PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Pole dance, dança do ventre e mais atividades que ajudam autoestima sexual

Pole dance trabalha a força, o equilíbrio e a sensualidade dos movimentos - iStock
Pole dance trabalha a força, o equilíbrio e a sensualidade dos movimentos Imagem: iStock

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

12/12/2021 04h00

Mais do que contar com as habilidades eróticas de um parceiro nota 10 e não sentir vergonha nenhuma de se masturbar, desfrutar de uma vida sexual gostosa e saudável depende também da autoestima. Ter uma visão positiva a respeito de si mesma e do corpo ajuda bastante a se sentir mais confortável na própria pele, a ser mais receptiva a dar e receber prazer e, principalmente, a ficar mais focada no momento da transa.

Algumas atividades podem ajudar a liberar hormônios que estimulam o bem-estar, a concentração, a consciência corporal e a autoconfiança, aumentando as chances de orgasmo e de bons momentos na cama. Duvida? Universa conversou com especialistas e selecionou 9 sugestões. Confira.

Exercícios físicos

Corrida
A atividade física mais democrática que existe - basta colocar o par de tênis e uma roupa confortável - faz aumentar a circulação sanguínea em todo o corpo, inclusive nos órgãos genitais, aumentando o prazer e sendo um "facilitador" do orgasmo. Além disso, leva o organismo a liberar hormônios que provocam bem-estar e prazer, como a serotonina, a endorfina e adrenalina. Como é um exercício que trabalha também a superação, com o aumento da distância percorrida, a autoconfiança ganha pontos.

Bike
Tanto faz se você quiser praticar no parque, na rua ou indoor (spinning). Pedalar é uma atividade aeróbica que contribui para o aumento da capacidade cardiovascular, dando mais fôlego e resistência para um sexo mais duradouro e intenso. E mais: ajuda a prevenir as indesejáveis cãibras se você gosta de variar as posições.

Pilates
Trabalha a consciência corporal e a integração entre mente e corpo através do controle da respiração e da concentração. Ficar mais ciente da própria respiração pode ajudar em momentos de ansiedade no sexo e até mesmo a identificar quando o clímax está próximo, fazendo com que dure mais. O pilates também atua na musculatura abdominal e do assoalho pélvico, melhorando a flexibilidade e os movimentos, deixando o corpo muito mais solto na região mais importante do ato sexual.

Danças

Stiletto dance
O estilo mistura hip hop e jazz e ensina movimentos leves e sutis com mãos, pés, ombros e quadris. O diferencial: é praticada com saltos altos, daí o nome stiletto (salto agulha, em inglês). É uma dança, segundo especialistas, que promove a consciência corporal, melhora a flexibilidade e fortalece os músculos da perna, dos glúteos e do abdômen. Para a autoestima sexual, traz confiança e atenua a ansiedade.

Dança do ventre
É ótima para amenizar os sintomas da menopausa e da TPM (tensão pré-menstrual), fatores que impactam na vida sexual da mulher. Os movimentos previnem lesões nas articulações e ajudam a deixar a coluna alinhada. A música e o figurino exóticos estimulam a imaginação e a criatividade. Eu ouvi "fantasias sexuais"?

Pole dance
Com esse tipo de atividade, a mulher acaba por conhecer melhor o seu corpo e ter uma relação mais íntima com seus movimentos. Trabalha a força, o equilíbrio e a sensualidade dos movimentos. Exige bastante vigor dos braços e das pernas, o que ajuda na hora de, quem sabe, tentar praticar o Kama Sutra com o crush.

Autoconhecimento

Mindfulness
A técnica de atenção plena permite viver mais conectada ao momento presente, facilitando a resolução de tarefas e pendências. No sexo, faz com que a mulher se sinta mais envolvida não só com o parceiro, mas com as próprias emoções e sensações do corpo.

Terapia Comportamental-Cognitiva
A TCC é um tratamento psicoterapêutico que se propõe a ajudar o paciente identificando padrões de crenças e hábitos disfuncionais que, por sua vez, têm influência negativa em seus comportamentos e suas emoções. É um recurso válido para quem deseja lidar melhor com a ansiedade ou se libertar de resquícios de relações anteriores que impactaram negativamente a autoestima. Após reconhecer esses padrões, o terapeuta pode auxiliar a pessoa a encontrar novas possibilidades de pensamentos para lidar de forma mais assertiva com as situações e com a opinião a respeito de si mesma.

Pompoarismo
Propicia autoconfiança e consciência corporal. Além de desvendar como funciona a própria anatomia, praticantes de pompoarismo se sentem mais seguras e confiantes em relação ao sexo. Muitas relatam maior facilidade para obter orgasmos sozinhas, o que auxilia na comunicação com parceiro. A prometida facilidade em chegar ao orgasmo tem um impacto positivo na sexualidade e na autoafirmação femininas.


Fontes consultadas: Amanda Borges, professora de Educação Física; Breno Rosostolato, psicólogo, educador sexual e cofundador do projeto de imersão para casais LovePlan; Bruno Frantz, professor de Educação Física; Cátia Damasceno, especialista em sexualidade e ginástica íntima e criadora do site Mulheres Bem Resolvidas, e Elaine Di Sarno, psicóloga.

Sexo