PUBLICIDADE

Topo

Mapa da mina

Empresária do 'Shark Tank' investiu em tecnologia e prevê lucrar R$ 2,5 mi

Luciana Pimenta, fundadora do clube de assinaturas Hub Home Box - Divulgação
Luciana Pimenta, fundadora do clube de assinaturas Hub Home Box Imagem: Divulgação

Caroline Marino

Colaboração para Universa

09/01/2022 04h00

A paulista Luciana Pimenta, 32, trabalhava com a mãe em uma agência de eventos em supermercados. Até que a pandemia explodiu, em março de 2020, e tudo parou, inclusive a empresa da família. Luciana, então, viu que precisava se adaptar ao novo momento. "Comecei a estudar para ver o que estava sendo feito fora do Brasil", diz ela, que é formada em administração de empresas. A primeira ideia foi criar um delivery de produtos, mas as pesquisas a levaram aos clubes de assinaturas, um mercado no qual identificou uma tendência de crescimento.

Assim nasceu a Hub Home Box, marketplace — um centro de compra e vendas virtual — especializado em clubes de assinatura. Hoje, é o maior e-commerce da área no Brasil e pretende faturar R$ 2,5 milhões em 2022. A ideia é chegar a mais de dois mil assinantes neste ano.

A Hub Home Box faz todo trabalho de divulgação, cadastros e transações financeiras de cada serviço. "O empreendedor cuida apenas da montagem e da entrega dos kits. O resto nós fazemos", explica Luciana.

O mercado no qual ela decidiu de fato é um dos que mais cresce: segundo pesquisa realizada em 12 países pela Zuora, empresa de software para serviços de assinatura, o percentual de consumidores que possuem pelo menos três desses serviços subiu de 53% em 2014 para 78% em 2020. E a perspectiva é ultrapassar 90% até o final de 2022.


Startup chamou a atenção de jurada do "Shark Tank Brasil"

O primeiro passo da empresa foi a estruturação de toda a parte de tecnologia, da plataforma em si. "Esse é o ponto central, o que faz o negócio acontecer. Mas não queria comprar algo pronto. Precisava de uma estrutura customizada, e o Bruno desenvolveu a plataforma de ponta a ponta", conta.

Com o marketplace pronto e cerca de 12 clubes de assinaturas, Luciana, por insistência de uma colega de equipe, se inscreveu no programa "Shark Tank Brasil", do canal Sony, em 2021. "Fiz a inscrição sem pretensão. Ter um investidor não fazia parte dos planos. Até porque quando montamos uma empresa, não temos muita ideia de onde ela vai parar", diz. Foi um divisor de águas para Hub Home Box.

A empresa chamou a atenção de Carol Paiffer, jurada do "Shark Tank", CEO e sócia-fundadora da Atom S/A. A executiva investiu R$ 940 mil no negócio.

"Foi um processo difícil, pois a empresa era muito nova e com poucos números para mostrar", diz. Porém, ela ressalta, os investidores apostam muito no empreendedor, em sua capacidade de execução e no mercado em que a empresa está inserida, se está em crescimento ou não.

"Estudei muito e fui segura sobre a empresa que estava construindo", afirma Luciana.

"Negócio precisa ser bem detalhado para crescer"

Luciana reforça a importância de ter um plano bem estruturado, pensando no curto, médio e longo prazos, e com um planejamento financeiro detalhado. "A ideia pode ser boa, mas é preciso ter um negócio bem detalhado para crescer. Sem estratégia não dá para ir a lugar nenhum", diz.

Outro ponto importante, segundo ela, é sempre levar inovação à empresa. "É preciso identificar um problema e uma solução para ele que traga inovação e saia do convencional", diz. Entre os planos da empresa está investir, cada vez mais, em tecnologias, como ferramentas de automação e inteligência artificial — mas sempre preservando o lado humano e a experiência dos clientes —, e em marketing e campanhas de comunicação com clientes e consumidores.

Outro ponto importante para o sucesso da Hub Bome Box é manter a rede de contatos ativa. "É preciso gastar tempo de verdade com isso. Fazer conexões, marcar reuniões, trocar ideias. O networking dá suporte e pode abrir portas", diz.

Mapa da mina