PUBLICIDADE

Topo

Samhain: ano novo das bruxas tem sopa dos mortos e honra aos ancestrais

Saiba como comemorar ano novo das bruxas - Freestock
Saiba como comemorar ano novo das bruxas Imagem: Freestock

Camila Eiroa

Colaboração para Universa

01/05/2022 04h00

É quando o outono atinge seu ápice que bruxas e pagãos pelo mundo resgatam antigas ritualísticas sazonais de honra aos mortos e preparação para o recolhimento emocional do inverno. Esse ritual, ou sabbat, é chamado de Samhain e faz parte de um antigo calendário de celebrações que se baseiam na passagem das estações, a Roda do Ano.

Aqui, no hemisfério sul, Samhain é comemorado entre os dias 30 de abril e 02 de maio, enquanto no hemisfério norte ele é comemorado entre os dias 30 de outubro e 02 de novembro, sendo o dia 31 o mais tradicional para as festas das bruxas. Sim, estamos falando do halloween!

O dia das bruxas, ou ano novo das bruxas, acontece nesse exato momento da natureza, pois acredita-se que é quando o Deus Sol está caminhando para o fim de sua vida, enquanto a Deusa Terra assume a faceta anciã e mais sábia, o arquétipo da velha que se recolhe neste período para ressurgir renovada no solstício de inverno.

Visita dos mortos

Ao mesmo tempo em que as folhas secas do outono continuam caindo no chão, quando a estação chega no meio de sua trajetória, o poder do Sol começa a se enfraquecer com o prenúncio do inverno. Com isso, a luz dos dias se torna menor e é quando os antigos acreditavam que o véu entre mundos ficava mais fino, favorecendo o contato com os espíritos.

"Podem ser os espíritos de nossos antepassados queridos, mas também espíritos errantes, que acabam perdidos após a morte e ficam vagando em busca de encaminhamento. Por isso, uma das tradições típicas de Samhain é acender velas nas janelas ou a famosa Jack O'Lantern, a abóbora que tem, dentro de si, uma lanterna. O objetivo é, com essa chama, indicar o caminho para que esses seres possam descansar", diz a bruxa Fernanda Guerra.

Ela explica que as tradições festivas de halloween nasceram de diversas culturas pagãs, que criaram truques para conseguir trabalhar as energias necessárias durante esse período. As fantasias, por exemplo, eram uma forma de se disfarçar entre os espíritos, que ficam vagando na noite de Samhain.

Festa e diversão no momento certo

"Hoje o halloween virou uma grande festa, mas esquecemos que ela é baseada em um festival sazonal. Com isso, não faz sentido, pelo ponto de vista da natureza e da tradição, comemorarmos em outubro aqui no hemisfério sul. Afinal, é quando estamos caminhando para a primavera, uma estação que traz fertilidade, abertura e muita alegria", conta a bruxa.

Saber disso não proíbe ninguém de comemorar, com gostosuras e travessuras, o halloween. Mas traz a oportunidade de nos conectarmos com a natureza para criar a consciência de como ela influencia nossas emoções, por exemplo.

"Não tem como ignorar o halloween em outubro, é uma festa típica que diversas pessoas ao redor do mundo comemoram juntas com suas fantasias. Mas é possível comemorá-lo do ponto de vista da diversão, lembrando que o momento da natureza traz uma outra energia para o nosso campo emocional — energia essa, inclusive, propícia para aproveitar a energia de abertura da primavera aqui no hemisfério sul", declara Fernanda.

Eclipse: temer ou não temer?

Neste ano, Samhain acontece sob a influência de um eclipse solar parcial em Touro. Do ponto de vista astronômico, é quando a Lua se coloca entre a Terra e o Sol, projetando sua sombra no planeta onde habitamos. Ainda que não seja um eclipse total, ou seja, quando a Lua sobrepõe a luz do Sol completamente, o fenômeno tem grande influência astrológica.

"Os antigos acreditavam que eclipses eram prenúncio de maus presságios, mas na verdade eles tinham medo de algo que não era explicado do ponto de vista científico. Hoje, muitas bruxas sabem que eclipses são momentos de forte conexão espiritual. No entanto, devemos saber muito bem o que fazer nesses dias", revela a bruxa.

Segundo ela, não é certo "usarmos" a energia de um eclipse ao nosso favor. Fernanda diz que seria até mesmo soberbo acreditar que temos a consciência e o poder necessário para reverter tamanha energia em algo de nosso interesse individual. Com isso, os resultados podem ser muito distantes do que o planejado.

No entanto, ela aconselha se conectar, através da consciência, com o momento astral e da natureza para que Samhain tenha sua importância e sua profundidade de maneira fluida. Abaixo, a bruxa ensina três tradições típicas do ano novo das bruxas para fazer durante o festival.

Sopa dos mortos

Aproveitando as últimas colheitas da natureza, as antigas famílias pagãs separavam todos os tubérculos e raízes, além de vísceras e até mesmo ossos provenientes das caças, para fazer uma sopa dos mortos. Embora o nome assuste, ela não tem nada de negativo. Pelo contrário! Essa sopa era preparada por toda a família, que ia colocando cada ingrediente na panela enquanto entoava o nome de um ancestral que já havia morrido ou, então, o sobrenome da família.

Era uma forma de trazer a força de suas raízes para este alimento que tinha como objetivo sustentar, trazer calor e suprir as necessidades do período de escassez que estava por vir. Em casa, você pode fazer uma sopa de tubérculos com seus familiares enquanto falam em voz alta o sobrenome de vocês ou escutam músicas que fazem parte da tradição familiar.

Altar para os ancestrais

O simbolismo das raízes é muito forte em Samhain, já que é quando a Deusa está em sua faceta anciã. Ou seja, com as raízes longas e firmes abaixo dos pés. Simbolicamente, as raízes estão ligadas a nossa ancestralidade e também às pessoas que fizeram parte da nossa família e vieram antes de nós.

Como em Samhain o espírito dessas pessoas se aproxima de nós para visitas, fazer um altar em homenagem aos entes que já se foram é uma forma de homenageá-los. Se não quiser fazer um altar, você pode sentar com as pessoas de casa para rever fotos antigas que todo mundo tem em algum lugar do armário. O saudosismo serve para encher o coração de amor e boas lembranças.

Jack O' Lantern

Acender velas por toda a casa ajuda a chamar a luz para o período mais escuro do ano. Podem ser laranjas, roxas, marrom ou até pretas. No entanto, a tradição de acender velas em abóboras com caretas podem ser reproduzidas. Afinal, as fantasias e máscaras servem para afastar os espíritos errantes, mas permitir que eles enxerguem o caminho para casa.

Pode ser qualquer tipo de abóbora, como a moranga. Com uma faca de serra pequena e um molde com o desenho que você deseja cortar representando olhos, nariz e boca, é possível transformar o ingrediente culinário em um apetrecho para Samhain. Depois, é só colocar as velas lá dentro. E, ah: na bruxaria, nada de se perde. Então use a abóbora para enriquecer a sopa dos mortos!