Topo

Violência contra a mulher


Cuba Gooding Jr. começa a ser julgado em outubro por apalpar mulher em bar

O ator Cuba Gooding Jr. é escoltado por policiais após sair do Departamento de Polícia de Nova York - REUTERS/Eduardo Munoz
O ator Cuba Gooding Jr. é escoltado por policiais após sair do Departamento de Polícia de Nova York Imagem: REUTERS/Eduardo Munoz

Brendan Pierson

Da Reuters, em Nova York

03/09/2019 14h58

O juiz Herbert Moses, da Suprema Corte de Manhattan, escolheu nesta terça-feira a data de 10 de outubro para o julgamento do ator Cuba Gooding Jr., que foi acusado de apalpar um mulher em um bar de Manhattan, na cidade de Nova York, em junho.

Gooding aparentava calma durante sua breve aparição no tribunal. Seu julgamento havia sido programado para começar nesta terça-feira, mas os procuradores disseram que precisam de mais tempo para reunir provas de vídeo e entregá-las aos advogados de Gooding.

Seu advogado, Mark Heller, disse aos repórteres após a audiência que acredita que os procuradores estavam "tentando procrastinar" porque a acusadora do ator não está cooperando com ele.

"Cuba está extremamente confiante de que seu caso será descartado", disse Heller. "Cuba assume a posição, como também nós, de que é alguém que nunca deveria ter sido processado."

Gooding, de 51 anos, foi acusado da contravenção de toque forçado depois que uma mulher não identificada disse que o ator tocou seus seios. Ele negou a alegação.

O artista, que é divorciado, é um das dezenas de homens da política, do entretenimento, dos esportes e dos negócios que foram acusados de má conduta sexual desde que alegações contra o produtor de cinema Harvey Weinstein desencadearam o movimento #MeToo.

Weinstein deve ir a julgamento em Nova York no final deste ano devido a acusações de estupro e sexo oral forçado envolvendo duas mulheres. Ele negou qualquer relação sexual não-consensual.

Gooding recebeu um Oscar de ator coadjuvante em 1997 por "Jerry Maguire: A Grande Virada" e fez papéis em "Questão de Honra", "O Mordomo da Casa Branca" e na minissérie "American Crime Story: O Povo contra O.J. Simpson".