode trazer outros tipos de prazer para essas mulheres, como a de ser a escolhida na competição feminina, ser desejada, ter um lugar de privilégio na relação com esse homem. Parece ser o caso de Raíssa. "Comecei a curtir a ideia de ter um "daddy" para cuidar de mim, me ajudar com as finanças, me mimar. Era exatamente o que eu estava buscando: um relacionamento com alguém que me valorizasse, que me tratasse bem, com mimos e viagens", afirma. E ela atingiu seu objetivo.

A promotora de eventos conta que voltou a falar com o cara do Tinder, e que acabaram se relacionando por um tempo. Ela define essa relação como "namoro com questões financeiras envolvidas", que já acabou, mas isso não significa que ela desistiu. "Fiquei deslumbrada com esse tipo de relação, acho que é bem melhor do que um namoro convencional. Estou em busca de outro daddy", afirma.

Acompanhe o Sexoterapia

Luxúria é o tema do vigésimo quarto episódio do podcast Sexoterapia, e em sua terceira temporada está falando do sexo e os sete pecados capitais. Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, editora chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga, recebem Xan Ravelli, influencer e nova colunista de Universa.

Sexoterapia está disponível no UOL, no Youtube de Universa e nas plataformas de podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, no Castbox e Google Podcasts.

Sexoterapia