PUBLICIDADE

Topo

Rigidez, vermelhidão, dor : sinais de que você precisa trocar o silicone

Saiba analisar o sinais e perceber quando é necessário trocar sua prótese  - Getty Images/iStockphoto
Saiba analisar o sinais e perceber quando é necessário trocar sua prótese Imagem: Getty Images/iStockphoto

Rafaela Polo

De Universa, São Paulo

13/05/2022 15h26

A história das próteses de silicone da norte-americana Bunnie DeFord viralizou no TikTok. Após usá-las por 13 anos, ela resolveu tirá-las e se surpreendeu com o aspecto - algo que nunca saberia se não tivesse as visto fora dos seios. Nós não temos visão de raio-x, por isso, se você tem silicone, precisa ficar atenta a outros sinais do corpo para perceber se há algo de errado.

De acordo com uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em 2018, 18,8% das cirurgias realizadas no Brasil foram de aumento de mama. Com um público tão grande, informações sobre a saúde e cuidados são primordiais. Universa conversou com especialistas para entender quando é necessário buscar ajuda médica.

Regra dos 10 anos

Não há uma regra no meio médico de quanto tempo é necessário para a troca do silicone. Há alguns anos, diziam ser uma década, mas com o avanço das próteses, não existe mais essa diretriz.

"Se a pessoa não estiver sentindo nada é importante, com o marco de 10 anos, procurar um médico e fazer uma ressonância magnética para ver o estado da prótese", diz o cirurgião plástico e especialista em mamoplastia, Guilherme Guardia Mattar. Se estiver tudo em ordem, não há a necessidade de troca.

Segundo Guilherme, esse marco foi escolhido porque, na média, era o tempo que o silicone demorava para apresentar sinais de contratura.

"Quanto mais tempo passa do uso da prótese, maior a chances dela dar problema", diz a cirurgiã plástica Beatriz Lassance. Para ela, essa definição de 10 anos é algo muito vago, por isso é importante ficar atento aos detalhes das mudanças no corpo.

Alterações possíveis

Guilherme explica que a prótese é um corpo estranho em dentro de nós e, inevitavelmente, será envolta por uma cápsula, produzida naturalmente pelo organismo. Quando essa cápsula está saudável, é imperceptível ao toque.

"Para algumas pessoas, com o tempo, essa cápsula pode ficar mais fibrosa e dura, o que faz com que a paciente perceba ao toque que o seio está mais duro do que o normal", diz. A chamada contratura capsular pode fazer o seio mudar de formato e causar dor. E esses são alguns dos sinais de que é necessário procurar ajuda médica.

"Clinicamente, apenas 0,5% das próteses podem encapsular. Como a mama fica dura, como uma laranja, e, às vezes, dolorosa, tem como a paciente perceber o problema", diz Beatriz.

Além dessa sensação de seio duro, existem outros fatores que podem chamar atenção das mulheres com prótese - e que são sinais de que ela precisa de ajuda médica. "A pele pode começar a ter uma vermelhidão, com uma sensação de febre no local. Isso acontece por causa do acúmulo de líquido em torno da prótese, o que chamamos de seroma tardio", diz Guilherme. Qualquer assimetria, textura diferente ao toque, dor e vermelhidão na região das mamas o indicado é procurar um médico.

Percepção fora do toque

Se você não notou nada ao toque, não quer dizer que seu silicone está fora de perigo. Assim como fazemos com a saúde em geral, é preciso fazer exames de rotina para garantir a saudabilidade da sua plástica. "O ultrassom pode mostrar se a prótese se rompeu ou se está deformada. Isso você percebe com exame de rotina", diz Beatriz. O mesmo, segundo ela, pode ser feito via ressonância magnética.

"É preciso um controle anual das mamas. Se ela ficar esquisita, a prótese rodar, aumentar de tamanho, procure um médico", diz Beatriz.