PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Estudo mostra que homens jovens dos EUA fazem muito menos sexo no século 21

Jovens homens dos Estados Unidos estão fazendo menos sexo desde 2000, segundo o estudo - Getty Images
Jovens homens dos Estados Unidos estão fazendo menos sexo desde 2000, segundo o estudo Imagem: Getty Images

12/06/2020 17h56

A atividade sexual dos homens jovens norte-americanos diminuiu acentuadamente desde 2000, e um terço deles declarou não ter feito sexo com parceiros no ano anterior, de acordo com uma pesquisa publicada hoje. O resultado leva a crer que as redes sociais e os jogos eletrônicos podem estar preenchendo a lacuna.

A tendência é preocupante, já que relacionamentos sexuais são importantes para o bem-estar e a saúde, observaram pesquisadores.

O estudo revelou que, entre 2000 e 2018, quase um de três norte-americanos entre 18 e 24 anos não relatou nenhuma atividade sexual no ano anterior. A falta de atividade sexual, ou a inatividade sexual, também estava em crescimento entre homens e mulheres de 25 a 34 anos durante o período da pesquisa, apontou o relatório do periódico científico JAMA Network Open.

As razões possíveis para o declínio da frequência sexual também podem incluir o estresse de administrar trabalho e relacionamentos íntimos e a prevalência de outras formas de entretenimento solitário.

"Hoje há muito mais escolhas de coisas a se fazer nos finais de noite do que já houve e menos oportunidades de iniciar a atividade sexual se os dois parceiros estiverem absortos com redes sociais, jogos eletrônicos e maratonas de séries", explicou Jean Twenge, do departamento de psicologia da Universidade Estadual de San Diego, em um editorial que acompanhou o relatório.

Ao analisar dados de pesquisas bienais com quase 10 mil homens e mulheres de 18 a 44 anos entre 2000 e 2018, pesquisadores descobriram que 16,5% dos entrevistados relataram menos atividade sexual entre 2016 e 2018, a maior parte homens solteiros e heterossexuais - entre 2000 e 2002 a cifra foi de 9,5%.

Sexo