PUBLICIDADE

Topo

Podcast

Sexoterapia

A sexóloga Ana Canosa e a jornalista Marina Bessa conduzem o papo sobre sexo e relacionamento.


Sexoterapia

Sexoterapia#18 - Por que os homens se preocupam tanto com o pênis?

Mais Sexoterapia
1 | 23
Siga a Universa no

de Universa

22/05/2020 04h00

O fantasma da perda de ereção sexual é uma constante entre os homens. E em cerca de 70% dos casos, a brochada tem a ver com questões emocionais. "Muitas vezes, o próprio medo de brochar acaba sendo o motivo de isso acontecer", explica a sexóloga Ana Canosa, apresentadora do podcast Sexoterapia.
Por que os homens têm tanto medo de passar por isso? Segundo Ana, isso está ligado ao fato de a construção da masculinidade, historicamente, estar baseada na ereção. "Ter um pênis ereto significa poder, potência. O medo de não desempenhar é muito mais ligado ao medo de não ter uma ereção do que falhar em outros comportamentos sexuais", diz. É o sexo como demonstração de superioridade, orgulho, um dos sete pecados capitais, tema da terceira temporada do Sexoterapia. E em vez de prazer, essa relação pode causar sofrimento.

"Ele era super sexual, até que brochou"

É o caso do namorado da consultora de RH Carine, 43, de São Paulo. Ela relatou ao podcast sexoterapia que desde a primeira vez em que o parceiro brochou durante uma transa, há cerca de dois meses, ele não consegue mais fazer sexo com ela.

Carine conta que ele foi esfriando aos poucos. "Depois que ele brochou uma vez, ele mudou: passou a falar menos de sacanagem e interrompia os amassos quando a coisa começava a esquentar. Até que ele resolveu se abrir. Disse que ele estava evitando chegar à penetração porque tinha certeza de que ia se lembrar daquele episódio e acabar brochando novamente. E foi exatamente isso que aconteceu nas tentativas seguintes. Em dois meses, passamos de um relacionamento hipersexuado para um praticamente abstêmio", conta.

Além de associar a ereção ao orgulho da masculinidade e sua falta à fragilidade, perda de poder, o medo de brochar também tem relação com o fato de os homens sentirem muito prazer durante a penetração, uma questão biológica, explica Ana. "E também tem a questão cultural, porque a maioria não foi estimulado a ter prazer de outra maneira que não pela penetração", conclui.

Mulheres também brocham

As mulheres também podem perder a excitação durante a transa. No entanto, essas "brochadas" não parecem ser tão significativas para elas quanto são para eles. E existe uma explicação para isso: a potência sexual da mulher não costuma estar ligada ao desempenho, e sim com a autoestima. "O orgulho feminino não está em gozar, está em sentir que seu corpo é desejado, ou então em dar prazer ao homem", explica Ana. Segundo a especialista, apesar de estarmos em um processo de mudança, e de o orgasmo estar ganhando cada vez mais importância para a sexualidade das mulheres, gozar ainda não faz parte do orgulho sexual feminino.

Ouça o Sexoterapia

Sexo e soberba é o tema do décimo oitavo episódio do podcast Sexoterapia, um espaço criado por Universa para falar de sexo e relacionamento.

Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, editora chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga, recebem Morango, jornalista e colunista de Universa. Sexoterapia está disponível no UOL, no Youtube de Universa e nas plataformas de podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, no Castbox e Google Podcasts.

Sexoterapia