PUBLICIDADE

Topo

Sexo

'Mulher que explora o próprio prazer é mais poderosa na cama', diz Mahmoud

O sexólogo Mahmoud Baydoun acaba de lançar um e-book sobre posições sexuais, a obra erótica ?Xeque mate" - Divulgação
O sexólogo Mahmoud Baydoun acaba de lançar um e-book sobre posições sexuais, a obra erótica ?Xeque mate" Imagem: Divulgação

Júlia Flores

De Universa

01/01/2022 04h00

O sexólogo, psicólogo, influencer e ex-BBB Mahmoud Baydoun trabalha há mais de 10 anos com sexualidade feminina. Entre as dúvidas mais frequentes que escuta das mulheres que compõe cerca de 85% dos seus 4,2 milhões de seguidores no Instagram, destaca duas: "Recebo muitas questões referentes a falta de orgasmo e como se tornar inesquecível na cama", conta, em entrevista a Universa.

Além de atuar como "influencer de sexo" nas redes sociais, Mahmoud já publicou um livro sobre o assunto e agora prepara-se para lançar seu segundo e-book, "Xeque Mate - O prazer de saber se posicionar", que traz dicas e ensina posições de diferentes graus de dificuldade com foco no prazer feminino.

A falta de orgasmo durante as relações sexuais é um problema comum entre as mulheres, e Mahmoud considera que a origem do problema está na falta de autoconhecimento e amor-próprio que, em um segundo momento, se reflete nas relações. "Costumo dizer que qualquer relação saudável, é pautada no equilíbrio em dar e receber, uma via de mão dupla. É muito bom quando sentimos prazer juntos. O prazer sexual é direito de todas as pessoas adultas e quando a satisfação é mútua, o casal desenvolve muito mais intimidade e confiança", diz o sexólogo.

Leia a seguir os principais trechos da conversa:

"Autoconhecimento, amor próprio e domínio de técnicas"

Na opinião do sexólogo, três fatores são essenciais para melhorar a vida sexual daquelas que ainda enfrentam dificuldades na "hora h". São eles: o autoconhecimento, o amor-próprio e o domínio teórico do assunto.

"É fundamental entender os motivos que fazem uma mulher se sentir travada, não ter orgasmos e até envergonhada na cama. Infelizmente em nossa sociedade, que ainda é patriarcal e machista, é comum todo tipo de repressão à sexualidade feminina. Seja cultural, religiosa, familiar e passando inclusive pela violência sexual, que ainda é uma triste realidade em nosso meio", afirma.

Para ele, a mudança de cenário deve partir da desmistificação do assunto. "Acho importante conversar para entender que sexo não é imoral; mulheres também devem e tem que sentir prazer". Ele frisa a importância de desenvolver uma boa autoestima para este processo: "Se uma pessoa se ama é natural a busca de qualidade de vida e equilíbrio emocional, a qual, sem dúvida, passa pelo prazer sexual".

Conhecer o próprio corpo, o corpo do parceiro (a), saber onde tocar primeiro, como tocar, o que fazer em cada região, faz toda diferença para um sexo inesquecível

Segundo Mahmoud, o domínio de técnicas e posições "diferentes" é o terceiro - e último - passo de quem busca se tornar um melhor parceiro sexual. "Há uma infinidade de métodos, pontos eróticos, posições, que vão muito além da tradicional estimulação de órgãos genitais", diz.

"Transar com uma pessoa empoderada é enlouquecedor"

Mahmoud rebate a crítica de que, pelo fato de ser um homem, não pode dar conselhos de como melhorar a vida sexual de mulheres. "Eu não me incomodo mais com esse comentário, porque me dedico a estudar sobre o tema. Por conta da minha formação acadêmica - sou psicólogo —, pela bagagem profissional de atendimentos clínicos e também pelo privilégio que tenho de poder ouvir todos os dias centenas de mulheres em suas questões sexuais, posso afirmar que conheço muito sobre o assunto, mesmo sendo homem", afirma.

Ainda que "posições sexuais" não seja um tema novo, Mahmoud acredita que a diferença de seu conteúdo está na simplificação do tema. "O meu trabalho é desmistificar as diversas formas de prazer e mostrar que qualquer mulher pode ser livre e poderosa na cama. O segredo principal? Elas devem focar no próprio prazer. Isso as deixa mais sensuais e sexies, o que faz seus parceiros (as) ficarem loucos".

Sexo