PUBLICIDADE

Topo

Universa

Meghan apoia mais acesso de mulheres à educação superior na África do Sul

Duquesa de Sussex, Meghan Markle, encontra estudantes e acadêmicos durante discussão sobre acesso das mulheres à educação superior - Ian Vogler/Pool via Reuters
Duquesa de Sussex, Meghan Markle, encontra estudantes e acadêmicos durante discussão sobre acesso das mulheres à educação superior Imagem: Ian Vogler/Pool via Reuters

Emma Rumney e Frank Phiri

Em Johanesburgo e Mauwa

01/10/2019 12h56

A duquesa Meghan, esposa do príncipe Harry, disse hoje que empoderar as mulheres por meio da educação pode ser transformador para comunidades, durante uma visita à Universidade de Johanesburgo, na África do Sul.

Meghan, que viaja pelo sul da África com Harry e seu filho de quatro meses, Archie, é formada em uma universidade e defensora dos direitos das mulheres, e falou como o tema da educação é "profundamente importante e significativo" para ela.

"Quando uma mulher é empoderada, isso muda absolutamente tudo na comunidade, e criar uma atmosfera educativa é um ponto central disso", disse a duquesa de Sussex durante uma mesa redonda com acadêmicos e estudantes.

"A educação, acho que especificamente a educação superior, é um elemento-chave para o crescimento, crescimento econômico, mas também crescimento e desenvolvimento pessoal", acrescentou.

Em janeiro, Meghan assumiu da rainha Elizabeth, avó de Harry, a função de patrona da Associação de Universidades da Comunidade das Nações Britânicas (ACU), um papel que a rainha exerceu durante mais de três décadas.

Ela anunciou três novas "bolsas de gênero" da ACU para universidades sul-africanas, cujo objetivo ela disse ser a igualdade de gênero e o apoio a mulheres que trabalham na educação superior e no setor de pesquisas.

A duquesa também anunciou quatro novas Bolsas de estudo da Comunidade das Nações Britânica da Rainha Elizabeth que, segundo ela, levarão estudantes da Tanzânia, de Zâmbia e da Nigéria à África do Sul no ano que vem.

Ainda nesta terça-feira, Meghan visitou os escritórios da ActionAid, uma organização não-governamental que trabalha com mulheres e meninas que vivem na pobreza. Ela foi recebida pelos funcionários com canto e um buquê de flores, e recebeu abraços e desenhos de jovens meninas.

Lá ela debateu a violência contra mulheres e meninas com representantes de várias organizações e depois visitou uma escola local para conhecer meninas de idades entre 12 e 16 anos.

Enquanto Meghan e Archie permaneceram na África do Sul, Harry também visitou Botsuana, Angola e finalmente o Maláui, onde conheceu o Centro de Saúde Mauwa nesta terça-feira.

Multidões se reuniram diante da clínica remota, que atende 23 mil pessoas, na esperança de ter um vislumbre de Harry quando ele se encontrou com o ministro da Saúde, Jappie Mhango, autoridades locais e agentes humanitários.

Amanhã o casal visitará um município e se encontrará com a viúva de Nelson Mandela, Graça Machel.

Universa