Topo

Corte aumenta pena de homens por filmarem estupro coletivo de jovem na Espanha

Caso de estupro coletivo gerou protestos nas ruas da Espanha - AFP/ Xabier Lertxundi
Caso de estupro coletivo gerou protestos nas ruas da Espanha Imagem: AFP/ Xabier Lertxundi

Em Madri

21/11/2019 08h21

Dois homens que cumprem penas de prisão de 15 anos devido ao estupro coletivo de uma jovem durante um festival de corrida de touros na Espanha em 2016 receberam sentenças adicionais por filmarem o ataque.

O tribunal de Navarra disse que os dois homens foram condenados a três anos e três meses de prisão por gravarem sete vídeos e tirarem duas fotos da vítima, que tinha 18 anos quando foi violentada por cinco homens que chamavam a si mesmos de "Matilha" no início da manhã durante o festival de São Firmino de 2016.

Os agressores, entre eles um ex-policial e um ex-soldado, compartilharam vídeos do incidente em um grupo de WhatsApp e brincaram a respeito dele mais tarde.

"É evidente que os vídeos e fotos que foram feitos afetam... a privacidade mais íntima da demandante", disse a corte em um comunicado.

Em junho, a Suprema Corte determinou que os cinco homens foram culpados de estupro e os condenou a 15 anos de prisão, revertendo uma decisão de uma instância inferior que os havia condenado pelo crime mais brando de abuso sexual.

O veredicto provocou protestos em massa em todo o país e catapultou o abuso sexual e os maus tratos de mulheres ao debate nacional.

Na segunda-feira, quatro dos cinco homens compareceram a uma corte do sul espanhol para um segundo julgamento, provocado por acusações de abuso sexual de outro caso.

Violência contra a mulher