PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Dia dos Namorados em trisal: o que pode e o que não pode na comemoração?

Sanny, Karina e Diego e outros trisais dão dicas para celembrar o dia 12 de junho - Arquivo pessoal
Sanny, Karina e Diego e outros trisais dão dicas para celembrar o dia 12 de junho Imagem: Arquivo pessoal

Ed Rodrigues

Colaboração para Universa, em Recife

09/06/2022 04h00

"Consideramos justa toda forma de amor", diz Lulu Santos no hit "Toda Forma de Amor". Embora tenha sido lançada em 1988, a canção carrega uma mensagem atemporal: são justas, válidas e inquestionáveis todas as manifestações de afeto. Atualmente, com tantos relacionamentos que quebram arquétipos moralistas, a música está ainda mais atual. O Dia dos Namorados se aproxima, e, pensando nessa pluralidade afetiva, Universa procurou especialista e integrantes de trisais para falar da comemoração entre casais dentro desses novos formatos.

A terapeuta Lorena Rosa, 37, vive um relacionamento a três e também foca seu trabalho em ajudar pessoas que vivem nesse mesmo esquema. Ela dá dicas para que a comemoração do dia 12 de junho corra de maneira tranquila, prazerosa e sem gafes, veja:

O que pode?

  • 1. Trocar presentes;
  • 2. Fazer algum programa, como um passeio;
  • 3. Um jantar, ou outra forma de celebração.

O que não pode?

  • 1. Dar um presente mais valioso para um e um de valor inferior para o outro;
  • 2. Fazer um programa que exclua alguém;
  • 3. Jantar ou celebração a dois. A comemoração tem de ser com todos.

Lorena explica que essas regras são imprescindíveis para que tudo corra bem, sem que alguém saia magoado no dia de celebrar o amor.

Ela, que é casada com os empresários Expedito Rosa, 35, e Joicy Diniz, 30, e mora em Minas Gerais, sempre passou a data com ambos nos quatro anos de relacionamento. Neste ano, Lorena estará se recuperando de uma operação, mas não deixará o momento passar em branco.

"Devemos fazer um jantar ou encomendar um. Sempre comemoramos juntos e isso é que o bacana dessa relação, não gera conflitos. Todos se presenteiam, a gente não faz distinção —geralmente, todos os presentes estão na mesma base de preço. Não rola ciúme", disse.

"Aproveitem para namorar bastante, conversar, colocar o papo em dia e, quem sabe, até aproveitar o clima para ajustar algumas coisinhas que podem estar desalinhadas na relação" - Lorena Rosa, terapeuta de trisais.

"Ciúme já é uma questão bem resolvida entre nós"

Sanny Rodrigues, 29, integra um trisal com Karina Matos, 26, e Diego Gonçalves, 31, há quase três anos. Eles planejaram um programa para ficar em contato com a natureza. "Algo mais reservado, com um momento mais íntimo que conecte mais a gente", diz Sanny.

O trisal, segundo Sanny, não sofre com ciúme. "A data não interfere em nada. Só tivemos problemas com ciúme no início. Hoje, é uma questão bem resolvida entre nós", conta. Será a terceira comemoração do dia juntos e eles até já trocaram os presentes deste ano. "Trocamos bem antes porque as coisas que compramos chegaram bem antes da data. O jantar será a três."

Para outros trisais, ela dá a dica de escolherem um lugar ou programa juntos. "Respeitem as vontades de cada um e aproveitem bastante o momento. Entendam que cada relacionamento é único, e deve ser aproveitado ao máximo. Não esqueçam que estão juntos para multiplicar amor e não para dividir", aconselhou.

Trio vai adequar comemoração à presença de filho recém-nascido

Juntos há três anos, a administradora Priscila Mira, 38, a assistente de gestão Regiane Gabarra, 33, e o gestor financeiro Marcel Mira, 38, terão um Dia dos Namorados diferente neste ano. Isso porque o trisal teve um filho, o pequeno Pierre, de dois meses.

De São Paulo, o trio vai adequar a comemoração à nova realidade, com a chegada do bebê. "Normalmente, saímos para jantar fora, namorar. Neste ano, não sabemos ainda como será porque com um bebê de dois meses a dinâmica muda um pouco. Se o Pierre estiver bem, devemos sair para comer fora —com ele junto, claro", diz Priscila.

A administradora aproveita para mandar um recado para os apaixonados. "O dia é dos namorados, mas a celebração é dele, do amor. E amor é amor, independentemente de gênero e orientação sexual", diz. "Esperamos que um dia todas as pessoas possam viver em um mundo como queiram e desejem, sem medos, sem receios e sem preconceitos."

Relacionamentos